Beleza

Adaptar os cosméticos de acordo com a estação traz benefícios extras

Thinkstock
Durante os dias mais quentes, é preciso adaptar a rotina e beleza incluir produtos mais leves, livres de óleo imagem: Thinkstock

Isabela Leal

Do UOL, em São Paulo

A mulher brasileira está entre as mais vaidosas do mundo, tanto que não é raro o Brasil aparecer no topo de consumo de diversas categorias de cosméticos. No entanto, apesar da disposição para se cuidar, as brasileiras ainda cometem deslizes básicos. Quer um exemplo? Elas não têm o hábito de adaptar os cosméticos de acordo com o clima e usam em todas as estações do ano os mesmo produtos e, assim, perdem a oportunidade de obterem benefícios de um tratamento mais específico e, claro, mais efetivo.

Concentrações de substâncias, tipos de ativos, consistência e textura dos produtos – tudo é importante, e diferente, quando se trata de inverno e verão. No frio, por exemplo, os ativos podem ser mais fortes por conta da baixa incidência solar, assim como é a melhor época para os tratamentos com ácidos mais potentes (por afinar a pele). Também é no inverno a época mais propícia para usar hidratantes em cremes ou manteigas corporais. Já, o verão pede loções e seruns de texturas leves, filtros solares com fator de proteção mais altos e maior adstringência na higiene.

Como estamos no auge da temporada de calor, UOL Beleza ouviu duas dermatologistas – Máira Astur, de São Paulo; e Juliana Piquet, do Rio de Janeiro – que a seguir ensinam como cuidar da pele nessa época de alta umidade, muito calor e sol intenso.


HIGIENE
Rosto – No verão, a pele do rosto tende a ficar mais oleosa, além de sofrer com a piora da acne e das manchas. Portanto, a ordem é usar produtos leves, com toque seco como as espumas de limpeza e loções adstringentes que promovem uma limpeza mais profunda e removem melhor resíduos de filtro solar e hidratantes, aplicados habitualmente. Sabonetes líquidos com ácido salicílico ou glicólico também são indicados, pois removem a oleosidade, as impurezas e ainda promovem uma esfoliação suave, favorecendo a penetração de ativos dos cremes de tratamento. Para as peles muito oleosas, lenços de limpeza com ação secativa são bem-vindos.

Corpo – No calor, a ordem é tomar banhos rápidos e com água morna ou fria e usar um gel de banho suave, que limpa sem ressecar. Como há vários tipos de pele, a melhor forma de saber é percebendo o sensorial – sentir conforto, sem repuxamento, e toque de uma pele macia, hidratada. Sabonetes em barra ficam liberados apenas as versões mais emolientes e hidratantes (características indicadas na embalagem).

TONIFICAÇÃO
É a etapa seguinte, depois da higiene facial. Os tônicos complementam a limpeza, acalmam a pele e trazem frescor, além de fechar os poros, equilibrar o pH da pele e ativar a circulação local. Peles secas e normais, assim como a estação de frio, pedem tônicos mais hidratantes e calmantes. Já as versões mais adstringentes são indicadas para peles oleosas e, de um modo geral, para o verão; assim como uma boa borrifada de água termal - um bálsamo no calor. Mas tanto no inverno quanto no verão, o tônico deve ser leve, livre de álcool, de óleo, com ação não comedogênica (que previne cravos) e hipoalergênico.

ESFOLIAÇÃO
Rosto – A indicação é esfoliar a pele de 1 a 2 vezes por semana, mais que isso pode provocar ressecamento e irritação da cútis, além de tirar a camada protetora e comprometer a pele (exposta ao sol, no verão); e nas peles oleosas, efeito rebote. O benefício é remover o excesso de células mortas, uniformizando a cor da pele, mantendo os poros limpos, melhorando a textura e aparência de linhas finas e rugas, além de prevenir a acne e favorecer a penetração dos ativos de tratamento.

Corpo – O ideal, no calor, é esfoliar uma vez por semana, para eliminar resíduos de cremes, protetor solar e poluição, promovendo uma limpeza dos poros e eliminado células mortas. A pele fica mais viçosa e o bronzeado mais uniforme. Atenção: depois da esfoliação, use um hidratante, tanto no verão quanto no inverno.


HIDRATAÇÃO
Rosto – Ao contrário do inverno, quando o ideal são cremes densos, no verão entram em cena os hidratantes mais leves, em loções e seruns, de preferência livres de óleo, que devem conter antioxidantes, como vitaminas C e E, já que o sol favorece a produção de radicais livres. À noite, no verão, vale usar cosméticos de tratamento para manchas, acne e cútis desvitalizadas, assim como ácidos em baixas concentrações como o glicólico, kójico, fítico (o retinoico fica para o inverno).

Corpo – Valem as mesmas dicas para o rosto: os cremes densos e manteigas, do inverno, podem ser substituídos pelos seruns e loções, com alto poder hidratante como os que contêm ureia, ceramidas e karité, de preferência com toque seco. A pele hidratada mantém o bronzeado mais bonito e duradouro.

PROTEÇÃO SOLAR
Rosto – Os danos solares são a maior preocupação no verão, por isso os protetores não podem faltar na rotina de cuidados. Regra número 1: proteger dos raios UVA e UVB; regra número 2, usar um FPS 30, no mínimo. Sendo que o hidratante ou anti-idade habitual são suficientes, desde que tenham FPS 30 ou mais. Para as peles mais escuras, o FPS pode ser 20, no dia a dia. Porém, nos dias de maior exposição solar, na praia ou piscina, o ideal é usar um protetor com FPS acima de 30, como 50 ou mais (mesmo as negras, para prevenir doenças cutâneas e câncer). No inverno, é indicado um FPS 20, no mínimo, que também pode ser no hidratante ou anti-idade, mesmo nas cútis mais claras.

Corpo – No dia a dia, no verão, a proteção deve priorizar regiões que ficam mais expostas como colo, mãos e braços, com um FPS mínimo de 30.  Para a praia ou piscina, vale a regrinha clássica, quanto mais clara e pele, mais alto o FPS, sendo sempre no mínimo o fator 30.

 

Topo