Cuidados com a pele

Práticos, óleos corporais hidratam a pele profundamente; veja como usar

Isabela Leal

Do UOL, em São Paulo

Verão geralmente é sinônimo de férias na praia, ou de idas frequentes à piscina. Resultado: a pele sofre com o sol, o cloro e o sal, fatores que favorecem o ressecamento. Por isso, um reforço na hidratação nunca é demais, como por exemplo usar e abusar dos óleos corporais. Para quem não sabe, seus benefícios vão além da praticidade e da emoliência – aquela sensação de pele macia como uma seda. Sim, eles cumprem bem a missão de hidratar, tanto quanto um bom creme ou loção para este fim. “Dependendo do óleo, ele pode ser até mais eficiente do que os hidratantes comuns, pois como o próprio nome diz, eles contêm uma quantidade de óleos muito maior que os hidratantes emulsionados (que combinam óleos e água). Além disso, o óleo penetra mais na pele por ter a mesma característica química. Ambos contêm uma quantidade elevada de lipídeos e essa afinidade favorece a absorção dos óleos pela pele”, justifica o farmacêutico Maurício Pupo, presidente da Sociedade Brasileira de Cosmetologia.

De olho na origem
A capacidade de hidratação vai depender da origem do óleo. “Os que têm afinidade com a pele e que permeiam a cútis são os de origem vegetal, que quando aplicados puros sobre a pele, ainda agregam propriedades nutritivas. Óleos minerais, como vaselina ou parafina, não penetram na pele, apenas lubrificam”, completa Pupo, que alerta o consumidor para verificar a presença desses componentes no rótulo antes da compra, ressaltando que são derivados do petróleo, portanto são produtos não sustentáveis por se tratar de uma fonte não renovável. Sendo assim, os óleos vegetais – em menor ou maior grau, dependendo da composição de cada um – hidratam; nutrem, por fornecer ácidos graxos essenciais para a pele; estimulam a produção de colágeno; reforçam a barreira cutânea, pois regeneram a epiderme envelhecida; e ainda atuam como antioxidantes, por conter vitamina E natural. “Como é o caso dos óleos de palma, argan, e também os de semente de uva e girassol. Alguns deles podem até renovar a pele e suavizar sinais de cicatrizes e estrias, como é o caso da rosa mosqueta, que contém ácido retinoico natural em sua composição”, destaca Pupo.

Como aplicar
Os óleos de banho, como o nome indica, são para serem aplicados sobre a pele molhada. As demais versões, teoricamente, devem ser aplicadas sobre a pele seca. Mas isso não é regra, os óleos que não são “de banho” também podem ser aplicados no chuveiro, sem comprometer sua eficácia, pelo contrário. “A pele molhada aumenta a absorção, e portanto a eficácia, de alguns produtos, como os óleos, por exemplo, porque a água dilui algumas substâncias facilitando a penetração de suas moléculas na pele”, explica o dermatologista Alexandre Serdeira, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e professor da Universidade Federal de Juiz de Fora (MG).

Topo