Tendências de beleza

"Vivemos um século de beleza democrática", diz pesquisadora de tendências; veja suas apostas

Arte UOL
No mural de tendências, algumas das apostas do bureau Stylesight para 2013 imagem: Arte UOL

Olivia Silveria

Do UOL, em São Paulo

Os bureaux de tendências são verdadeiros radares de novidades que vão nortear toda a indústria - de beleza, inclusive - e gerar desejo no consumidor. Por meio de pesquisa e observação, eles ajudam as marcas a chegarem à cor de batom que você vai querer usar de qualquer jeito na próxima temporada, um novo aroma ou ainda as formas que os cabelos vão exibir. Quem adianta as novidades de beleza do próximo ano é a diretora de tendências do escritório brasileiro do Stylesight, Camila Toledo. Saiba o que vem por aí e fique na moda:

Antes de mais nada, defina o trabalho de um bureau de tendências e quais serviços ele presta para a indústria da beleza.
Camila Todelo: Um bureau de tendências possibilita uma empresa se estruturar, planejar e criar produtos que se encaixem com as necessidades do seu consumidor através de seus profissionais treinados para detectar o que existe de mais relevante no momento para o mercado. Uma ferramenta como essa é fundamental para qualquer empresa que queira diminuir seus riscos, e para a indústria da beleza não é diferente. É por meio de um bureau que as informações sobre novos avanços tecnológicos, cores, texturas, embalagens, etc, chegam em primeira mão ao profissional.
 
Quais as principais macrotendências para 2013 e como elas serão interpretadas na beleza?
Ashen - são as cinzas que representam um ciclo de decadência e renascimento. Aqui veremos uma beleza poética com um toque de rebeldia. Olha-se para a arte antiga e monástica para criar looks marcantes com olhos escuros e lábios nude. Um universo monástico lembra a era vitoriana em contrastes de luz e sombra. Tons empoeirados, cinzas e névoas vão criar essa atmosfera dark.
 
Subnation - mescla cores vivas com estilo rebelde para criar uma beleza poderosa com uma cara bem jovem. Uma abordagem anti-conformista ressoa com uma nova geração de tribos urbanas que são chiques e chocantes ao mesmo tempo. Este estilo mescla gêneros diferentes, combinando tudo: desde um cocktail glamuroso a uma atitude punk adocicada. A gama de cores é bem explosiva e vem com adição de efeitos metálicos. Rosas, violetas, verdes e azuis se harmonizam e aparecem em sombras, cabelos e batons.
 
Nutopia - celebra a natureza com ênfase em uma paleta de tons quentes de laranja. Tez clara e texturas úmidas manterão uma aparência leve e fresca. Laranjas e vermelhos florescem em um tema onde a natureza toma de volta o seu lugar de direito no mundo. Há um novo desejo de vida ao ar livre e uma necessidade de experiências novas, manhãs orvalhadas.
 
Clarity - olha para a beleza asiática com seus penteados precisos, cores florais e texturas glossificadas e brilhantes. O extremo oriente vai influenciar duas correntes distintas. Um lado enfatiza a pureza, enquanto toda a tradição aparecerá desenvolvida por uma estética moderna e fantástica.

Quais cores estarão em alta? E como essas cores devem influenciar na maquiagem e na coloração de cabelo?
Tons ácidos e cores suaves se harmonizam em sombras e batons. As cores mais proeminentes serão os tons diversos de azuis, vermelhos, amarelos, rosas e tangerina, enquanto efeitos translúcidos e consistências glossificadas chegam para renovar texturas. Os tons de prata influenciam unhas e sombras assim como os de bronze aparecem em olhos esfumaçados e cabelos. Tons de rosa, azul e verde podem aparecer como mechas nos cabelos.
 
A arquitetura deve influenciar nas formas dos cabelos?
Não necessariamente. Os cabelos aparecem criando um contraste com toda a rigidez de algumas formas. Eles estão mais naturais e sem tanto compromisso com a forma. Eles devem aparecer levemente desgrenhados, ao natural, para criar um ar grunge delicado ou super glossificados e penteados, ao estilo gueixa.

É a moda que influencia os rumos da indústria da beleza?
Sim, a moda em geral influencia muitas indústrias como a automobilísticas, a de interiores e com a beleza não seria diferente.

E como será a relação entre a moda e a beleza no ano que vem?
Em 2013, veremos um grande contraste entre doçura e força, tradição e modernidade. Esses contrastes estarão presentes em formas tanto rígidas como fluídas, e em cores tanto suaves como fortes e cheias de personalidade. A dualidade hoje representa uma sociedade confusa com o presente, mas ao mesmo tempo certa de que tem que caminhar para o futuro. Já o passado, definitivamente, não terá mais vez.
 
Sendo assim, isso significa que não veremos nenhum revival de nenhuma década? Como um olho gatinho, um coque sessentinha...
O revival dos anos 60, por exemplo, tão forte nas próximas estações, estará tão trabalhado com alta tecnologia que o futuro domina toda e qualquer característica de década. Todas as silhuetas já foram trabalhadas em uma época ou outra. O peplum é do século 19, que voltou nos anos de ladylike 40/50, depois deu uma voltinha nos 80 e agora está de volta. Sendo assim, não faz mais sentido falar em releitura de década ou moda retrô, já que pensamos e trabalhamos as silhuetas de forma totalmente futurista hoje em dia.
 
E se haverão tantos contrastes, podemos dizer que será uma época de beleza democrática? Os padrões estarão menos rígidos?
Com certeza já vivemos um século de beleza democrática. Os padrões podem andar em tribos, mas não determinam mais apenas um estilo de vida. Lisos, cacheados, ondulados, a única regra que impera nos dias de hoje é cada um encontrar a sua beleza, o que funciona para você. Hoje falamos em indíviduo dentro do coletivo e não ao contrário. Algumas celebridades podem ter cortado o cabelo bem curtinho, como a Rihanna, mas isso, no mundo de hoje, apenas representa uma nova ideia no ar e não algo a ser seguido.

Topo