Pele

Como cuidar da pele madura e amenizar os sinais da idade

Thinkstock
Cuidados específicos ajudam a amenizar os sintomas do processo natural de envelhecimento da pele imagem: Thinkstock

Isabela Leal

Com o envelhecimento, os processos naturais da pele desaceleram. Ocorre a perda de volume, a produção de colágeno e elastina cai abruptamente, a ação da gravidade começa a aparecer. Resultado: sintomas como flacidez, ressecamento severo, rugas (suaves e profundas), perda da elasticidade e da definição do contorno do rosto são comuns e não poupam ninguém. De acordo com os especialistas, esse processo é natural, proveniente de alterações hormonais, herança genética, estilo de vida e fatores externos (cigarro, sol, pouca ingestão de água, falta de hidratação etc).

A dermatologista Mônica Azulay, professora adjunta da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), explica: “O envelhecimento cutâneo se caracteriza por alterações nas fibras de colágeno e fibras elásticas e na matriz dérmica. Essas fibras se tornam tortuosas, fragmentadas e ocorrem perdas de elementos fundamentais para o vigor da pele – tudo isso junto acarreta o afinamento da cútis, formação de rugas e perda do tônus e da elasticidade. E alguns fatores externos como exposição ao sol, tabagismo, poluição e estresse tendem a piorar essas alterações”, diz ela. E as mulheres têm um fator agravante a mais: a menopausa. “Após esse período, quando ocorre uma brusca mudança hormonal, a pele tende a ficar ainda mais seca, fina e sem vida, e necessita de hidratação redobrada. A perda de volume nas bochechas, pela reabsorção de gordura, é muito frequente. Os sulcos ficam profundos e perde-se a definição do contorno facial”, afirma a dermatologista Mariana Barbato, de Florianópolis (SC), membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, que completa: “A situação é ainda pior para pacientes fumantes e que se expuseram ao sol sem proteção. Os sintomas do envelhecimentos são precoces e mais intensos”.

Mas a intensidade e os sintomas deste processo natural podem ser amenizados com cuidados específicos. Alguns, como proteção solar e evitar o fumo, podem e devem ser iniciados o quanto antes. Mas há muito o que se pode fazer pela pele que já é madura. Veja a seguir alguns aspectos determinantes para inibir esses fatores de degradação da pele.

 

Direto no alvo

Com poucas exceções, a pele na idade avançada tende a ficar muito ressecada, efeito das alterações hormonais. Para driblar o problema, o jeito é turbinar a hidratação, com cosméticos industrializados ou com fórmulas manipuladas. “Além da hidratação, é importante o uso de ativos antioxidantes, minerais, cremes precursores de colágeno, firmadores ou tensores. E, com a manipulação, temos como usar percentuais mais elevados de algumas substâncias necessárias para cada caso”, diz o dermatologista Paulo Roberto Barbosa, diretor da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.

Embora cada mulher tenha uma necessidade, quando os sinais de envelhecimento se instalam, alguns ativos, de um modo geral, são fundamentais nas fórmulas dos cosméticos. São esses ativos que, muitas vezes, podem ser usados em maior concentração nas receitas criadas por médicos do que em cosméticos comuns. Veja quais são e como agem:

Ácido hialurônico: trata-se de um componente natural da pele, mas aplicado topicamente proporciona hidratação, impedindo a perda de água pela cútis, por isso é considerado um potente hidratante.

Ácido glicólico: tem a função de renovação celular e estimula a produção de colágeno. Além disso, atua no fechamento dos poros e revitaliza a pele.

Tretinoína e retinol: derivados da vitamina A, atuam na síntese do DNA, promovendo a renovação celular e estimulando a produção do colágeno.

Vitamina C: além de ser um poderoso antioxidante, estimula a síntese do colágeno. Tem função clareadora tornando o tom da pele mais uniforme. Também promove uma renovação celular.

Ácido kójico: sua função é clareadora, pois age como um inibidor de algumas etapas de formação da melanina.

