Beleza

Dermatologista esclarece cinco dúvidas sobre hidratação facial no inverno

Getty Images/Thinkstock
Mulher aplica hidratante facial em creme imagem: Getty Images/Thinkstock

ISABELA LEAL

Colaboração para o UOL

Durante o verão é lei hidratar e cuidar da pele do rosto. Mas no inverno, é fato, bate aquela preguiça. Também pudera, a pele está mais protegida do sol, e ainda há o excesso de roupas, e o clima frio, que espantam qualquer entusiasmo para se render ao creme hidratante. Porém, é justamente por conta do clima frio e seco que nessa época a pele produz menos gordura natural (que hidrata) e ainda perde mais água para o ambiente. Resultado: necessidade absoluta de hidratação. Sem contar que, para dizer o mínimo, o hábito de aplicar um creme adequado que ajuda a reter a água na epiderme pode render uma juventude prolongada. “Está comprovado, a pele hidratada retarda os sinais de envelhecimento”, afirma o dermatologista Adilson Costa, coordenador do Ambulatório de Acne, Cosmiatria, Dermatologia da Gravidez e Vitiligo da PUC de Campinas (SP), que no momento está envolvido em pesquisas avançadas sobre cosmecêuticos, nanotecnologia cosmética e laser. A seguir, o médico especializado em tratamentos cosméticos esclarece tudo sobre hidratação facial. Inclusive, o “tudo” aqui significa o básico – aplicar hidratante regularmente garante beleza e saúde para a pele.

1. Quais são os principais benefícios de se hidratar o rosto?
Uma pele hidratada é essencial para manter as funções básicas cutâneas, desde imunidade (defesa) contra agentes infecciosos até a capacidade plena de reparo celular.  Sem contar que manter o equilíbrio hídrico da cútis ajuda a retardar os sinais de envelhecimento. Uma pele hidratada é aquela que tem uma boa quantidade de água na epiderme, isto é, na camada superficial (córnea), característica que impede principalmente que a pele perca parte de sua água para o meio ambiente.
 
2. Toda mulher brasileira (considerando todos os tipos de pele) precisa hidratar mais o rosto no inverno? Ou esse hábito é mais crucial para as secas e normais?
De um modo geral todos os tipos de pele, em todas as estações do ano, precisam de hidratação diária. Porém, obviamente, as pessoas de pele seca precisam hidratá-la com mais frequência no inverno. O nível e frequência ideais de hidratação vão depender do grau de secura da pele. No frio padece-se de pele seca, pois a derme diminui a produção de sebo e o clima seco ainda faz com que a pele perca água para o ambiente.

3. Um protetor solar substitui o hidratante no caso das peles mistas e oleosas? E para as peles secas e normais, o protetor tem o poder de hidratar?
Se o protetor tiver o “seu poder hidratante” expresso em sua rotulagem, sim. Isto é, se o fabricante comunicar essa característica no rótulo o produto deve ter esta propriedade. Caso contrário, o uso de um hidratante se faz necessário e obrigatório. Isso vale para todos os tipos de pele.
 
4. Como saber se uma pele precisa de um hidratante? Todas, sem restrição, precisam?
Peles que estejam sem brilho, com aspecto esbranquiçado, às vezes com uma descamação fina precisam ser hidratadas imediatamente. A frequência não tem como dizer, vai depender do grau de xerose (ressecamento anormal dos tecidos) de cada um. Mas sim, todos os tipos de pele precisam de hidratação regular, mesmo as oleosas que supostamente têm uma camada protetora intrínseca, por conta da produção de gordura natural, precisam ser hidratadas. Mas o mais importante é utilizar o hidratante correto de acordo com o tipo de pele – as normais e as secas com cremes ou loções, e as mistas e oleosas com fluidos, gel ou séruns.
 
5. Dá para usar hidratante importado – um europeu, por exemplo – no Brasil? Existe alguma restrição em relação à fórmula mais densa desses cosméticos?
Mesmo na Europa, existem produtos para todos os tipos de pele, basta comprar aquele que é ideal para o seu tipo. Ou seja, a mulher pode usar os importados, sem qualquer contra-indicação, desde que seja adequado para a sua pele. Mas é bom lembrar que muitos produtos nacionais são tão bons quanto estes, em questão.
 

Topo