Beleza

Maquiadores que ditam tendências revelam suas apostas para 2013

Carol Salles

do UOL, em São Paulo

Modismos não surgem por acaso. No caso da maquiagem, por trás de cada tendência, geralmente há uma cabeça pensante que estudou, pesquisou e adaptou, em forma de cores para o rosto feminino, um sem número de influências. São esses maquiadores que ditam a moda no mundo e indicam o que vamos usar (e amar) nas próximas temporadas. Com exclusividade para o UOL Mulher, quatro dos mais influentes do mundo contam quais são suas apostas para a maquiagem agora.

Tom Pecheux, diretor-criativo da Estée Lauder
“Aposto em cores escuras para os lábios, como o vinho. Tons metálicos pra olhos e rosto também estarão em alta, assim como looks inspirados nos filmes de Hitchcock. Também vejo uma volta da estética grunge.”

Quem é ele
Por pouco Tom Pecheux não vira chef de cozinha. Foi com esse objetivo que, aos 18 anos, aportou em Paris, saído da fazenda no norte da França, onde nasceu. O apelo dos pincéis, no entanto, foi mais forte do que o das panelas, e logo o menino iniciava sua carreira de sucesso na área da beleza. Primeiro, foi assistente da maquiadora Linda Cantello, famosa na época. Depois, começou a assinar capas e editoriais ao lado do então desconhecido fotógrafo Mario Testino e da igualmente anônima editora Carine Roitfeld. A parceria deu tão certo que o trio tornou-se responsável pelas campanhas icônicas da Gucci nos anos 90. Em 1999, Pecheux já era um nome conhecido e requisitado. Foi quando tornou-se diretor criativo da Shiseido e lançou a badalada linha The Makeup. A parceria durou 8 anos. Desde 2009, ele é o diretor criativo da Estée Lauder, contratado para injetar juventude à marca. “Às vezes, falamos de maneira muito séria sobre maquiagem. Na verdade, o assunto é divertido – e é esse nosso objetivo, criar produtos que façam as mulheres ao redor do mundo sonhar”, declara.

Gucci Westman, diretora-artística global da Revlon
“Eu vejo delineadores multicoloridos e de cores brilhantes, uma para o canto interno do olho e outra para os cílios inferiores, por exemplo. Também aposto em sombras azuis e verdes, pele luminosa dourada e máscaras coloridas. Para os lábios, uma bela cor de maçã do amor ou uma linda cor de toranja.”

Quem é ela
Não deve ter sido tarefa fácil deixar a linda atriz americana Cameron Diaz feia e desinteressante no filme “Quero Ser John Malkovich” (1999). Mas Gucci Westman conseguiu. Proibida pelos pais de usar maquiagem, a americana Gucci – cujo nome de batismo é Chelsea – descobriu sua vocação quando passou um ano na Suíça, em um intercâmbio na casa de uma editora de moda e beleza. De volta à sua terra natal, e já trabalhando como maquiadora, certo dia viu sua vida mudar. O maquiador escolhido para uma capa da revista Vanity Fair exigiu passagens em primeira classe e um cachê exorbitante. A fotógrafa – Annie Leibovitz - não teve dúvidas: agendou a desconhecida mas talentosa Gucci no lugar. Logo depois, Gucci chamou a atenção de Grace Coddington, a todo-poderosa diretora criativa da Vogue americana. Daí pra frente, sua carreira deslanchou. Fez filmes, desfiles, editoriais e campanhas publicitárias. Em 2003, aceitou o convite para ser a diretora artística global da Lancôme, cargo que ocupou por 4 anos. Em 2008, tornou-se diretora artística da Revlon, onde está até hoje.  

Gordon Espinet, vice-presidente da M.A.C
“O foco da maquiagem 2013 está na pele perfeita, no contorno do rosto e nas sobrancelhas.”

Quem é ele
Nascido em Trinidad e Tobago, o filho mais jovem de 13 irmãos mudou-se aos 14 anos para o Canadá, onde começou sua carreira de maquiador. Foi lá que ele ajudou a fundar a M.A.C, empresa inovadora e pioneira de produtos profissionais de maquiagem. Foi ele, por exemplo, quem primeiro criou cores de base ideais para as peles negras. Sua fonte de inspiração foi a modelo sudanesa Alek Wek. “A ideia de fazer uma base para ela não foi para criar um best-seller. Mas na primeira vez que ela usou o produto, seus olhos brilharam. Ela ficou encantada, pois sua pele não ficou acinzentada como com outros produtos”, diz. Gordon é responsável, hoje, por treinar os talentosos maquiadores da marca e supervisionar o trabalho deles em mais de 800 desfiles por ano, no mundo todo.

François Nars, fundador e diretor-criativo da Nars
“Eu não acredito em regras quando se trata de beleza, por isso a ideia de usar apenas alguns tons em determinadas temporadas não faz sentido para mim. Se você quer usar um olho iluminado, use. Se quer misturar cores frias no rosto bronzeado, misture. Divirta-se!”

Quem é ele
Nascido no sul da França, teve na mãe fashionista sua primeira e maior incentivadora. Foi por ela que o menino teve contato com a moda e foi por ela também que conseguiu seus primeiros trabalhos como maquiador. Quando saiu da França rumo aos Estados Unidos, logo começou uma parceria de sucesso com os também novatos Steven Meisel, fotógrafo, e Oribe Canales, cabeleireiro. Durante as décadas de 80 e 90, o trio foi o responsável por imagens de moda e beleza icônicas para as revistas Vogue e Elle, fotografando as modelos mais famosas da época – Christy Turlington, Naomi Campbell e Cindy Crawford, para citar algumas. No início da década de 90, François trabalhou por 4 anos com a diva Madonna em muitos de seus clipes e também a maquiou para o livro Sex. Em 1994, com apoio financeiro dos pais, lançou uma linha de 10 batons. O sucesso foi tanto que logo veio a chance de ampliar o negócio, transformando-o em uma marca que leva seu nome. Hoje, Nars é diretor-criativo da marca, além de fotografar as campanhas e acompanhar desfiles mundo afora.

Topo