Tendências de beleza

O inverno é o vilão da pele; saiba como escolher o hidratante ideal e evite o ressecamento

Thinkstock
O ideal é aplicar o hidratante após o banho, com a superfície da pele ainda úmida imagem: Thinkstock

Rosana Faria de Freitas

Do UOL, em São Paulo

Nada de deixar o ressecamento extremo tomar conta da pele neste inverno. Antes que rachaduras, vermelhidão e a aparência esbranquiçada deem o ar da graça, tome alguns cuidados para reverter o quadro e garantir maciez e hidratação na medida certa. “O frio provoca reações específicas no organismo: a produção de sebo pelas glândulas sebáceas diminui, a pessoa transpira menos e a temperatura interna também cai. O resultado é superfície seca e descamativa”, explica Ana Lúcia Recio (SP), dermatologista membro das Academias Americana e Brasileira de Dermatologia. Além disso, a presença do vento, a baixa umidade do ar, a permanência em ambientes com aquecimento e os banhos quentes são fatores característicos da estação e também contribuem para a desidratação corporal.

Uma vez alterado o manto lipídico, camada gordurosa que cobre a epiderme e retém a umidade, é comum aparecer aspereza, perda de elasticidade, descamação, rachaduras, coceira e até ardência. “Quando ela se altera, a pele deixa de garantir sua função de barreira e torna-se permeável a alérgenos, fungos e bactérias. Agentes que, não raro, causam infecções como impetigo”, alerta Marcela Studart (RJ), da Sociedade Brasileira de Dermatologia. E tem mais, o corpo nessa época fica ‘fechado’ dentro de roupas pesadas, casacos, meias, botas... “Tais peças agem como isolante térmico e protegem do frio e do vento”, diz Sara Bragança (RJ), membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética. Mas, por outro lado, podem ser prejudiciais. “As vestimentas podem aumentar a irritação cutânea por causa dos tecidos sintéticos e do maior contato da roupa com a pele”, observa Marcela.

A prevenção ainda é a melhor saída

Veja, a seguir, o que mantém sua pele nutrida e suave ao toque mesmo com esse friozão todo:
Evite banhos quentes e demorados. “A água pelando age como um detergente e remove o manto hidrolipídico, formado por água e óleo”, diz Ana Lúcia Recio
Use diariamente cremes hidratantes potentes no corpo todo. Passe-os depois do banho, com a pele ainda úmida -o que facilita a absorção de substâncias. “A pele é formada por ‘blocos’ de células empilhadas e muito coesas. Quando molhada, tal ‘empilhamento’ fica mais solto, facilitando a passagem dos ativos”, afirma Fernanda Casagrande (RS), membro das Academias Americana e Brasileira de Dermatologia
Se tomar mais de um banho por dia, só passe sabonete no trio área íntima, axilas e pés. Não use buchas ou esponjas ásperas. “Pessoas alérgicas e idosos, que naturalmente têm a pele mais seca, devem evitar o segundo banho”, destaca Marcela
Nas áreas mais críticas, como cotovelos, joelhos e pés, reforce a dose do hidratante. Vale fazer uma esfoliação delicada de uma a duas vezes por semana. “Use produto à base de ureia ou lactato de amônia que, além de promover a descamação, ainda tem poder hidratante”, aconselha Fernanda
Caso permaneça em locais com aquecedor, providencie um umidificador de ar. Se não for possível, coloque uma bacia com água em algum canto. Tanto aparelhos de aquecimento quanto de ar condicionado diminuem muito a umidade do ambiente
Não fique exposta diretamente ao frio e ao vento. Se necessário, coloque luvas nas mãos. O sol também deve ser evitado, pois representa um fator importante no desequilíbrio da barreira cutânea
Mantenha rosto e lábios perfeitamente hidratados – áreas que em geral ficam desprotegidos do frio. É importante, também, não esquecer o filtro solar. “Mesmo em dias nublados e chuvosos, até 80% da radiação pode atingir a pele”, salienta Fernanda Casagrande
Beba água. No inverno, é comum a ingestão cair, o que piora ainda mais o ressecamento da pele. “A recomendação para um adulto é pelo menos 2 litros por dia”, ensina Marcela
Coloque uma camiseta 100% algodão por baixo das roupas pesadas de inverno. Especialmente se for usar tecidos sintéticos
Na hora da lavagem das peças, não utilize sabão em pó e amaciante em demasia
Priorize uma alimentação equilibrada. O que não pode faltar: frutas, legumes e verduras, que têm nutrientes e teor hídrico que ajudam na hidratação. Caso seja necessário, faça uso de vitaminas por via oral sob recomendação médica
Consuma alimentos ricos em vitamina B. “Eles aumentam a oleosidade e são ótimos para casos severos de ressecamento”, diz Fernanda. Boas fontes: carnes em geral, ovos, leite, leguminosas, vegetais de folha escura e frutas como banana
Prefira sabonetes com base hidratante, sabonetes líquidos ou shower óleo – produtos em óleo que limpam sem ressecar. Caso sinta que a pele seca já tomou conta, só aplique os produtos nas áreas íntimas, nas axilas e nos pés

Especialistas explicam como escolher o hidratante

Você já tem aí uma lista de dicas para se cuidar durante os dias frios. Mas vale entender melhor sobre os hidratantes, já que eles são os responsáveis por dar aquela força extra e deixar sua pele linda. A primeira dúvida é: estes produtos são apenas emolientes ou de fato hidratantes? Os primeiros, vale lembrar, tornam a cútis macia e flexível, enquanto os outros conferem e restauram a umidade. “Embora a indústria cosmética use sempre o termo ‘hidratante’, a grande maioria traz ativos que não conseguem penetrar na pele – característica restrita aos que incorporam avanços como nanotecnologia e aquaporinas. No primeiro caso, os elementos entram com mais facilidade até as estruturas mais internas. Já as aquaporinas são os canais responsáveis pela entrada e saída de água da membrana celular, conferindo hidratação mais profunda”, explica Fernanda Casagrande. De qualquer forma, qualquer produto classificado como hidratante forma um filme sobre a superfície e retém a água, o que é ótimo. Marcela observa que, na prática, não se diferencia um item do outro, “pois ambos acabam agindo como hidratantes. Alguns, inclusive, oferecem atuação antiidade”.

Fique ligada na listinha de substâncias que funcionam bem no tratamento da pele: ureia, ácido lático, ácido hialurônico, alantoína, lactato de amônia, vitamina E. Há ainda óleos que são excelentes emolientes, como os de amêndoas, sementes de uva, maracujá, buriti, rosa mosqueta, gergelim, babosa e o atualmente tão propagado de argan. “Ele é extraído de uma árvore, Argan, disponível na reserva de biosfera do sul do Marrocos. Na sua composição estão carotenóides, polifenois, ácido felúrico, esqualeno, esteroides de vitamina E, todos poderosos antioxidantes que combatem o envelhecimento”, assegura a dermatologista. Defensora dos óleos, Marcela Studart diz que eles formam uma película protetora, evitam a desidratação e podem ser aplicados no banho, após o mesmo ou juntamente com outras substâncias numa formulação manipulada. “Porém não substituem o hidratante, responsável pela reposição de água perdida e princípios ativos importantes.”

Topo