Beleza

Máscaras faciais têm ação profunda e trazem benefícios à pele; entenda como elas funcionam

Thinkstock
Ritual de beleza para ser feito a cada 15 dias, as máscaras faciais proporcionam a renovação da pele imagem: Thinkstock

Isabela Leal

Do UOL, em São Paulo

Além do hidratante e do creme antiidade é possível recuperar a vitalidade da pele do rosto com as máscaras faciais. O cosmético garante uma ação mais profunda e prolongada de seus benefícios. O motivo? “A forma de aplicação contribui para a ação prolongada, já que o produto fica em contato com a pele na concentração mais alta e por mais tempo. Sem contar que a formulação é confiável, por conta do controle de qualidade da indústria”, explica a dermatologista Patrícia Rittes, de São Paulo. “As máscaras possuem uma concentração maior de ativos, a oclusão formada pela camada que se forma sobre a pele promove estímulo da circulação, e facilita a penetração dessas substâncias, levando a resultados eficazes”, complementa a dermatologista Solange Teixeira, colaboradora do departamento de cosmiatria e oncologia da Universidade Federal de São Paulo.

Outra vantagem desses cosméticos é agirem de maneira bem específica. Segundo Solange Teixeira, elas podem ser utilizadas para diversos benefícios como hidratar a pele, fechar os poros, aumentar a luminosidade, controlar a oleosidade, diminuir vermelhidão, entre outros. “Sua aplicação ainda favorece resultados mais imediatos e pode auxiliar procedimentos pré-peeling, acalmar a pele no período pós-peeling e pós-limpeza de pele”, resume a especialista. Para a esteticista Roseli Siqueira, do Centro de Estética Integrada de São Paulo, que leva o seu nome, e há mais de dez anos desenvolve máscaras naturais e industrializadas, esse cosmético é eficiente para qualquer alteração da pele: olheiras, acne, sulcos, cansaço, oleosidade excessiva e bolsas na área dos olhos. “Bastam 15 minutos e a cútis apresenta um aspecto muito mais jovem, renovado”, garante a cosmetóloga.


Efeito coadjuvante
A indicação varia de acordo com a necessidade da pele, mas geralmente as máscaras devem ser usadas uma ou duas vezes por semana ou a cada 15 dias. Mas isso não exclui a aplicação do hidratante ou creme antiidade usados no dia a dia. “Os cremes causam um estímulo diário e, de um modo geral, são formulados com vários princípios ativos. No caso das máscaras, é diferente, há uma predominância de poucos ativos, porém utilizados em alta concentração”, explica Patrícia Ritttes. “E o uso das máscaras também não substitui os cuidados diários com a pele como limpeza, hidratação, e principalmente a proteção solar”, destaca Solange Teixeira.  

De olho no rótulo
São tantas as substâncias das máscaras industrializadas que é preciso ser objetiva na hora de escolher a ideal.  A dermatologista Patrícia Rittes sugere alguns ativos: “Para uma boa hidratação o produto deve ter ácido hialurônico, por permitir que a célula absorva e retenha mais água. Para proteger a pele do envelhecimento, vale conferir se há vitamina C, um dos maiores antioxidantes que existe, funciona como uma vassourinha que manda embora os radicais livres; e para revigorar, basta verificar se contém ácido retinoico, substância que auxilia na produção de colágeno”, explica. Entre os ativos campeões para controlar a oleosidade está o ácido salicílico, que por ser secativo e antiinflamatório, controla a produção de gordura da cútis. “Hamamélis, própolis e melissa também são adstringentes e previnem a acne. Para acalmar a pele, uma máscara deve conter extratos vegetais de camomila, calêndula, azuleno ou aloe vera e por fim, para nutrir e manter a cútis saudável, basta verificar se o produto possui de vitaminas A e E, elastina ou chá verde”, completa Solange Teixeira. Já a cosmetóloga Roseli Siqueira destaca principalmente o poder das flores, do ouro, dos aminoácidos e do chocolate. “Quando o cacau é aplicado na pele, ele libera endorfina através dos nervos sensoriais. Essa endorfina libera neuropeptídeos que na prática trazem a sensação de bem-estar. Esse processo atua como um colágeno natural, aumentando as fibras de sustentação da pele”, esclarece.

 

Efeitos básicos

Em meio a tantos benefícios, destacam-se quatro versões essenciais das máscaras faciais:
DESCANSO
O principal benefício dessas máscaras é amenizar olheiras e o aspecto de cansaço e abatimento da face – por conta de estresse, pouco sono e tensão diários. Entre as substâncias ideais de suas fórmulas não deve faltar vitamina C, silício orgânico ou ácido hialurônico.
PURIFICANTE
Máscaras com essa propriedade deixam a pele limpa, livre de impurezas e de células mortas. Por isso é imprescindível ter ingredientes esfoliantes – químicos (como o ácido salicílico) ou físicos (microgrânulos em gel) – que por promoverem uma leve descamação na camada superficial da cútis, devolvendo à pele um aspecto uniforme e renovado. Além de desintoxicante, atua contra a acne e melhora manchas.
REVIGORANTE
Ingredientes calmantes e renovadores como extratos de plantas, complexos botânicos e algas marinhas trazem viço e “alma nova” à pele. E o melhor: sem deixá-la seca ou craquelada. Assim como as máscaras purificantes, as revigorantes atuam nas células mortas e pontos de oleosidade excessiva, prevenindo o aparecimento de cravos e espinhas.
HIDRATAÇÃO INTENSA
A regra é bem simples: pele hidratada é pele saudável. Os ingredientes hidratantes ajudam a suavizar, neutralizar e reestruturar a cútis. Assim, conserva-se também o equilíbrio e a elasticidade prevenindo a flacidez e a descamação, típicas das peles mais secas e desvitalizadas. Máscaras hidratantes previnem o envelhecimento precoce, já que promove uma profunda renovação celular.
Topo