Beleza

Saiba os cuidados que podem evitar o ressecamento da pele no outono

Divulgação/Montagem/UOL
Os efeitos da baixa umidade do ar combinada ao vento frio devem ser combatidos com hidratação apropriada imagem: Divulgação/Montagem/UOL

Marina Oliveira e Rita Trevisan

do UOL, São Paulo

Com a chegada da nova estação, não é só o guarda-roupa que deve estar preparado para a mudança de clima. O outono é caracterizado por uma baixa umidade do ar e pelo vento frio, apesar das temperaturas amenas. Essas condições podem influenciar diretamente a saúde da pele, que precisará de cuidados específicos para não ressecar. "As peles naturalmente secas sofrem ainda mais nesta época do ano. Peles maduras também sentem, especialmente a das mulheres na menopausa", afirma o dermatologista Jardis Volpe. 

O rosto é o mais atingido, mas isso não significa que outras áreas do corpo dispensem cuidados. O problema já começa no banho, que tende a ficar mais quente e demorado. "Isso acelera o processo de ressecamento porque acaba com a proteção natural da pele", alerta a dermatologista Carolina Marçon. Por isso mesmo, o ideal é entrar no chuveiro com água morna e não prolongar a ducha por mais de dez minutos. Na hora de se ensaboar, prefira os sabonetes neutros ou os indicados para bebês. "Não é preciso espalhar espuma pelo corpo todo, muito menos usar buchas; apenas pés, axilas e região genital precisam de sabonete", garante Carla Bortolotto, dermatologista e professora. 
 
 
Hidratação profunda 
 
Após o banho, deve-se começar o ritual de hidratação da pele. "O ideal é enxugar o corpo levemente, sem esfregar a toalha, e aplicar o hidratante na pele ainda úmida. Isso vai potencializar o efeito do cosmético", explica Carolina. 
 
Caso a pele já esteja com sinais de ressecamento avançado, como coceira e manchas esbranquiçadas, prefira as pomadas e cremes com textura mais grossa. "Procure nos rótulos dos produtos ingredientes como a ureia, o lactato de amônio, as ceramidas, a vitamina E e a manteiga de karité", aconselha Carla. A quantidade de creme deve ser suficiente para cobrir a área desejada. "Se a pele ficar excessivamente melada ou grudenta, é sinal de exagero. O ideal é que a pele absorva rapidamente o produto", completa Volpe. 
 
Rosto pede mais atenção
 
A limpeza da face deve ser feita apenas com produtos indicados para a região e para o tipo de pele de cada um. "Se a pessoa tem pele seca, o melhor são as loções ou leites de limpeza. A pele normal já aceita sabonetes líquidos. Para a pele oleosa, o ideal são os produtos adstringentes", orienta Volpe. 
 
A hidratação também deve seguir a mesma regra e precisa ser feita apenas com produtos específicos. "No rosto, é aconselhável evitar o uso de cremes muito pesados, para não aumentar a oleosidade. De forma geral, deve-se dar preferência às loções", diz Carla. Segundo a especialista, uma colher de chá de hidratante é suficiente. 
 
Para retirar a maquiagem, prefira demaquilantes à base de água termal e sem álcool, que não agridem a pele já sensibilizada por fatores externos. 
 
E não é porque o calor diminuiu que o protetor solar deve ir para o fundo do armário. "A incidência da radiação UV ainda existe e, por isso, loções com filtro de proteção devem ser aplicadas diariamente, de manhã e antes de sair para o almoço", alerta Carolina.
 
Esfoliante: use com moderação
 
A esfoliação é bem-vinda nesta época do ano, desde que um bom hidratante seja usado na sequência. "Os esfoliantes retiram as células mortas da camada superficial da pele e, com isso, facilitam a absorção do hidratante", explica Carla. Em peles extremamente desidratadas, ela pode ressecar ainda mais; se for este o seu caso, evite. Além disso, o intervalo entre uma esfoliação corporal e outra não deve ser menor do que 15 dias. "No rosto, que tende a acumular mais oleosidade, o produto pode ser usado de duas a três vezes por semana", afirma Carolina. 
 
Tire proveito
 
A chegada de uma estação mais fria também tem o seu lado positivo. A temporada de outono e inverno é a melhor época para realizar tratamentos dermatológicos que exigem o mínimo de exposição ao sol e ao calor, como é o caso dos peelings, da depilação definitiva, dos tratamentos para o rejuvenescimento e para o clareamento de manchas. "Nestes meses a recuperação é muito melhor do que no verão", recomenda Carla.
Topo