Beleza

Acne na idade adulta preocupa pacientes e lota consultórios médicos; conheça os tratamentos

Thinkstock
Resista a tentação: apertar as espinhas machuca a pele e gera manchas difíceis de tratar imagem: Thinkstock

Catarina Arimatéia

Do UOL, em São Paulo

Democrática, a acne ataca homens e mulheres indiscriminadamente. Nem mesmo os grandes ídolos estão livres das espinhas e cravos que infernizam o dia a dia dos mortais comuns. Neymar que o diga: o craque está fazendo um tratamento para “trocar de pele” e acabar com o problema. Mas são as mulheres as vítimas preferidas da acne adulta, que costumam aparecer depois dos 25 anos, provocada principalmente por alterações hormonais e agravada por má alimentação, estresse, tabagismo, cafeína, utilização de determinados medicamentos (cortisona e antidepressivos, entre eles), uso inadequado de cosméticos e até mesmo por excesso de vitaminas ou exposição ao sol.

Também pode ser um problema genético. “Já foi demonstrado por estudos que o risco de alguém que possui um parente de primeiro grau com acne na idade adulta desenvolver o mesmo quadro é até três vezes maior do que na população em geral. Além disso, a tendência a ter pele oleosa também é genética, e quem tem pele oleosa tem muito mais chance de ter acne em qualquer faixa etária”, diz a dermatologista Valéria Campos, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD). Ela alerta também para a “acne cosmética”, provocada pelo uso incorreto de produtos hidratantes, excesso de maquiagem, filtro solar inadequado e cremes oleosos nos cabelos.

Mas são as alterações hormonais as grandes vilãs. “A acne adulta está muito envolvida com alterações hormonais nas mulheres, que passam a produzir uma quantidade maior de hormônios masculinos. Em casos mais leves, os exames laboratoriais não se mostram alterados. Em casos mais importantes, há alterações que podem estar associadas à Síndrome dos Ovários Policísticos. Nesse caso, o controle pode ocorrer com o uso de anticoncepcionais prescritos pelo ginecologista”, diz o dermatologista Jardis Volpe, responsável pelo tratamento de Neymar.

O que fazer

  • Gabo Morales/Folhapress

    Neymar se submete a tratamento contra a acne

Como é um problema de múltiplas causas, há vários tipos e graus de tratamentos e produtos, que vão de fórmulas contendo ácido salicílico, enxofre e peróxido de benzoíla a antibióticos e retinóides. Um bom ritual de beleza para quem tendência à acne, de acordo com a dermatologista Valéria Campos, é lavar o rosto duas vezes por dia com sabonete líquido (ou indicado para peles acneicas e oleosas), passar um adstringente suave e aplicar filtro solar com hidrossolúvel associado a produtos secativos. À noite, usar ácidos próprios para combater o problema ou peróxido com ou sem antibióticos. Duas vezes por semana, realizar uma esfoliação com sabonete ou gel específico. Assim como é indispensável a orientação de um dermatologista. também está proibido “tirar”  as espinhas. “A acne da mulher adulta tende a ser mais interna e a prática de espremer machuca tanto que a lesão só piora, o que aumenta a chance de uma cicatriz”, afirma Valéria.

Alta tecnologia
Em casos mais intensos, a tecnologia não pode ser descartada.  O dermatologista Jardis Volpe, responsável pelo tratamento de Neymar, opta por um tratamento integrado. “Gosto de combinar três métodos que funcionam como um combo. Em um mesmo dia pode-se utilizar o Isolaz, aparelho que emite uma luz pulsada associada à sucção. O vácuo consegue drenar as espinhas inflamadas, enquanto a luz tem papel antiinflamatório. Em seguida, é a vez do Genesis, um laser micropulsado que atua na oleosidade excessiva, reduzindo-a e também diminuindo os poros abertos. Por fim, há o Multiwaves, que emite uma luz azul com capacidade de reduzir as bactérias envolvidas no quadro da acne. O controle, porém, deve ser feito com o uso de medicamentos tópicos e orais, se for o caso, e sempre com supervisão dermatológica”.

O número de sessões pode variar entre quatro e seis aplicações quinzenais, sempre dependendo de cada caso. Quando já existem cicatrizes, o tratamento envolve aplicações de laser ou, nos casos mais graves, preenchimentos. As cicatrizes também podem ser tratadas com técnicas como dermoabrasão (lixamento cirúrgico) e peeling médio ou profundo com laser ou com ácidos como retinóico, tricloroacético e fenol, segundo a fisioterapeuta dermatofuncional Marcela Rodrigues.

O arsenal de combate a cicatrizes é intenso. “Há também a subcisão, processo em que se descola com uma pequena agulha a retração das cicatrizes, liberando-as”, conta Jardis Volpe. Em geral, o tratamento dura de 6 a 8 meses.
 
Dieta Amiga
A alimentação tem papel importante na prevenção e combate à acne. Quem sofre com o problema tem uma longa lista de alimentos proibidos, de acordo com a nutricionista Paula Fernandes Castilho, da Sabor Integral Consultoria em Nutrição. “O consumo dos hidratos de carbono refinados, como o açúcar e a farinha, e outras fontes de ácidos gordos, como leite, laticínios, margarinas e óleos vegetais hidrogenados sinteticamente, são bastante prejudiciais. O consumo de cafeína também está relacionado ao aumento de hormônios do estresse, podendo levar ao aumento da acne ou piorar um quadro pré-existente. Outro alimento associados ao problema é a carne vermelha – altos teores de proteína aumentam o IGF1(também conhecido como o Hormônio do Crescimento), fazendo com que as glândulas sebáceas congestionem”, diz ela.

Paula aproveita para falar sobre dois mitos: a de que o chocolate e o amendoim “provocam” espinhas. Na verdade, os alimentos em si são inocentes. “A questão é que tudo o que você come reflete em seu corpo. O doce é rico em gordura saturada e ela, sim, é a vilã dessa história. Quando consumidos com frequência, o açúcar e a gordura podem causar alterações hormonais, provocando a produção excessiva de sebos e entupindo os poros, o que leva a espinhas”.

Em compensação, uma dieta repleta de frutas, legumes e alimentos integrais está liberada. “Alimentos ricos em vitaminas A e C são essenciais para a constituição e a manutenção de uma pele saudável. Vitaminas do complexo B também controlam a produção de sebo. E os ácidos graxos, presentes nos óleos de girassol, soja e milho, e ainda na semente de girassol e na linhaça, são essenciais para o equilíbrio hormonal. Já o selênio, associado à vitamina E e A, podem em doze semanas reduzir a gravidade da acne existente e aliviar as cicatrizes”, segundo Paula. E quem tem pele acneica pode usar e abusar das cenouras, abóbora e legumes verdes escuros, ótimas fontes de vitamina A.

Topo