Beleza

Perfumaria de luxo traz exposição sobre a lavanda a São Paulo

Divulgação
Exposição Jornada ao Coração da Lavanda, no Espaço Perfume História + Arte, em São Paulo imagem: Divulgação

Bianca Iaconelli

Do UOL, em São Paulo

Até o dia 24 de novembro, no Espaço Perfume Arte + História, em São Paulo, a exposição "Jornada ao coração da lavanda: Um encontro com nossas raízes" mostra o mais recente trabalho da plataforma sustentável GIN - Givaudan Innovative Naturals, da suíça de perfumes Givaudan. A mostra é a primeira a vir ao Brasil e traz vídeos, fotos e essências que explicam a importância do componente, bem como contam mais detalhes sobre o funcionamento da ação da marca em prol de elementos naturais de extrema importância para o universo perfumístico.

A Givaudan, que figura entre as líderes em produção e distribuição de fragrâncias no mundo, descobriu que a lavanda poderia entrar em extinção em um futuro bem próximo. Por meio de suas pesquisas, a empresa soube que uma praga conhecida como Fitoplasma de Stolbur estava enfraquecendo e ameaçando o cultivo da lavanda na região de Provença, na França. Por isso, decidiu tomar uma atitude.

Recorrendo à esse seu projeto, a empresa se uniu à cooperativa agricultores locais CRIEPPAM, que conta com cerca de 150 funcionários. A Givaudan entrou com o dinheiro, e os agricultores, com o trabalho de replantio em terras saudáveis. Tudo foi acompanhado pelos perfumistas e químicos da empresa suíça. Segundo a divulgação oficial, esse programa "busca garantir um futuro sustentável ao cultivo da lavanda tradicional da França e compartilhar com produtores locais o cultivo de safras saudáveis".

Como explica a diretora de marketing de perfumaria fina para a América Latina da Givaudan, Flávia Motta, esse não é o primeiro trabalho da plataforma. "Começamos com as ações sustentáveis no inícios dos anos 2000, na Austrália, onde ao lado de comunidades aborígenes, combatemos os trabalhos escravo e infantil em plantações de sândalo. Depois passamos pela Venezuela, onde trabalhamos contra o risco de extinção da tonka. Em seguida, fomos ao Laos ao sabermos do movimento de exôdo rural causado pelo trabalho em torno do benjoim. Nas ilhas Comores e em Madagascar, ajudamos a organizar os produtores para o maior rendimento de ylang ylang e baunilha, respectivamente", conta. Para que pudessem extrair o óleo essencial de lavanda em 2012, o trabalho na França começou em 2007.

As iniciativas anteriores também ganharam mostras que rodaram o mundo a fim de divulgar a plataforma. "É uma honra para a marca se aproximar pela primeira vez desta maneira do Brasil que, há três anos, é o líder mundial de consumo de fragrâncias no mundo, à frente dos Estados Unidos e da Alemanha, que sempre estiveram nas primeiras colocações", afirma Lucia Lisboa, vice-presidente de perfumaria fina para a América Latina da Givaudan. "A lavanda é especialmente importante para o brasileiro. Por ser  uma fragrância fresca, sempre esteve entre os mais usados por aqui. Isso porque ajuda a  refrescar em temperaturas tão altas como as que temos. Sem contar as questões culturais e religiosas, como os primeiros banhos dados em crianças no Nordeste com gotas de lavanda, e a tradicional lavagem das escadarias de igrejas, também feitas com esse elemento".

Será que esta proximidade pode animar os brasileiros a terem o investimento da Givaudan em nossas terras, tão ricas em elementos perfumísticos? "Seria um prazer, pois o Brasil é riquíssimo em materiais naturais, que é o que buscamos preservar, ao invés de apenas utilizar os sintéticos. Mas, por enquanto, o mais próximo que chegamos foi a Venezuela", explica Lucia.

Serviço
Exposição "Jornada ao coração da lavanda: Um encontro com nossas raízes"
Espaço Perfume Arte + História: Rua Doutor Emílio Ribas, 110 - Perdizes
Funcionamento: Terças, quartas, sextas e sábados, das 10h às 18h. Quintas, das 10h às 20h. Domingos, das 12h às 18h.

Topo