Beleza

Aplicação de protetor solar em sérum ou mousse exige mais atenção

Thinkstock
Na praia, na piscina ou durante a prática de atividades ao ar livre, a transpiração aumenta e, por isso, é preciso ter cuidados redobrados com a aplicação dos protetores em mousse ou sérum imagem: Thinkstock

Simone Ota

Do UOL, em São Paulo

Se você gosta tanto dos cosméticos faciais com textura em mousse ou sérum que não abre mão deles nem na hora de escolher o protetor solar, aí vai um recado dos dermatologistas: redobre a atenção quando for usá-los na praia, na piscina ou durante a atividade física ao ar livre. “É que nessas condições ocorre um aumento natural na transpiração e na produção de sebo pela pele, o que favorece a remoção de veículos cosméticos mais delicados e menos aderentes, caso da mousse e do sérum”, diz o dermatologista Adilson Costa, chefe do serviço de dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas).

Mas isso não quer dizer que eles só possam ser usados em ambientes fechados. O dermatologista Jardis Volpe, de São Paulo, lembra que já existem versões resistentes à água. “Mesmo assim, é essencial espalhar o protetor solar em mousse ou sérum 20 minutos antes de se expor ao sol, reaplicá-lo assim que sair do mar ou da piscina e repetir a operação a cada duas horas, no máximo”, ensina o médico. A dermatologista Elisabete Dobao, professora de dermatologia sanitária da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, completa: “Se neste intervalo você transpirar demais, tomar uma ducha ou friccionar a pele com a mão, toalha, canga ou o lenço de papel, aplique o produto de novo”.

Para ficar só com o lado bom da mousse e do sérum, como a rápida absorção, o controle do brilho e o toque seco, os dermatologistas orientam para não economizar na quantidade de produto. “Regra geral, recomendo usar o equivalente a uma colher de chá no rosto e no pescoço”, diz Adilson Costa. Grávidas e donas de peles sensíveis também podem se beneficiar das texturas mais leves, principalmente as que têm pele oleosa, mas é aconselhável conversar com o dermatologista.

Topo