Beleza

Tratamentos estéticos são soluções para afinar e definir os braços

Thinkstock
Mulheres tendem a acumular mais gordura na região dos braços e, muitas vezes, apenas exercícios físicos e dieta equilibrada não são suficientes para manter os membros torneados imagem: Thinkstock

Shâmia Salem

Do UOL, em São Paulo

Se você tem a sensação de que tudo o que come vai parar direto no braço, malha até e não vê melhora nos contornos nem os músculos ficarem mais duros, aí vai a possível explicação: “A gordura da mulher é diferente da do homem, pois as células possuem lacunas entre si que deixam o tecido com aspecto ondulado. Além disso, naturalmente elas acumulam mais gordura do que eles na região dos braços, especialmente a partir dos 25 anos de idade, quando há uma queda no metabolismo que faz até com que a flacidez se torne mais evidente”, diz o fisiologista Alvaro Olivan, da academia Companhia Athletica Morumbi Shopping, em São Paulo.

Uma boa estratégia para virar o jogo a seu favor é praticar atividade física regularmente, que não só queima gordura localizada como fortalece e aumenta a musculatura. “Associar dieta é fundamental, já que ela acelera a resposta do exercício”, avisa Alvaro. Falando em rapidez, se o objetivo é repaginar os braços mais rapidamente, a saída é associar tratamento estético ou, dependendo do caso, cirurgia plástica.

Solução light
Os braços sem definição podem ganhar contornos mais femininos com equipamentos que associam quatro tecnologias: radiofrequência, infravermelho, sucção e massagem. “As duas primeiras aquecem os tecidos profundos levando à contração das fibras que dão elasticidade e sustentação à pele. Já a sucção aumenta a circulação de sangue na região enquanto a massagem elimina os líquidos retidos”, explica a dermatologista Thais Pepe,  professora da Universidade de Santo Amaro (Unisa), em São Paulo. Apesar da definição ser visível já a partir da primeira aplicação, é necessário fazer seis, sendo uma por semana e ao custo médio de R$ 250*.

Quando a intenção é deixar os braços mais firmes, o dermatologista Murilo Drummond, professor titular do Instituto de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas, no Rio de Janeiro, diz que os aparelhos de infravermelho são boas pedidas. “O calor emitido estimula a produção de colágeno e provoca a tensão da pele. O resultado é bastante satisfatório e aparece após três ou cinco sessões, realizadas com intervalos de 15 dias”, conta o médico. Vale lembrar que o tratamento deixa a região vermelha por até duas horas e cada sessão custa cerca de R$ 500 *.

Já para quem reclama dos braços roliços o especialista fala que a técnica mais indicada atualmente é a criolipólise. “Ela promove o congelamento da gordura localizada, que depois é eliminada naturalmente pelo organismo, reduzindo as medidas do braço e melhorando o contorno cerca de um mês depois do tratamento, que muitas vezes exige uma única sessão”, completa Murilo Drummond. O preço da beleza gira em torno de R$ 1,2 mil*. Vale lembrar que a criolipólise pode gerar o efeito picolé, em que a pele fica dura por até 24 horas.

Quando a saída é operar

  • Thinkstock

    A cirurgia plástica só é indicada para quem tem excesso de pele e gordura que ficam evidentes quando a mulher dá "tchau"

A cirurgia plástica é indicada quando há muita pele e gordura pendentes e incomodando a mulher, especialmente quando ela dá tchau, abre os braços ou usa roupas decotadas. “Isso é mais comum entre magras acima dos 50 anos, quem emagreceu bastante, está até 30% acima do peso ideal ou têm braços largos por herança familiar. Porém, é importante lembrar que a operação não melhora em nada músculos enfraquecidos. Isso é conseguido com exercícios físicos para tríceps e bíceps, que são liberados 40 dias após a intervenção”, diz o cirurgião plástico Marcelo Wulkan, de São Paulo, autor do recém-lançado “Desvendando a cirurgia plástica – orientações ao paciente” (Alyá – Universidade Falada).

 

Segundo ele, a flacidez é resolvida com o chamado lifting braquial, que pode ser associado à lipoescultura para, após remover o excesso de pele, eliminar a gordura localizada e melhorar o contorno do braço. Mas isso apenas nos casos em que a pessoa é jovem, tem boa elasticidade de pele e bom tônus muscular. Senão há o risco de corrigir um problema e criar outro. Em situações mais simples, o corte da pele excedente é feito somente na axila, deixando uma cicatriz de três a quatro centímetros. Se a flacidez é intensa, a incisão é feita na parte interna do braço e pode chegar até o cotovelo, atingindo entre dez e 20 centímetros de comprimento.

Tanto o lifting quanto a lipoescultura duram entre uma e duas horas, são feitas com anestesia geral ou local com sedação e realizadas em clínicas especializadas que têm aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Mas o hospital é melhor opção por ser mais bem equipado e seguro para o paciente”, avisa Marcelo Wulkan. Para voltar ao trabalho é preciso esperar pelo menos uma semana e para dirigir, duas. O custo da intervenção varia entre R$ 5 mil e R$ 14 mil*.

*Preços pesquisados pela equipe de reportagem do UOL em clínicas e consultórios de todo o país

Topo