Cabelos

Especialistas dão dicas de coloração para valorizar os fios cacheados

Isabela Leal

Do UOL, em São Paulo

O efeito de uma coloração nos fios enrolados é bem diferente, se comparado com cabelos lisos. O motivo, entre outros, é que o fio reto reflete mais a luz e tende a ser mais hidratado, o que favorece o brilho e a cor, efeito que é geralmente mais difícil de conseguir nos cabelos ondulados e cacheados. Mas isso não é motivo para as cacheadas passarem longe das tinturas. Pelo contrário, a coloração bem-feita pode ajudar. Um bom profissional e técnicas adequadas podem deixar os fios ondulados com um belo tom, moderno e feminino, seja de forma sutil ou mais marcante. Para explicar todos os detalhes sobre coloração, técnicas, cores e reflexos luminosos, UOL Mulher convidou três experts: os coloristas Eron Araújo, do Blend, em São Paulo; Mari Nicácio, do salão Imagem Beauty International, também de São Paulo, e Daniel Fortunato, do badalado Patrick Melville Salon de Nova York. A seguir, eles comentam os aspectos mais importantes para deixar ondas e cachos com um tom harmonioso e moderno.

Como a coloração pode favorecer os cabelos cacheados?
Eron Araújo: Normalmente, os cabelos enrolados são opacos –  por serem enrolados, têm dificuldade de levar a oleosidade natural ao comprimento e pontas. Por isso, os pigmentos artificiais são bem-vindos, pois depositam brilho nos fios através das colorações permanentes ou semipermanentes, que hoje em dia, além de colorir, podem nutrir e deixar esses cabelos frágeis mais sedosos.


Daniel Fortunato: Por serem naturalmente mais ressecados, os cabelos cacheados devem ser tratados com máscaras de hidratação depois da coloração. Nos fios que são muito ressecados, o ideal é esperar uns dias para lavar o cabelo depois da coloração. E, quando lavar, é bom hidratar de novo. Para garantir uma hidratação eficaz, indico sempre usar cremes de pentear para fechar a cutícula do cabelo e não deixar o pigmento fugir.

Como escapar daquela tradicional opção por pontas mais claras?
Daniel Fortunato: Eu tenho visto que muitas mulheres levaram ao exagero esse efeito das pontas mais claras. Algumas usam pontas muito mais claras do que o restante o cabelo, e acaba dando a impressão de que as extremidades do fio estão desbotadas e ressecadas. Aqui em Nova York as mulheres gostam das pontas mais iluminadas, que têm o mesmo tom de cabelo, porém com um brilho mais intenso. Para esse efeito, é bom usar um tonalizante. Quando faço retoques, geralmente, aplico uma coloração na raiz e um tonalizante no comprimento e pontas. Como o pigmento do tonalizante é, por natureza, mais suave que o das colorações, essa combinação garante um tom harmonioso sem grandes contrastes entre raiz e pontas.


Mari Nicácio: Gosto muito de uma cor única nos fios enrolados, especialmente os escuros como chocolate, acobreado, marrom. Essa é uma forma de evitar aquele efeito de “aura” quando o cabelo é curto e repicado. E usar um tom único não fica chapado, porque as curvas do cacho dão movimento, textura, por isso o resultado é diferente, já que a luz é refletida de outra forma nos cabelos cacheados.

As pontas definem o estilo de uma coloração. Então, como essa região deve ser trabalhada nos fios enrolados?
Eron Araújo: Independentemente da textura dos fios, acho bonito pontas luminosas, assim elas funcionam como um “holofote” no contorno do rosto. Não necessariamente é um efeito de californiana, pois essa luminosidade de pontas pode variar de acordo com o comprimento de cada cabelo. O importante é que o fundo tenha um mínimo contraste com o comprimento e pontas.  

Como deixar o tom difuso (sem divisões marcadas de cores), que é moderno, e ao mesmo tempo aparente, desejo de toda mulher?
Daniel Fortunato: O segredo é a aplicação. Costumo separar umas mechinhas fininhas e deixar para aplicar a coloração nelas uns minutos antes de lavar o cabelo. Essa distribuição de cor e tempo garante um cabelo com tons similares uns aos outros, e ao mesmo tempo harmoniosos.


Eron Araújo: Gosto de trabalhar com pigmentos de extra-brilho, que clareiam o cabelo sutilmente, deixando a mulher chique e sensual, sem ficar vulgar.


Mari Nicácio: Mechas largas feitas com o cabelo molhado, em diagonal, deixam um degradé sutil. Quem vê percebe que está luminoso, que tem mechas mais claras, mas é muito sutil. Nada pode ser marcado, definido, o segredo é aquele ar de mistério, de sedução. Esse degradé ilumina e valoriza bastante os traços do rosto.

Algum efeito que rejuvenesce o rosto?
Mari Nicácio: Cores em degradé que sejam mais claras e luminosas perto do rosto proporcionam mais leveza e, por consequência, jovialidade. Os cabelos da Sarah Jessica Parker ilustram muito bem esse efeito.


Eron Araújo: O efeito que rejuvenesce é aquele que traz bem-estar. Por isso, converse com seu cabeleireiro, use referências e tente trazer uma personalidade que seja marcante, mas também fiel a você mesma. Uma dica valiosa é apagar um pouco mais a raiz – se essa região ficar luminosa, o rosto pode ficar pálido. Vale deixar a raiz com um ou dois tons mais escuros do que o restante dos fios.

Topo