Beleza

Moda das unhas brinca com as cores e com o glitter; veja passo a passo das tendências do momento

Rodrigo Niemeyer/UOL
Unhas filha única, ombré glitter, degradê e inglesinha são bem pedidas nos salões atualmente imagem: Rodrigo Niemeyer/UOL

Claudia Silveira
Do UOL, em São Paulo

A universitária Laylla Leite, de 21 anos, é tão apaixonada por esmaltes que muda a cor das unhas entre três e cinco vezes por semana. Sempre que a agenda de estudante permite, a jovem adere a algum design diferente, seja misturando cores, texturas ou abusando do glitter. Cada “nail art” - como esses designs são conhecidos -- ganha um nome diferente e passa por momentos de altos e baixos, virando febre nos salões para, em seguida, cair no esquecimento. As unhas das celebridades são um termômetro do que está em alta, os blogs especializados também. Neste início de ano, a moda é pintar a unha com efeito degradê, inglesinha, filha única ou ombré glitter.

O nome de cada “nail art” já dá uma dica do que significa. O degradê brinca com as cores ou tonalidades para fazer o efeito de escurecimento ou clareamento em uma mesma unha. A inglesinha acrescenta cores à tradicional francesinha, e a filha única chama a atenção para a unha pintada em cor ou tom diferente. A ombré glitter é a sensação do momento e carrega no brilho na ponta da unha e diminuindo a quantidade à medida que vai chegando à raiz.


“A ombré glitter é uma tendência que tem tudo para dar certo, pois, além de prática, há a possibilidade de fazer inúmeras combinações de cores, o que é muito divertido. As pessoas nas ruas param pra me perguntar como se faz. Muita gente acha bonito”, diz a universitária Laylla, que mantém o blog “Nails 4U”.

  • Getty Images

    A apresentadora britânica Alexa Chung exibe suas unhas com a tendência do ombré glitter

O interesse da mulherada pela “nail art” só faz crescer, de acordo Suely Munekata, proprietária da Empório das Unhas, centro de treinamento para manicures e salão de unhas que fica na Liberdade, no Centro de São Paulo.

“Até as pessoas de mais idade estão ousando também. Já com as jovens, não tem regra. Elas abusam das cores e designs até que arrumam um emprego sério. Enquanto são estudantes, são muito criativas e só continuam se o emprego permitir”, observa. Segundo ela, a tendência degradê é a mais recente. “Normalmente, o glitter é muito usado no inverno, mas já estamos no verão e ele continuou. Acho que seguirá até o carnaval”, aposta Suely, que cita o laranja -- em todas as tonalidades -- como a principal cor desta temporada.

Segundo a manicure Márcia Cristina Oliveira, que trabalha no ramo há 15 anos, quem quiser fazer qualquer “nail art” em casa precisa praticar. “É importante esperar o esmalte secar bem antes de fazer qualquer efeito, senão vai borrar tudo”, orienta a profissional do Empório das Unhas.

A secretária Amanda Ramos, de 26 anos, precisou de muito treino em “nail art” até a brincadeira com cores e texturas nas unhas virar “um vício”. “Sempre achei que era muito estabanada para isso, mas com calma eu fui conseguindo”, conta. Hoje em dia, Amanda troca o esmalte a cada dois dias, sempre aderindo a algum design. “É muito difícil eu ficar só com o esmalte, sem ter alguma coisa em cima”, afirma a jovem, que comanda o blog “Mania de Esmalte”.

  • Arquivo pessoal

    A secretária Amanda Ramos exibe a "nail art" inglesinha, uma das tendências em unhas

Para a empresária Agnes Cruz, sócia do salão especializado em manicure Cosmopolish, na zona oeste de São Paulo, aderir ou não à “nail art” tem mais a ver com a personalidade da pessoa do que com a capacidade de reproduzir em casa. “Se a mulher é tímida e discreta e põe uma inglesinha na unha, ela acha que já está chamando a atenção demais”, diz.

Apesar da maioria das clientes optar pela unha tradicional, Agnes conta que 30% das que vão ao espaço já usam mais de uma cor nas unhas. “Nós temos um cardápio de 'nail art' e as clientes ficam curiosas para saber o que é cada técnica. A ombré glitter é um sucesso. Muitas fazem só para ver como é o processo”, detalha.

Para não fazer feio na hora de aplicar algum design na unha, a manicure e sócia do Cosmopolish Jack Cardoso sugere esquecer a francesinha tradicional, que virou coisa do passado. “Nem temos no cardápio”, dispara. Segundo ela, o acabamento fosco também perdeu seus dias de glória e só é ressuscitado quando vem acompanhado de uma inglesinha. Nesse caso, ou a unha fica fosca ou a ponta.

Topo