Beleza

Donos de visuais marcantes, fashionistas são alvos de comentários ofensivos

Natália Eiras

Do UOL, em São Paulo

Gostar de moda pode ser bem difícil. Não só pela grana que se deve desembolsar para estar sempre na última tendência, mas porque, muitas vezes, um visual extravagante não é bem aceito fora das passarelas e do meio fashion. Homens de cabelo e barba coloridos, mulheres com fios volumosos e looks excêntricos chamam a atenção na rua e atraem comentários ofensivos. O UOL perguntou a alguns fashionistas que circulavam pela 41ª edição da São Paulo Fashion Week, que acontece na Bienal de São Paulo até sexta-feira (29), as coisas mais absurdas que já escutaram por causa de seu visual.

  • Caio Kenji/UOL

    Leandro Dario, multiartista

    "Em uma das vezes em que isso aconteceu, eu nem estava tão montado. Usava bermuda e camiseta, mas também um guarda-chuva amarelo com orelhas de gatinho. Ouvi comentários ofensivos duas vezes no mesmo dia e não aguentei, fiz até textão no Facebook."

    Imagem: Caio Kenji/UOL

  • Caio Kenji/UOL

    Carolina Prazeres, 29 anos, modelo

    "Ouço esse tipo de coisa diariamente. Em eventos de moda, as pessoas aceitam mais, mas nas ruas as coisas são mais pesadas. Falam que meu cabelo é uma vassoura, que estou feia. Uma vez perguntaram se entrava água quando eu lavava os fios."

    Imagem: Caio Kenji/UOL

  • Caio Kenji/UOL

    João e Paulo Borges, 23 anos, fotógrafos e modelos

    "Algumas pessoas têm medo de nós. Ouvimos alguns absurdos quase todo dia, mas depende de onde estamos. Já aconteceu de estarmos em um ônibus e ouvirmos uma mulher cochichando com a amiga. Também fazem muito o sinal da cruz quando nos veem."

    Imagem: Caio Kenji/UOL

  • Caio Kenji/UOL

    Mário Rohe, 22 anos, youtuber

    "Depende muito do ambiente em que estou porque algumas pessoas superadmiram a barba e o cabelo coloridos, inclusive senhoras de idade. Mas hoje em dia quem acaba falando esse tipo de coisa são pessoas da minha idade, na faculdade principalmente. Nunca pensei em voltar à cor natural. O estilo de cada um depende do que a pessoa tem dentro de si."

    Imagem: Caio Kenji/UOL

  • Caio Kenji/UOL

    Joana Werica de Oliveira, 21 anos, maquiadora

    "Tenho 12 tatuagens espalhadas pelo corpo, então ouço esse tipo de coisa toda semana. As pessoas têm a mente fechada e acham que a tatuagem pode prejudicar a minha vida, sendo que não é isto que acontece."

    Imagem: Caio Kenji/UOL

Topo