Beleza

Perfumes de celebridades são sucesso de vendas; saiba como funciona esta parceria

Getty Images
Sarah Jessica Parker e Beyoncé possuem linhas de perfumes de sucesso que levam seus nomes imagem: Getty Images

Paola Refinetti

Do UOL, em São Paulo

O mítico Chanel nº 5 precisou de 34 anos até que Marilyn Monroe o imortalizasse quando revelou que dormia vestida apenas com duas gostas da fragrância. Nascia assim, sem querer e sem Marilyn Monroe ganhar um tostão, a parceria entre celebridades e seus perfumes.

Audrey Hepburn foi homenageada pelo amigo Hubert de Givenchy com L'Interdit. Retirado do mercado 1990,foi relançado pela Maison Givenchy em 2000 como L’Interdit de Givenchy e rejuvenescido aos novos tempos, que pouco lembra o original feito a partir de conversas entre o costureiro e sua musa.

Liz Taylor com White Diamond em 1988 foi a primeira a profissionalizar essa sociedade. Até hoje está entre os mais vendidos no mundo seguido por Live e Mt Glow de Jennifer Lopez, a linha de Britney Spears e Lovely, da atriz Sarah Jessica Parker, segundo levantamento da empresa de pesquisas Euromonitor.

Renata Ashcar, especialista em perfumes, afirma que “em geral os perfumes são criados e desenvolvidos com a participação da celebridade envolvida. E são todos inspirados no universo da pessoa, isto, aliás, é um fator aspiracional que ajuda muito nas vendas. Afinal, os consumidores deste tipo de perfumes querem de certa forma um pouco deste mundo que envolve as celebridades em questão. Acho que tem muito a ver com a personalidade da celebridade, e os aromas, obviamente estão alinhados com esta questão”.

Se alguém ainda duvida, ela esclarece “Perfumes de celebridade são considerados na indústria da perfumaria como uma categoria. Claro que o aspecto marketing é importante, uma vez que o fato da fragrância estar associado à personalidade gera com certeza um impulso de vendas fortíssimo, como o perfume de Justin Bieber que foi um sucesso total de vendas.”

Laurent Le Guernec criador do Lovely de Sarah Jessica Parker ao lado de Clement Gavarry e perfumista da casa de fragrâncias IFF conta como é o processo de criação. “Cada projeto de celebridade é diferente, no caso de SJP, ela estava muito envolvida, queria realmente criar cheiro seu”. E comentam “Uma celebridade, apaixonada por perfumes, tem tanto credibilidade tanto quanto um designer. Por que um designer que não sabe como criar um perfume tem mais credibilidade do que qualquer outra pessoa? Em todo caso, é um perfumista profissional que vai criá-lo. Você reza para que a celebridade ou o designer com quem trabalha tenha bom gosto”. Ainda sobre a criação de Lovely, o perfumista diz: “Sarah Jessica deu todas as coordenadas do que queria e estava envolvida em cada etapa da criação. Nos reunimos duas vezes e a partir daí ela me dava seu ‘feedback’”. “Cada celebridade tem um pedido diferente. Para Sarah era sobre quem ela é na vida real, nada a ver com com os personagens que ela interpreta", complementa.

 “Quase sempre a criação é um espelho da imagem que a celebridade tem e transmite o gosto pessoal dela. [estes perfumes] Podem ser comerciais e sofisticados ao mesmo tempo e ajudam a divulgar a imagem e a personalidade das pessoas”, diz Joachim Correll, mestre perfumista da Symrise - multinacional que desenvolve fragrâncias como Luiza Brunet e Claudia Leitte.

Que a moda tem tudo a ver com a criação das celebridades e suas criações todo mundo sabe. Mas quem decide que perfume usar é o nariz. Uma escolha que passa pela memória - cheiro de avó,de frescor,de laranja - pela personalidade e pelo seu gosto.

Topo