Beleza

Hit da temporada, bases iluminadoras trazem frescor e naturalidade, mas não cobrem imperfeições

AFP/Pierre Verdy
No desfile de verão de Giambattista Valli, a maquiagem das modelos foi feita com uma base iluminadora e com cobertura fresca e natural imagem: AFP/Pierre Verdy

ISABELA LEAL

Colaboração para o UOL

Nada de efeito 'lifting', mate ou cobertura total. A base do momento é extremamente leve, fluida e proporciona uma naturalidade sem igual ao rosto. Denominada no universo da beleza como base com efeito 'glow', e pela indústria de cosméticos como base iluminadora, essa nova versão funciona como um verdadeiro bálsamo para as mulheres que querem parecer belas, sem estar maquiadas. De fato, o resultado é uma pele iluminada, saudável, fresca, natural – tudo porque ela proporciona um brilho muito sutil que ilumina o rosto. “A ideia é exatamente essa, dar a ilusão de uma pele nua, fresca, transparente. Mais do que tudo de uma pele bem cuidada, com frescor”, define Ricardo Cosenza, supervisor de treinamento de perfumaria, maquiagem e tratamento da Dior no Brasil. “Essas bases geralmente contêm partículas de minerais que refletem a luz e trazem esse efeito de luminosidade bem sutil. O fato delas serem à base de água garante a leveza, mais fluidas elas ficam leves. O resultado é um efeito ultraluminoso, mas muito suave, de brilho perfeito, que na prática aparece como uma pele viçosa e rosto iluminado”, complementa Ricardo.

Frescor x camuflagem

A mulher que opta por esse tipo de base deve ter consciência de que o poder de correção das imperfeições é quase nulo. “As bases iluminadoras não têm efeito de camuflar, de corrigir imperfeições. Frescor e naturalidade não combinam com uma cobertura intensa”, avisa Ricardo Cosenza. “Principalmente manchas e textura de pele irregular não são disfarçados com esse tipo de base, por causa da cobertura muito suave. Mas um pó facial bem leve pode auxiliar nessa tarefa – ele dá um acabamento e uniformiza o tom da pele. Mas é importante que se aplique pouquíssimo pó para não comprometer o efeito 'glow' da base”, ensina o maquiador Saulo Fonseca, da Capa MGT, de São Paulo.

Sinal verde para as oleosas

Quem tem pele oleosa foge de qualquer produto que evidencie aquele brilho típico que a oleosidade produz. E no caso da base iluminadora, que um dos efeitos é produzir brilho (ainda que seja de luminosidade), é natural que surja um receio na hora de usar, mas essa insegurança pode ser descartada. “Apesar de produzir um brilho sutil, as bases iluminadoras são muito suaves, por serem à base de água. Por isso combinam com as peles oleosas, que pedem texturas leves. É só não exagerar na quantidade. Usar um primer antes também é importante”, justifica Saulo. “O problema é que quem tem pele oleosa está sempre com a sensação de que os produtos pesam, então acaba preferindo não usar. Mas isso é psicológico não necessariamente o que acontece”, acredita o maquiador. Outra superdica para as peles oleosas é lançar mão do pó sobre a base e do “menos é mais”. “O segredo é colocar pouca quantidade e espalhar muito. Isso garante a leveza que a pele oleosa precisa para não ser evidenciada pelo brilho da base. Outro truque é aplicar um pingo de pó translúcido na zona T (testa, nariz e queixo), que é uma área com intensa oleosidade”, ensina a maquiadora Cecília Macedo, também da Capa MGT, de São Paulo. “Mas para quem gosta, o pó pode ser aplicado sobre todo o rosto, desde que seja bem leve e em pequenas quantidades. Assim dá um acabamento sem comprometer o efeito de luminosidade da base”, diz Cecília.

O iluminador

E já que estamos falando do que pode ou não ser utilizado com essa base, o iluminador é outro item que levanta dúvidas, e divide a opinião dos especialistas, uma vez que a base iluminadora já tem partículas refletoras de luz. Para Saulo Fonseca não há contra-indicação utilizar esse recurso: “O iluminador é importante para enfatizar os pontos de luz específicos como a base externa da sobrancelha, ponte do nariz, alto das maçãs, tê,e canto interno dos olhos e, assim, valorizar os ângulos do rosto. De dia, pode-se usar de forma bem leve, mas à noite dá até para caprichar mais”, diz o expert. Já Cecília prefere analisar caso a caso. “Muitas mulheres acabam utilizando o iluminador sobre a base iluminadora, mas dependendo do caso o resultado pode ficar um pouco pesado”, pondera a maquiadora. A regra, então, é ir para frente do espelho e testar o que fica melhor para você.

Topo