Maquiagem

Pedras preciosas e semipreciosas são incluídas no make mineral para deixá-lo mais sofisticado

Thinkstock
Maquiagens minerais são uma opção menos alergênica e com efeito mais natural imagem: Thinkstock

SHÂMIA SALEM

Colaboração para o UOL

Formulada com ativos de origem mineral, como mica, óxido de zinco e de ferro e dióxido de titânio, e livre de substâncias com potencial alergênico, entre elas parabeno, óleos e fragrância, a maquiagem mineral já é uma tendência forte no exterior. Por aqui a moda também vem ganhando força graças à investida das empresas em lançar linhas com esse apelo acrescidas de ingredientes nobres. O objetivo? Agregar luxo aos produtos, deixar a produção mais sofisticada e agradar mulheres ávidas por novidades.

Já entrou nessa onda a M.A.C, que traz a partir de setembro a coleção Semi Precious, a primeira da grife inspirada no Brasil e elaborada com pedras semipreciosas da região da Mata Atlântica. “Escolhemos quatro: pirita, turmalina preta, bronzita dourada e lepidolita lilás. Elas foram usadas nos pigmentos, para criar cores diferenciadas, e também influenciaram na aparência dos produtos”, explica Jennifer Balbier, vice-presidente sênior de desenvolvimento global da grife.

Bonito e saudável

Ouro, pérola, madrepérola e areia de regiões como a Polinésia Francesa também estão em alta e ainda têm a vantagem de beneficiar a pele. "O ouro tem ação anti-inflamatória, o que ajuda a controlar a perda de colágeno e elastina que acontece com o passar dos anos e deixa o rosto envelhecido”, explica o farmacêutico e cosmetólogo Maurício Pupo, pesquisador do Instituto Maurício Pupo de Educação e Pesquisa (IPUPO), em Campinas (SP). Segundo ele, um estudo feito no Japão concluiu que a pérola promove uma leve descamação e retirada das células mortas da pele, o que, com o tempo, deixaria o toque mais macio e a tonalidade sutilmente mais clara.

Já a madrepérola auxilia na cicatrização e favorece a espalhabilidade da maquiagem, proporcionado um acabamento com aspecto aveludado e sem falhas; enquanto o pó de areia ajuda no controle da oleosidade e tem efeito "softfocus". “Isso significa que ele suaviza a visão que se tem do rosto, fazendo a pele parecer mais fina, os poros menores e as rugas e marcas de expressão menos acentuadas”, completa o cosmetólogo Maurício Pupo.

Mas, afinal, o que é maquiagem mineral?

Segundo a farmacêutica Simone Ribeiro, do Rio de Janeiro, coordenadora de pesquisa e desenvolvimento da Dermage, ainda não há um conceito sobre maquiagem mineral, mas a proposta dele já é clara: ser uma opção menos alergênica e com efeito natural. “Para isso, a formulação traz ingredientes que beneficiam a pele e melhoram o sensorial, mas que não necessariamente têm origem mineral, caso dos extratos botânicos e dos polímeros de silicone”, diz.

Isso explica porque esse tipo de make agrada principalmente quem tem pele sensível ou sensibilizada por acne, rosácea, peeling, laser e outros tratamentos dermatológicos. “Como o cosmético geralmente vêm em pó e fica na superfície cutânea, o risco de causar alergia ou irritação é reduzido”, afirma a dermatologista Ana Paula Meski, médica pesquisadora do departamento de dermatologia do Hospital das Clínicas de São Paulo e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

O efeito na produção também é aprovado. “Como a maquiagem mineral absorve o excesso de oleosidade, ela controla o brilho excessivo do rosto ao longo do dia e deixa o toque mais seco e aveludado. Além disso, é levinho, por isso deixa o look mais natural, traz conforto e a sensação de não estar usando nada”, afirma o maquiador Saulo Fonseca, da agência Capa Mgt, em São Paulo.
Topo