Beleza masculina

Homens aderem cada vez mais à depilação; veja as melhores técnicas

Thinkstock
A remoção de pelos com técnica de laser definitiva é indicada para áreas onde os pelos encravam com frequência, como na parte de baixo da barba imagem: Thinkstock

Shâmia Salem

Do UOL, em São Paulo

Em nome da higiene, do calor, da praticidade e da beleza, é cada vez maior o número de homens que se depilam em clínicas de estética e consultórios dermatológicos. E não estamos falando apenas dos metrossexuais e dos esportistas. “Empresários, pais, avôs, solteiros ou não, gostam tanto do resultado que estão superando a dor e até a vergonha de se depilar com outro profissional que não o barbeiro”, afirma a esteticista Caroline Baltazar, de Campinas (SP), gerente nacional da Home Depil.

Segundo ela, os mais jovens preferem depilar o peito, o abdômen, o rosto e a costas, que são as áreas que ficam mais expostas, enquanto os mais velhos querem se livrar dos pelos à mostra nas orelhas, no nariz, nas costas e na barba. “Muitos acabam virando fãs da depilação depois de acompanhar o tratamento da namorada, da esposa, da mãe ou da amiga”, conta a dermatologista Valéria Campos, de Jundiaí (SP), especialista em laser pela Harvard Medical School, nos Estados Unidos. “Há também os que buscam a depilação como forma de evitar as manchas escuras que aparecem por causa do barbear vigoroso e frequente”, completa a dermatologista Silvia de Melo, da Clínica Ivo Pitanguy, no Rio de Janeiro.

A boa do laser
A dermatologista Valéria Campos garante que todas as partes do rosto e do corpo podem ser tratadas com laser, sendo que há dois tipos: o que oferece resultados possivelmente definitivos (realizado em consultório médico) e possivelmente temporários (geralmente, são feitos em clínicas de estética e indolores, daí ser um dos preferidos para a região genital).

Na prática, a versão temporária é mais indicada para quem deseja, por exemplo, remover os pelos do peito apenas na temporada do verão. O inconveniente é que existe o risco do método afinar os fios e acabar dificultando a remoção definitiva no futuro. Já para apostar no laser de remoção dita permanente é importante ter em mente que depois dele não há como trazer os pelos de volta em curto prazo (eles demoram, em média, sete anos para reaparecer). “Daí a recomendação de deixar essa opção para as orelhas e áreas em que os fios nascem encravados (como na parte inferior da barba), isolados (caso dos ‘perdidos’ nas maçãs do rosto) ou para quem tem muita barba e deseja diminuir a velocidade de crescimento dos fios”, diz a dermatologista Valéria Campos.

Seja qual for a escolha, a especialista lembra que o laser age melhor em regiões em que os pelos são escuros e grossos, já que a energia liberada pelo aparelho é atraída pela melanina, pigmento que dá cor ao fio, a fim de aquecer e danificar sua estrutura. “É por essa razão que quem tem pele morena ou bronzeada só pode se depilar com um profissional especializado, pois o risco de sofrer uma queimadura ou ganhar uma mancha é maior do que na pele clara”, orienta Valéria Campos.

Caso decida se submeter ao laser é importante saber que precisa evitar a exposição ao sol antes e depois da depilação; aplicar protetor solar várias vezes ao dia; deixar de usar autobronzeador ou fazer bronzeamento artificial; e ficar sem arrancar os pelos por, pelo menos, quatro semanas antes de iniciar o tratamento – raspar com lâmina ou clarear os fios é permitido, porque nessas técnicas a raiz do pelo é mantida.

Outros métodos

  • Thinkstock

    Para quem procura métodos mais baratos e temporários, a cera ainda é a campeã de indicações

Na dúvida ou diante da falta de verba para investir a partir de 50 reais por sessão de depilação prolongada ou a partir de 2 mil reais pela definitiva, a sugestão é experimentar técnicas convencionais realizadas em clínicas de estética. “A cera é mais rápida e barata, sem contar que, com o tempo, afina e diminui a quantidade de pelos. Daí ser bastante usada para depilar pernas, costas, barriga, peito, orelhas, nariz e sobrancelhas”, diz a esteticista Caroline Baltazar. “O excesso de fios na região dos olhos também pode ser eliminado com linha, também conhecida como depilação iraquiana, chinesa ou egípcia, pois agride menos as áreas sensíveis e se enrosca nos fios, arrancando-os pela raiz”, avisa a esteticista Luana Rachele, do salão Ophicina do Cabelo, no Rio de Janeiro. O ponto negativo tanto da cera quanto da linha é a dor que provocam e a durabilidade do resultado, que varia entre 15 e 20 dias. Em média, cada sessão custa a partir de R$ 20.

 

Topo