Beleza

Especialistas dão dicas para manter a pele livre das irritações causadas pelo barbear

Thinkstock
Ao se barbear, tenha em mente que os fios devem sempre ser raspados no sentido do crescimento para evitar pelos encravados ou inflamados imagem: Thinkstock

Ricardo Oliveros

Do UOL, em São Paulo

O ato de barbear-se diariamente é quase inevitável para a maioria dos homens, ou por uma opção estética ou mesmo uma exigência profissional. E este ritual feito em casa faz do Brasil o segundo maior mercado em lâminas de barbear, com 1,1 bilhão de unidades vendidas anualmente, segundo dados da Abihpec – Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos.  

E, mesmo com a repetição do ato, algumas dúvidas surgem: como fazer para evitar os pelos encravados ou inflamados? Como amenizar a sensação de pele irritada pós-barbear? E o que fazer em caso de cortes? Especialistas consultados por Hora H dão dicas que vão lhe ajudar a manter a pele lisinha e a tirar o melhor proveito do aparelho descartável.


Cuidados que você deve ter antes de fazer a barba

 

Curiosidade: A invenção do aparelho de barbear

Quando King Gillette começou a pensar em criar algo de impacto, recebeu o conselho de William Painter , inventor da rolha de cortiça: "Melhor do que inventar um produto que todo mundo use, é fabricar um produto que todos usem, joguem fora e depois voltem para comprar mais”.

Com isso em mente, em uma manhã de 1895, ao fazer a barba, ele idealizou um aparelho que revolucionou o ato de barbear. Um sistema de longa durabilidade que utilizasse lâminas descartáveis. O segredo não era propriamente o aparelho, e sim a lâmina, uma camada fina de aço afiada dos dois lados, que poderia ser usada algumas vezes e depois substituída.

Mas faltava ainda a tecnologia. Seis anos se passaram até que Gillette encontrasse o sócio certo: William Nickerson, engenheiro mecânico de sucesso, formado no Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT), que acreditou na lâmina de barbear e decidiu fabricá-la, contrariando expectativas pessimistas de especialistas da época.

Assim, Gillette fundou, em Boston, nos Estados Unidos, em 1901, a"Gillette Safety Razor Company". Em apenas dois anos, lâminas e aparelhos foram colocados à venda, inaugurando a era de produtos descartáveis, que se estendeu a diversas outras categorias de produtos.

“Antes de fazer a barba, é importante estabelecer alguns cuidados diários da pele: esfoliação semanal (duas vezes por semana é o ideal) e limpeza com um sabonete em gel de pH neutro. A limpeza diária também é fundamental para remover impurezas e controlar a oleosidade excessiva, pois evita a formação de cravos e comedões, que causam inflamações”, recomenda Thais Pepe, médica especialista das sociedades brasileira e americana de dermatologia.

De acordo com a dermatologista, as impurezas são os principais fatores que favorecem o aparecimento de pelos encravados em homens, pois obstruem os poros, aumentam a oleosidade e promovem o nascimento de cravos e espinhas. Outros fatores que podem influenciar numa pele em desequilíbrio, são estresse, uso equivocado de cosméticos que podem ocasionar uma alergia e má alimentação.

Os aparelhos descartáveis devem ser usados com cuidado para homens com peles mais sensíveis ou com acne, pois costumam ter problemas de foliculite. “A foliculite é uma infecção bacteriana causada pelo trauma da lâmina de barbear. A invasão bacteriana pode ocorrer espontaneamente ou favorecida pelo excesso de umidade ou suor, e principalmente pela raspagem dos pelos. É, na verdade, bem frequente entre os homens”, avalia Thaís Pepe. Para isso é fundamental seguir a orientação de somente usar a lâmina no sentido do crescimento dos pelos: raspá-los no sentido contrário facilita a aparição de mais pelos encravados e, consequentemente, aumenta a chance de inflamação.

Passo a passo da barba com aparelho descartável

“O quarteto água quente, creme ou gel, lâmina e loção pós-barba é mais do que suficiente para garantir uma barba bem feita”, afirma a dermatologista Karla Assed, membro das sociedades brasileira e internacional de dermatologia.
1. Passe a lâmina ou o barbeador no sentido em que os pelos crescem. Assim, você evita que eles encravem conforme crescem e deixa o rosto menos sensível.
2. Descarte a lâmina. O ideal é jogá-la fora após três ou quatro barbeadas. As lâminas velhas e usadas cortam, arranham e queimam a pele, especialmente aquelas mais sensíveis.
3. Se você tem bastante acne, barbeie-se com bastante calma e cuidado. Evite passar o aparelho nas espinhas inflamadas para evitar possíveis cicatrizes.
4. Depois de barbear lave o rosto com água fria, que é a única capaz de fechar os poros e dar mais brilho e maciez à sua pele. Só depois de limpo é que você deve aplicar a loção pós-barba. Pra quem tem espinhas, vale substituir a loção por um tônico ou gel secativo.

Outra dica, esta de Alexandre Y. Okubo, dermatologista e membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia, é sempre enxugar a pele com uma toalha macia, e nunca esfregá-la no rosto para não causar irritação. Ele também reforça os benefícios do uso das loções pós-barba: “Elas têm princípios ativos bactericidas, calmantes e cicatrizantes. Além de hidratar a pele também”, diz o especialista.

Como agir em caso de cortes
Os cortes ocasionados por lâminas descartáveis não são profundos, mas lembre-se de não usar as que estão enferrujadas ou muito gastas.  “Basta lavar com água e sabonete e pressionar com algodão ou gaze por cerca de dois minutos ou até estancar o sangue”, recomenda Alexandre Okubo.

 

Topo