Pele

15 tendências de tatuagem que vão além dos desenhos tribais

Cecília Leite

Colaboração para o UOL, de São Paulo

Para quem está pensando em fazer uma tatuagem, há muitas outras opções de desenho além dos clássicos tribais. Técnicas antigas, adaptações de estilos clássicos e até referências das artes plásticas inspiram os tatuadores. Para não se arrepender na escolha, descubra qual tendência mais agrada seu gosto pessoal.

 

  • Reprodução/Instagram

    Old School

    Em português o termo pode ser traduzido para "velha escola" ou "velha guarda". É usado para nomear o estilo de tatuagem tradicional americana, popularizada por volta da década de 1920 pelos marinheiros. São desenhos de temas náuticos como caravelas, âncoras e nós específicos de corda. A paleta de cores é enxuta, conta com sombras em preto, traços bem definidos e preenchimento em amarelo, verde e vermelho. (Tatuagem feita por Jotapê Pabst, do Brasil)

    Imagem: Reprodução/Instagram

  • Reprodução/Instagram

    New School

    Em tradução literal para o português, a "nova escola" é um estilo com base no anterior, mas segue uma linha mais psicodélica, inspirada pelos desenhos animados, nas paredes desenhadas por grafiteiros e até nas histórias em quadrinhos. Com o aperfeiçoamento de técnicas da velha guarda, ganhou também alguns reforços, como os efeitos tridimensionais. (Tatuagem feita por Jime Litwalk, dos EUA)

    Imagem: Reprodução/Instagram

  • Reprodução/Instagram

    Neo Tradicional

    Após os anos 2000, outro estilo com base no tradicional surgiu, e veio da fusão com a "nova escola". O chamado Neo Tradicional é bem mais refinado, usa desenhos típicos da velha guarda, mas trabalha novas técnicas de pintura. O resultado é uma cartela de cores mais ampla e os desenhos bem mais realistas, respeitando proporções e simetria. (Tatuagem feita por Emily Rose Murray, da Austrália)

    Imagem: Reprodução/Instagram

  • Reprodução/Instagram

    Oriental Tradicional

    Aplicada na pele através de um pincel com agulhas chamado tebori, a técnica é manual e se popularizou no Japão pela Yakuza, uma organização criminosa do país. Assim como na tatuagem tradicional americana, o estilo tradicional japonês é baseado em linhas pretas firmes e sombreamento, mas normalmente apresenta imagens inspiradas pela arte japonesa ou pela natureza. Muito dos desenhos são inspirados no folclore, nas tradicionais gravuras e pinturas japonesas, com todo o seu imaginário e mitologia: carpas, dragões, divindades e samurais. (Tatuagem feita por Horiyoshi III, do Japão)

    Imagem: Reprodução/Instagram

  • Reprodução/Instagram

    Realismo

    O estilo impressiona por conseguir reproduzir uma fotografia na pele e, muitas vezes, é aplicado para reproduzir retratos de pessoas. No entanto, também é usada para retratar objetos e paisagens. (Tatuagem feita por Steve Butcher, da Nova Zelândia)

    Imagem: Reprodução/Instagram

  • Reprodução/Instagram

    Chicana

    É um estilo popular no sul da Califórnia, nos EUA, na grande comunidade imigrante do local. É conhecido pelas linhas finas e muita sombra em preto e cinza, como se imitasse desenhos à lápis. Usa temáticas influenciadas pela cultura mexicana, com personagens, carros, escritas e cenas urbanas. (Tatuagem feita por Mauro Landin, do Brasil)

    Imagem: Reprodução/Instagram

  • Reprodução/Instagram

    Biomecânica

    O estilo cria formas no corpo humano para dar a impressão de ver o que está debaixo da pele, como se a pessoa fosse um ciborgue. É por isso que temas recorrentes são desenhos como veias e músculos, mas unidos por uma temática futurista. (Tatuagem feita por Guy Aitchison, dos EUA)

    Imagem: Reprodução/Instagram

  • Reprodução/Instagram

    Aquarela

    A ideia é reproduzir na pele desenhos inspirados na técnica de pintura, ou seja, são tatuagens coloridas e delicadas, mas é preciso muito estudo e técnica na aplicação para que futuramente o desenho também não vire um borrão. (Tatuagem feita por Victor Octaviano, do Brasil)

    Imagem: Reprodução/Instagram

  • Reprodução/Instagram

    Pontilhismo

    Geralmente feito com tinta preta, o pontilhismo usa a densidade do pontilhado para criar as nuances de sombra. A técnica pode ter temáticas variadas, desde animais e objetos até motivos geométricos e adornos abstratos. O pontilhado pode ser feito cuidadosamente, ponto-a-ponto, ou de forma mais dinâmica, de acordo com a técnica de cada artista. (Tatuagem feita por Thomas Hooper, dos EUA)

    Imagem: Reprodução/Instagram

  • Reprodução/Instagram

    Gravura

    Que tal um estilo de tatuagem que imita ilustrações de livros antigos, principalmente xilogravuras, com uso de traços para criar as luzes, sombras e volumes? A temática pode ir desde desenhos enciclopédicos anatômicos e botânicos, a dramáticas cenas mitológicas ou de ocultismo. (Tatuagem feita por Susanne König, da Alemanha)

    Imagem: Reprodução/Instagram

  • Reprodução/Instagram

    Branca

    A técnica com inserção apenas de tinta branca na pele, popularizada pela modelo Cara DeLevingne, é uma opção discreta para peles claras. O tatuador Keith "Bang Bang" McCurdy é o responsável pela tatuagem de Cara na costela, a escrita "Breathe Deep" ("respire fundo", em tradução livre). (Tatuagem da modelo Cara DeLevingne feita por Keith "Bang Bang" McCurdy, dos EUA)

    Imagem: Reprodução/Instagram

  • Reprodução/Instagram

    Ornamental

    Elas podem ter como base qualquer técnica, mas o desenho é usado para adornar o corpo como se fosse um acessório. A caracterização vem também da aplicação no corpo, como no pulso, no lugar de uma pulseira de verdade. (Tatuagem feita por Juliana Odett, do Brasil)

    Imagem: Reprodução/Instagram

  • Reprodução/Instagram

    Contemporânea

    É um dos estilos mais livres. Mistura técnicas que formam desenhos inspirados em colagens, gravuras, realismo e no que a imaginação mandar. (Tatuagem feita por Peter Aurisch, da Alemanha)

    Imagem: Reprodução/Instagram

  • Reprodução/Instagram

    Lettering

    O estilo é inspirado em caligrafia e tipografia para escrever coisas na pele. É popular para frases, nomes e até junto com outros elementos que precisam de letras para formar uma composição. (Tatuagem feita por Manoel Neto "Maneko", do Brasil)

    Imagem: Reprodução/Instagram

  • Reprodução/Instagram

    "DIY"

    Mesmo com tantos estilos tecnicamente ricos e ótimos profissionais no mercado, algumas pessoas preferem se inspirar em ideias primárias e também nas tatuagens de criminosos. É por isso que o estilo "do it yourself", que em tradução para o português significa "faça você mesmo", está em alta. Pode ser feita à máquina elétrica, mas também tem popularidade com técnicas manuais, com agulhas amarradas a uma haste de madeira, ou ainda feitas com máquinas caseiras descartáveis. (Tatuagem feita por Jenna Bouma, do Canadá)

    Imagem: Reprodução/Instagram

Topo