Beleza

Franjas são democráticas e nunca saem de moda, mas exigem cautela e alguns cuidados

Getty Images e TV Globo
Olivia Wilde, Cristiane Torloni e Ellen Roche são algumas das famosas que apostam nas franjas imagem: Getty Images e TV Globo

ISABELA LEAL

Colaboração para o UOL

De todos os estilos de corte, talvez a franja seja o mais atemporal, isto é, nunca sai de moda. Não importa a estação do ano, nem as tendências do momento, ela está sempre marcando presença na passarela e nas ruas. “Franja é um clássico, é eterno. Mas para ter um estilo interessante é preciso fazer a escolha certa. O que fica bom para uma mulher pode comprometer o visual de outra. Mas seguindo um critério estético, toda mulher pode usar sim, é bem democrática”, define o cabeleireiro Eron Araújo, de São Paulo. “É preciso analisar a textura e caimento do fio, o formato e os traços do rosto e a altura da testa. Feito isso é definido um corte adequado, que pode ser para dar leveza, volume, rejuvenescer, disfarçar uma testa muito alta ou muito curta, enfim. Cada caso deve ser analisado por um profissional, ele é o grande aliado nessa escolha”, resume Eron.

Derrubando mitos

Apesar de ser democrática, já que fica bem para quase todas as mulheres, é fácil esbarrar em dúvidas. Quando o assunto é franja, o conceito de descolado, chique, moderno, jovial e até de ridículo se torna relativo, já que tudo depende do conjunto do rosto com o cabelo e ainda da personalidade da mulher. Veja a seguir as situações e estilos mais controversos e saiba o que é adequado para cada caso.

Topo