Beleza

Hábitos podem comprometer a beleza; veja a lista dos mais comuns

Thinkstock
Se uma espinha surgir, controle-se! Espremê-la pode significar uma infecção ainda maior e uma mancha difícil de ser removida imagem: Thinkstock

Isabela Leal

Do UOL, em São Paulo

Manter os cuidados com a beleza em dia nem sempre é fácil. Apesar de conhecer a cartilha de cor e salteado – protetor solar é imprescindível, jamais espremer uma espinha, nunca dormir de maquiagem, banho quente faz mal etc – os deslizes acontecem. O problema é que em longo prazo vêm as consequências: rugas precoces, rosto abatido, pele desvitalizada, manchas, e, no caso da negligência com o protetor solar, até risco de câncer. A senha é se policiar e não deixar essas falhas se tornarem hábitos. Para fugir dessa armadilha, confira a seguir os 10 erros mais comuns, que comprometem a beleza e saúde da pele, e procure praticar as dicas das especialistas para evitá-los.

1) Tirar a sobrancelha em excesso
Esse costume implica em prejuízos estéticos e de crescimento do pelo, portanto o ideal é retirar sem exageros tanto na frequência (nada de intervalos muito curtos) quanto na quantidade (sem afinar demais). “As sobrancelhas compõem a harmonia do rosto. A retirada constante e em excesso acaba levando a um desenho muito fino que deixa a expressão da face artificial. O trauma contínuo no bulbo capilar pode levar a uma atrofia do folículo e ao risco dos pelos não crescerem mais”, declara a dermatologista Mônica Linhares, membro da Sociedade Brasileira de Medicina e Cirurgia Estética.

2) Tomar banho muito quente
Muito comum entre as mulheres, esse hábito pode pôr abaixo os benefícios daquele hidratante que você adora. A dermatologista Flávia Martelli, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que a água muito quente manda embora a hidratação natural da pele e acrescenta que quando a cútis está seca favorece o surgimento de irritações como o eczema (descamação da pele, com ou sem prurido). “Banhos quentes causam danos à pele e provocam ressecamento, nenhum hidratante é melhor que a oleosidade natural”, diz a médica. A esteticista e docente da área de saúde e bem-estar do SENAC Largo Treze, de São Paulo, Patrícia Alves Iabrudi Moreira, conta que esse manto hidrolipídico que é atingido protege a pele de microorganismos como fungos, bactérias e vírus. “E também, ao tirar essa proteção, a cútis pode ficar mais grossa e ocorrer o inverso, isto é, aumentar a produção de sebo”, afirma a professora.

3) Dormir sem tirar a maquiagem
Impurezas acumuladas, como, por exemplo, óleo e silicone de alguns tipos de maquiagem, significam poros entupidos e dilatados. Agora, imagine isso por um tempo mais prolongado. Sim, é o que acontece quando dormimos sem retirar a maquiagem. O acúmulo de impurezas nos poros prejudica a eliminação natural do suor e da oleosidade, o que pode levar à acne inflamatória ou cosmética e acelerar o processo de envelhecimento. Para piorar a lista de prejuízos, aumenta significativamente as chances de se formar cravos. E com o tempo, se isso acontece com frequência, a pele vai ficando com um aspecto opaco e com a camada superficial mais grossa. A grande lição: pele limpa, que respira, é pele saudável e prolonga a juventude do rosto. Quem não tem o hábito de lavar o rosto quando chega da festa ou da balada deve descobrir alguma maneira prática de se livrar desse costume, seja com lencinhos demaquilantes ou com algum tipo de demaquilante potente que limpa com facilidade.

4) Espremer espinhas
Se mirar no espelho e ir direto com os dedinhos na espinha é um verdadeiro castigo para a pele. “A espinha é resultado de uma inflamação no folículo sebáceo. Espremê-la pode piorar esse quadro inflamatório e levar ao aparecimento de manchas e cicatrizes no local”, afirma Flávia Martelli. Quando são espinhas esporádicas, o jeito é segurar o impulso e resistir para não espremer, até que ela desapareça. No caso de acne crônica, o ideal é contar com uma ajuda especializada e fazer uma limpeza de pele regular (com os intervalos determinados por um médico). A esteticista do SENAC, Patrícia Moreira, explica por que: “quando um profissional especializado faz a extração, ele segue um protocolo de higienização que previne a piora da infecção”. Outra vantagem da limpeza de pele profissional: usar uma técnica adequada para retirar a espinha, de maneira a causar um trauma menor e evitar manchas depois da cicatrização.

5) Puxar a pele que está descascando (por tomar sol em excesso)
Esse processo é um mecanismo de proteção do organismo que deve ser respeitado, isto é, deixar a descamação acontecer naturalmente, sem puxar a pele, pois enquanto isso a pele de baixo, que está novinha e muito fina, vai criando resistência. Essa pele que foi lesada deve ser muito hidratada – mas não com qualquer hidratante, de preferência com géis refrescantes e pomadas específicas para assadura de bebê, que são próprias para o tratamento desse tipo de lesão – e sob hipótese alguma essa pele de baixo deve ser exposta ao sol. E atenção: nesse caso, a recomendação dos médicos é não usar protetor solar com filtros químicos (os tradicionais) na pele frágil. A ordem é usar barreiras físicas como chapéu, camiseta, short, óculos e, claro, se manter sempre na sombra.

