Beleza

Corpo também precisa de cremes anti-idade; conheça os benefícios

Thinkstock
Anti-idades corporais vão além da hidratação e prometem diminuir a ação do passagem do tempo na pele imagem: Thinkstock

Isabela Leal

Do UOL, em São Paulo

Quando falamos em cremes anti-idade, a primeira coisa que vem à cabeça é a versão facial. Com razão – o rosto fica em evidência, mais exposto ao sol do que o corpo, tem uma pele delicada, portanto é sim mais vulnerável. No entanto, o corpo também precisa de cuidados e escudos contra o tempo, isto é, cosméticos que vão além da hidratação básica, e ofereçam proteção contra o envelhecimento. “Os mecanismos de desgaste que rosto e corpo sofrem são praticamente os mesmos: declínio das funções das células de defesa e de regeneração, redução de colágeno, ácido hialurônico, elastina e da capacidade de renovação epidérmica”, declara a dermatologista Flavia Addor, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD).

O corpo fala
Essas são as condições parecidas entre rosto e corpo, mas o corpo ainda sofre com outros agravantes naturais. Quem explica é a dermatologista Marcela Studart, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia: “Ao longo do corpo não há muitas glândulas sudoríparas e sebáceas, assim ele tende a desidratar. Além disso, com o passar do tempo, ocorre uma baixa de hormônio, que também favorece a desidratação. E a partir dos 35 anos, em decorrência da perda de colágeno, a flacidez se torna mais evidente”, diz a médica. E ainda têm os fatores “ganho e perda” de peso, que alteram a elasticidade da pele e é mais um ponto a favor da flacidez.


O antídoto
Se analisarmos todos esses sintomas fica bem claro quais são as necessidades do corpo e como os cremes podem auxiliar a beleza nessa luta anti-idade. O cosmético ideal deve ter efeito antioxidante (contra os radicais livres) e tensor (que favorece o tônus e a firmeza da pele), proporcionar uma hidratação profunda e promover a renovação celular. E se tiver ação clareadora e proteção solar, melhor ainda.

“Os (cremes) tradicionais tendem a hidratar somente; alguns, nem isso, apenas perfumam a pele e dão a sensação de frescor no momento, mas não tratam”, diz Marcela Studart. A diferença é justamente o fato de os anti-idade possuírem propriedades reparadoras específicas. “Eles trazem um benefício superior se comparados com o hidratante comum, retardando sinais e até mesmo atenuando alguns já instalados”, afirma Flavia Addor.

Algumas regiões sofrem mais
Os braços e o colo ficam mais expostos ao sol e, assim, viram alvo fácil dos radicais livres, os aceleradores do envelhecimento. Sob esse aspecto, essas regiões são tão frágeis e vulneráveis quanto o rosto, mas elas ainda perdem a batalha. “O rosto responde melhor aos tratamentos de reparação, pois contém mais glândulas, maior irrigação sanguínea. Essa é uma característica genética do organismo”, afirma Flavia Addor.

No entanto, isso não significa que os cremes façam mais efeito no rosto. Flavia Addor explica que vai depender do produto e que para colo e braços é importante que o cosmético tenha ativos antioxidantes para ter mais resistência contra o efeito nocivo do sol. Mas, claro, melhor ainda é aplicar regularmente protetor solar nessas áreas muito expostas, como prevenção, principalmente no verão.

 

Topo