Beleza

Desodorantes caseiros são naturais e fáceis de fazer; veja receitas

Thinkstock
Embora sejam tão eficazes quanto os industrializados, os desodorantes artesanais têm efeito de menor duração e prazo de validade mais curto imagem: Thinkstock

Marina Oliveira e Rita Trevisan

do UOL, São Paulo

Eles são considerados mais saudáveis, por serem feitos com ingredientes naturais, e podem ser tão eficientes quanto os industrializados. "A eficiência destes dos desodorantes caseiros depende da sua composição. Desde que tenham ingredientes que reduzam a quantidade de bactérias nas axilas, eles serão capazes de inibir os maus odores", explica a dermatologista Flavia Ravelli. 

Os ativos que desempenham essa função são os óleos essenciais que, em sua maioria, são antissépticos. "Cravo, alecrim, tea tree, eucalipto glóbulos e limão siciliano são os mais recomendados para a produção de desodorantes caseiros, por terem uma ação bactericida importante", aponta Sâmia Maluf, aromaterapeuta e proprietária da By Samia. Para quem sofre com o suor excessivo ela recomenda o óleo essencial de cipreste, que diminui o volume da transpiração devido à ação vasoconstritora. 
 
Em geral, o efeito das receitas caseiras dura menos tempo na pele. Os desodorantes naturais devem ser reaplicados de duas a três vezes ao dia, dependendo da pessoa e das condições do clima. O prazo de validade também é menor, não ultrapassando os seis meses. "Para se precaver, sempre que fizer uma receita, coloque uma etiqueta no recipiente com a data em que o desodorante foi produzido", indica Sâmia. Depois de pronto, o produto deve ser armazenado em vidro esterilizado e acondicionado em um local fresco e arejado, longe da luz e do calor. 
 
Pessoas que têm pele sensível devem fazer o teste antes de usar o produto, espalhando uma pequena quantidade da mistura no antebraço e deixando agir por seis horas. "Descontinue o uso caso o local fique vermelho, descame ou comece a coçar", alerta Flavia. Isso porque, apesar de naturais, a maioria dos óleos essenciais pode provocar reações em que tem predisposição. "Nesses casos, a sugestão é aplicar apenas leite de magnésia nas axilas limpas", ensina. 
 
A combinação incorreta de ingredientes ou a alteração na quantidade deles nas receitas também aumenta o risco de alergias. Por isso, é importante ser fiel às recomendações da aromaterapeuta Sâmia Maluf.
 
Desodorante em pasta
Ingredientes: três colheres de sopa de óleo de jojoba, três colheres de sopa de cera de abelha derretida, três colheres de sopa de bicarbonato de sódio, duas colheres de sopa de amido de milho, duas colheres de sopa de óleo de coco, três cápsulas de vitamina E ou um quarto de colher de chá de óleo de gérmen de trigo e 5 gotas de cada óleo essencial: cravo, alecrim, tea tree, eucalipto glóbulos e limão siciliano.
 
Modo de fazer: derreta a cera de abelha em banho-maria. Acrescente o óleo de jojoba, o bicarbonato de sódio, o óleo de coco e o amido de milho e mexa até adquirir uma consistência homogênea. Retire do fogo, adicione os óleos essenciais e a vitamina E e mexa bem. Despeje o desodorante num frasco de vidro esterilizado com tampa. 
 
Desodorante líquido
Ingredientes: 100 ml de água de hamamélis, 90 ml de água deionizada ou destilada, dez ml de vinagre de cidra e 75 gotas de óleos essenciais: 45 gotas de tea tree, 20 de lavanda e dez de cipreste.
 
Modo de fazer: misture todos os ingredientes, deixando os óleos essenciais por último. Despeje o conteúdo em um recipiente de vidro esterilizado com tampa. 
 
Desodorante em pó
Ingredientes: 30 gramas  de amido de milho, dez gramas de bicarbonato de sódio e 30 gotas de óleos essenciais: 15 gotas de tea tree, dez gotas de lavanda e cinco gotas de cipreste.
 
Modo de fazer: misture bem os ingredientes em pó e adicione os óleos essenciais por último. Conserve o desodorante num recipiente de vidro esterilizado com tampa.
Topo