6) Não lavar os pinceis de maquiagem
A necessidade de limpeza vai depender da frequência com que os pinceis são usados. Quem usa diariamente deve lavá-los pelo menos uma vez por semana, para que não acumulem fungos e bactérias, que podem causar infecções na pele. Já quem não usa regularmente, pode lançar mão da limpeza a cada 15 dias. Mas para valer a higienização, eles devem ser muito bem secos (a dica aqui é deixá-los na posição horizontal sobre uma toalha até secarem completamente, nunca seque-os em posição vertical, para não encharcar o cabo nem deformar as cerdas). Os produtos higienizadores de pinceis são eficientes também, mas não substituem a lavagem, principalmente dos pinceis de base e corretivo, que são usados para maquiagens cremosas, as mais difíceis de desprender das cerdas. Para lavar é simples, utilize xampu ou sabonete neutro (os de bebê são perfeitos), enxágue muito bem e ao final da lavagem “esprema” as cerdas (nunca torça) de maneira que elas fiquem na posição original. Sempre lembrando que a etapa da secagem é fundamental.

7) Deixar de esfoliar a pele ou exagerar na esfoliação
Esse é um recurso de tratamento importante, mas que exige bom senso. Para a dermatologista Flávia Martelli, a esfoliação física (com microgrânulos, por exemplo) deve ser feita nas peles mais oleosas e espessas, mas deve ser evitada nas cútis muito finas, secas e sensíveis. “A esfoliação tem a função de remover células desvitalizadas da camada superficial, para evitar a formação de cravos e espinhas. Mas, nas peles muito finas ou com tendência ao ressecamento, há risco de irritação. Nesses casos, é preferível o uso de ácidos na concentração adequada para cada tipo de pele, que vão promover uma esfoliação química e mais controlada”, afirma a médica. “Uma esfoliação feita na medida certa, sem exageros, tem o poder de eliminar rugas e manchas suaves e ainda potencializa o efeito dos ativos dos cosméticos que são aplicados em seguida”, completa a esteticista do SENAC, Patrícia Moreira.

8) Se privar de sono
Não tem como determinar um tempo necessário para o descanso, isso varia de uma pessoa para outra. Mas estudos mostram que uma boa média é dormir de seis a oito horas por noite. A dermatologista Mônica Linhares explica porque é importante descansar: “O hormônio de crescimento é um dos fatores diretamente relacionados ao envelhecimento, quanto mais baixos seus níveis, mais acelerado é o processo de desgaste cutâneo. E esse hormônio recebe estímulo para ser fabricado durante o sono, entre outras situações”, diz a médica. Flávia Martelli destaca outro motivo: “A falta de sono provoca o envelhecimento celular pela formação dos radicais livres. Respeitar a necessidade de sono de cada indivíduo é importantíssimo para o funcionamento adequado de todas as funções celulares do corpo”, declara. Entre elas, as funções cutâneas, que preservam a pele mais jovem e viçosa. Em resumo: sem descanso, a cútis fica mais seca e sem brilho, surgem as olheiras, uma aparência abatida e em longo prazo as rugas. A aparência abatida pode ser solucionada com uma boa noite de sono no dia seguinte ou com uma soneca à tarde, mas bom mesmo é não deixar isso virar hábito. Quanto às olheiras, a dica é fazer compressas de água gelada ou chá de camomila gelado no local – a baixa temperatura promove uma vasoconstricção (redução do calibre dos vasos sanguíneos) e ameniza o aspecto de cansaço.

9) Não passar hidratante antes da maquiagem
Essa dica vai para quem tem pele seca ou normal. Além do efeito estético – o hidratante deixa a pele mais macia, maleável para receber a maquiagem, favorecendo um efeito mais natural e maior durabilidade ao make up – o creme que hidrata traz conforto, evita que os produtos (especialmente base, corretivo e pó) craquelem e nos casos de ressecamento excessivo é mais um tratamento. “Nas peles oleosas, um primer é suficiente para prolongar a duração da maquiagem e manter os poros fechados”, afirma Mônica Linhares. A versão anti-brilho é ideal para este fim.

10) Não usar filtro solar
Quase toda mulher segue à risca as receitas que prolongam a juventude da pele, de um bom creme anti-idade até um tratamento caro, passando pela “coragem” de se submeter a injeções no rosto para aparentar ser mais jovem. Mas, por ironia, a negligência com o filtro solar – uma das maiores causas de envelhecimento precoce – ainda é uma das falhas mais frequentes cometida por elas. Tanto que uma pesquisa realizada em 2012, pela Johnson & Johnson, mostrou que apenas 31% das brasileiras usa protetor solar regularmente. O número é alarmante, se considerarmos o benefício que o produto traz. “O protetor solar é a ferramenta mais eficaz na prevenção do câncer da pele, e também contra o aparecimento de rugas e manchas. Diversos estudos científicos já comprovaram isso e existem protetores solares adequados a todos os tipos de pele, portanto não tem desculpa para não usar”, declara Flávia Martelli. No dia a dia, inclusive no inverno, as peles mais claras ficam protegidas com um FPS 30 e as peles mais morenas com um fator 15. Já na praia ou piscina, peles claras precisam de um FPS 45, no mínimo, e as mais morenas, FPS 30. Textura pegajosa, falta de conforto e preço alto estão entre as principais causas de resistência com o produto, por isso vale lembrar que usar chapéu, camiseta, respeitar o horário mais indicado para tomar sol, ficar na sombra e usar óculos também são eficazes para proteger do sol.

Topo