Vitamina E: um poderoso antioxidante, que protege contra o estresse oxidativo causado pelos radicais livres (partículas invisíveis que causam a degradação da pele e favorecem o envelhecimento).

DMAE: é um dos ativos tensores mais eficazes, atua aumentando a firmeza da pele.

Passado limpo

As manchas são outro problema típico da idade madura, daí a importância de priorizar também os ativos clareadores nos cosméticos utilizados nesse período da vida, embora eles tenham ação limitada. “Os clareadores tópicos penetram até a derme mais superficial, portanto não atingem todas as manchas. As mais resistentes precisam de peelings e laser para um clareamento efetivo. Existem fórmulas prontas nas farmácias que devem ser prescritas pelo dermatologista, mas em alguns casos é necessário fazer uma fórmula personalizada, com uma textura mais adequada ou concentrações específicas de certos ácidos”, declara Mariana Barbato.

Preenchimento facial

Além das rugas, dois sintomas chamam muito a atenção no processo de envelhecimento: a perda de volume facial e a flacidez acentuada. Para esses casos, uma alternativa eficaz é o preenchimento facial injetável feito com ácido hialurônico. “O procedimento devolve o volume às regiões onde houve a diminuição de gordura, mas é preciso muito critério do médico para evitar os excessos. É uma técnica que, sem dúvida, favorece a juventude da pele, ameniza as rugas e até suaviza as olheiras. São benefícios que não conseguimos com os cosméticos”, afirma Mariana Barbato.

Cuidados diários

Um dos segredos para inibir rugas, flacidez e perda do viço é intensificar aqueles cuidados cotidianos que você sempre teve.

- Lave o rosto pela manhã e à noite, mas agora com produtos mais suaves. O ideal é que sejam indicados pelo dermatologista. Caso contrário, a saída é experimentar: depois de lavar o rosto, observe o conforto e a elasticidade da pele, que deve ficar lisinha e macia; se ficar repuxando, é sinal de que o produto precisa ser mais emoliente. No geral, as versões cremosas tendem a ser mais hidratantes do que as transparentes ou em gel.

- Após lavar o rosto, apliquer uma loção tônica de acordo com a necessidade da pele (hidratante, que controla a oleosidade, calmante, purificante, para peles sensíveis etc). O cosmético ajuda a completar a limpeza e fecha os poros. Mas atenção: quem tem pele seca, ou já passou da menopausa, não deve usar as versões adstringentes, que agravam o problema de ressecamento.

- Depois de limpa e tonificada, a pele deve ser hidratada com um potente anti-idade, de preferência aqueles indicados para idades mais avançadas ou as versões manipuladas com ativos personalizados, de acordo com a necessidade da pele.

- De manhã, é fundamental a aplicação de um protetor solar, todos os dias, mesmo quando estiver nublado. Quanto mais clara a pele, mais alto deve ser o FPS. Na praia ou na piscina o fator de proteção deve ser mais alto que o de costume.

- A velha e boa regrinha de nunca dormir com maquiagem deve ser seguida à risca. Alguns tipos, como as que contêm óleos e silicones, podem obstruir os poros e provocar acne. Além disso, o hábito de não retirar a pintura do rosto pode deixar a pele opaca e com aspecto cansado, o que não favorece a cútis que já apresenta sinais avançados de envelhecimento.

- Mulheres que têm muita mancha devem hidratar a pele com cremes que contenham ativos clareadores como vitamina C, ácido retinoico e ácido kójico.

- As cápsulas também são boas aliadas na batalha contra o envelhecimento, pois dessa forma é mais fácil de os ativos serem absorvidos. Nessa fase, os mais indicados são os antioxidantes, como licopeno, vitamina E e vitamina C ,que impedem o dano celular. Mas atenção: elas não são milagrosas e, além de precisarem ser prescritas por um médico ou nutricionista, devem ser tomadas por, no mínimo, três meses para começar a se notar alguma diferença na pele.

Topo