Beleza

Na praia ou na cidade, saiba como escolher o filtro solar adequado

Getty Images
Ao escolher seu protetor solar para este verão, fique atento aos fatos de proteção UVA (PPD) e UVB (o famoso FPS) imagem: Getty Images

ISABELA LEAL

Colaboração para o UOL

Nem todo mundo tem o hábito de substituir o protetor solar diário por outro com fator de proteção (FPS) mais alto quando vai à praia ou à piscina – o que deveria ser uma atitude natural, já que usar um FPS alto em exposição prolongada traz mais segurança, pois os mergulhos e a transpiração retiram parte do produto. Mas por outro lado, é bom evitar usar filtros mais potentes diariamente, que geralmente são mais espessos e oleosos, porque o uso contínuo pode causar acne e estimular a oleosidade da pele. Essas afirmações dividem até mesmo a opinião dos especialistas. “Não se deve usar o protetor do dia a dia na praia porque geralmente tem fatores de proteção UVA e UVB mais baixos, além de ter baixa fixação na pele e pouca resistência à água e ao suor. O contrário, usar o de praia no cotidiano, é mais viável e seguro”, acredita o dermatologista Ricardo Limongi Fernandes, responsável pela cosmiatria do Instituto de Cirurgia Plástica Santa Cruz, de São Paulo. Já para o dermatologista Marcus Maia, coordenador da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele da Sociedade Brasileira de Dermatologia, não há contra-indicação em usar o mesmo filtro na praia ou na rotina da cidade. “Pode se usar o mesmo FPS, desde que se aplique corretamente o produto: cobrindo todo o rosto com uma camada uniforme e generosa. Neste caso, não haveria problema porque o filtro do dia a dia tem capacidade de proteção absoluta, desde que seja feita uma aplicação correta – não só em questão de quantidade, como de reaplicação, que deve ser feita a cada hora e meia ou sempre que entrar na água, transpirar excessivamente ou tiver contato com roupas e toalhas. Se a reposição for respeitada é suficiente”, diz o médico, especialista em fotoproteção.

Topo