Beleza

Cosméticos em espuma reúnem suavidade e eficácia; veja opções

Isabela Leal

Do UOL, em São Paulo

Os cremes hidratantes, antissinais, liporedutores, assim como os xampus, as maquiagens e até os protetores solares, que durante anos ficaram na lista negra dos produtos pesados, estão ficando cada vez mais leves, com consistências fluidas que, em poucos segundos, secam depois do contato com a pele. Em outras palavras, é a era da leveza. E o ícone dessa tendência são os cosméticos em espuma, levíssimos e com um efeito extremamente agradável à pele.

Mas, afinal, o que essa textura tem que é tão gostosa de sentir? Quem explica é o farmacêutico Maurício Pupo, consultor de empresas de cosméticos. “Ela contém gases que são envasados sob alta pressão junto com o produto. E, geralmente, são embalagens especiais com uma válvula que regula a passagem da mistura do produto com o gás, potencializando o efeito da espuma”, conta o especialista.

E não é só: “Tem ainda o aspecto psicológico. Pessoas que não suportam a aplicação de cremes densos podem se dar bem com uma fórmula igual a das versões convencionais, porém na forma de espuma, já que a textura do produto se torna muito mais leve pela quantidade de bolhas de gases”, diz Pupo.

Um veículo mais suave pode ser essencial para o sucesso de um tratamento. “Observamos maior adesão por parte das pacientes quando podem usar os produtos em espuma, por conta da sensação agradável que traz ao sensorial. Assim, fica mais fácil conseguir bons resultados, principalmente para quem tem pele sensível ou oleosa”, declara a dermatologista Máira Astur, de São Paulo.

Produtos pesados: uma lenda
Mesmo com tantas vantagens, no entanto, ainda existe aquela turma que não usa produtos mais leves por acreditar que são mais fracos ou menos eficazes. Ledo engano. “Essa crença não tem fundamento, pois os produtos em espuma têm mostrado excelentes resultados, a exemplo da vitamina C e dos filtros solares, itens superimportantes para os benefícios da pele”, diz Máira.

“O que é preciso entender é que a fórmula é exatamente a mesma. Os gases que compõem o produto se dispersam no meio ambiente, então, quando o cosmético é aplicado, o que fica são os ativos, exatamente os mesmos de um produto comum, que não é em espuma. Essa dispersão dos gases é responsável também pela sensação de absorção rápida, outro fator agradável ao sensorial”, afirma Maurício Pupo.

O farmacêutico ressalta, inclusive, que os gases adicionados na hora do envase não interferem em nada, já que a fórmula não perde nem ganha nenhuma característica biológica ou propriedade terapêutica por conta disso.

Fórmula mais segura
Resumindo: os produtos em espuma são cosméticos tradicionais que foram acondicionados em uma embalagem especial de alta resistência, composta por um frasco e uma válvula que regula a passagem do produto com o gás.

Esse processo favorece uma condição de segurança importante, que é não permitir que o produto tenha contato com o oxigênio do meio ambiente. “Sendo assim, o cosmético não oxida e não é contaminado, permitindo uma vida útil mais longa e também mais estabilidade para os ativos. A fórmula é bem mais estável e segura, tanto para quem produz quanto para quem utiliza”, finaliza Pupo.

Topo