Beleza

Veja produtos e tratamentos que mantêm as mãos jovens

Thinkstock
Além de ser mais fina e estar sempre exposta, a pele das mãos fica ressecada com as constantes lavagens imagem: Thinkstock

Marina Oliveira e Rita Trevisan

do UOL, São Paulo

Não é por acaso que elas revelam facilmente os sinais do tempo. A pele das mãos é mais fina e delicada e fica exposta ao sol quase o tempo todo. Para completar, dão conta de diversas atividades da rotina, como dirigir, fazer limpeza e mexer com plantas. "O excesso de radiação solar acelera o envelhecimento", decreta a dermatologista Ligia Kogos. Além disso, são vários os fatores que agravam o ressecamento das mãos. Segundo a especialista, nessa área há menos glândulas sebáceas, responsáveis pela oleosidade natural da pele. "Além disso, lavamos as mãos várias vezes ao dia e sofremos a agressão de agentes químicos como os detergentes de louça, por exemplo", completa. 

Felizmente, cuidados diários ajudam a combater o envelhecimento precoce e a devolver à pele a maciez perdida. "Um dos mais importantes é usar filtro solar diariamente", ressalta Tatiana Gabbi, também dermatologista. Outra recomendação é usar um hidratante específico diversas vezes ao dia, sempre que lavar as mãos, tendo em mente que quanto mais espesso ele for, mais eficiente. "Se não for possível, pelo menos duas vezes, de manhã e à noite", acrescenta Ligia. Prefira produtos que contenham ureia, ácido glicólico, silicones, óleos de frutas, pantenol, ceramidas e vitamina E. 
 
 
Mesmo que seja tarde para prevenir, ainda dá para amenizar os efeitos do tempo através de tratamentos para hidratar, suavizar as rugas e amenizar manchas causadas pelo sol ou próprias do envelhecimento. Alguns precisam ser feitos em consultório, enquanto outros são realizados em casa mesmo, seguindo prescrição e orientação dos dermatologistas. Saiba mais sobre alguns dos procedimentos comuns:
 
Neve carbônica
Ideal para pessoas de pele clara que querem remover manchas da pele. Praticamente indolor, o procedimento consiste em tocar com a ponta congelada de um aparelho abastecido de nitrogênio líquido nas áreas afetadas. "O frio intenso congela as proteínas superficiais da pele que, após formar uma crosta, se renova", explica Ligia. A pele nova começa a aparecer cerca de 15 dias depois da aplicação e normalmente são necessárias três sessões para um bom resultado. 
 
Microcauterização
Neste procedimento, o calor é responsável pela renovação da pele. Um aparelho com ponta bem fina transforma a energia elétrica em térmica e, quando encostado na pele, cauteriza a área. As crostas formadas caem entre 15 a 20 dias depois da intervenção, para dar lugar a uma pele nova. "É mais doloroso, porém mais preciso para tratar manchas pequenas. Também é ideal para a pele morena", indica Lígia. 
 
Peeling
Esse tratamento é feito em consultório e pode empregar ácidos variados, como o retinóico e o tricloroacético. Depois da aplicação, a pele fica áspera, começa a descamar e inicia o processo de renovação. O resultado final pode ser conferido cerca de dois meses após o tratamento. "Geralmente são feitas de três a seis sessões, dependendo do grau de envelhecimento da pele", destaca a dermatologista Érica Monteiro. 
 
Cremes manipulados
A partir de uma prescrição do dermatologista, fórmulas com ácido retinóico ou ácido glicólico em baixas concentração podem ser aplicadas em casa, exclusivamente à noite. Os cremes levam à descamação lenta e progressiva da pele, clareando a área e removendo manchas mais leves. 
 
Laser para manchas
A luz é direcionada para a área manchada e destrói o excesso de pigmento da pele, levando ao clareamento progressivo. Ainda é um método caro, mas praticamente indolor. "São necessárias cerca de três a cinco sessões para um bom resultado", afirma Tatiana. 
 
Preenchimento com ácido hialurônico
O método que ganhou notoriedade por tratar a celulite também pode ser usado para suavizar os sulcos da pele resultantes do processo natural de envelhecimento. A densidade do ácido hialurônico usado vai depender do grau de comprometimento da pele. "Quando há grande perda de gordura, a restauração é feita com ácido hialurônico de alta densidade. O resultado dura de 12 a 18 meses", aponta Érica. Nos casos em que há poucas rugas para preencher pode-se usar um ácido mais leve e fluído, que estimula o colágeno. "Neste caso, a duração do efeito é de cerca de dois anos", acrescenta Ligia. O preenchimento é feito em apenas uma sessão e não dói.
Topo