Cabelos

Óleo de moringa é aposta da indústria para substituir o argan; conheça

Carol Salles

Do UOL, em São Paulo

Vem aí um novo candidato a desbancar o todo-poderoso argan. Trata-se do óleo de moringa, um superaliado para a beleza do cabelo que começa a receber atenção da indústria de cosméticos. “Assim como o conhecido óleo marroquino, possui propriedades antioxidantes e nutritivas. Mas sua vantagem é que ele também traz minerais em sua composição, que fazem com que sua ação sobre o fio seja mais completa”, diz a cabeleireira Silene Olmo, porta-voz da marca Matrix.

Extraído das sementes de uma árvore originária da África, o óleo também é rico em ácidos graxos, que garantem seu alto poder antioxidante (ou seja, combate os radicais-livres, responsáveis pelo envelhecimento). Além disso, contém alto teor de vitaminas A e E, que recuperam danos causados pelas agressões externas aos fios, ajudam a aumentar a resistência da fibra e, como se não bastasse, ainda protegem dos raios UV.

Como usar
O óleo não é vendido em sua forma pura. “O plantio da moringa é recente no Brasil e, por enquanto, ele só é encontrado em produtos industrializados”, diz a dermatologista Denise Lage, de São Paulo (SP).
Alguns produtos à base do óleo podem ser usados como finalizadores ou tratamento. “No primeiro caso, basta aplicar algumas gotas nas pontas depois da escova, para eliminar o arrepiado”, ensina Silene Olmo. Como tratamento, a expert indica pingar de duas a três gotas em uma colher (chá) de máscara hidratante. Aplique no cabelo e deixe agir conforme instruções da embalagem. “O cabelo ficará hidratado e nutrido”, diz Silene.

Para quem?
Segundo a cabeleireira, o óleo pode ser usado por qualquer tipo de fio que esteja desgastado, ressecado ou com muito frizz. O único cuidado, no entanto, deve ser o de dosar a quantidade de óleo de acordo com cada tipo de cabelo. Donas de fios muito finos, por exemplo, devem usar poucas gotas, para não correrem o risco de ver a cabeleira com aparência ‘lambida’ e pesada.

Topo