Beleza

Mito ou verdade: cabelos caem mais no outono? Descubra a resposta

Thinkstock
Será que os cabelos seguem o ciclo da natureza e caem mais no outono? Especialistas respondem imagem: Thinkstock

Isabela Leal

Do UOL, em São Paulo

Em algumas situações, o organismo humano parece até acompanhar o ritmo da natureza. No outono, por exemplo, da mesma forma que as folhas começam a cair das árvores para renascerem na primavera, também há, para muitas mulheres, uma sensível perda de cabelos. O fato traz alguns questionamentos: será um mito, crendice popular, de que os fios caem mais na estação ou, de fato, o outono traz alguma mudança efetiva que pode causar a queda dos fios?

Para desvendar essas dúvidas e esclarecer até que ponto o período de estio influencia na perda dos fios, o UOL Beleza conversou com o médico tricologista Ademir Leite Jr., com a cabeleireira e cosmetóloga Cris Dios, proprietária do salão Laces and Hair (SP), e com a terapeuta capilar Sheila Bellotti. Portanto, veja a seguir o que é mito e o que tem fundamento quando se trata da queda de fios no outono.

Os cabelos caem mais durante os meses do outono?
Fato. O tricologista Ademir Leite Jr., diretor da Academia Brasileira de Tricologia, explica que, nosmeses frios, sensores de luz localizados na pele recebem menos luminosidade do Sol. “Essa mudança diminui o estímulo da divisão celular, gerando um número menor de fios, além de enfraquecer a raiz. Resultado: além de os fios caírem mais rapidamente, eles também nascem mais devagar.”


Sheila Bellotti destaca outro fator: “Nessa época, os cabelos ficam mais ressecados por conta da redução da frequência de lavagens e da água do chuveiro mais quente, fatores que estimulam a oleosidade do couro cabeludo e o ressecamento da fibra capilar”, explica a terapeuta capilar. “O ressecamento leva à quebra da fibra e o excesso de sebo tem relação direta com a obstrução do bulbo, que provoca a queda dos fios”, diz ela.

A cosmetóloga Cris Dios ainda conta que muitas clientes que vão ao seu salão durante o outono/inverno reclamam da queda dos fios. “Nesse período, 70% das mulheres chegam aqui reclamando de queda. Entre agosto e fevereiro, por exemplo, apenas 20% têm essa queixa”.

Como o Sol influencia no crescimento dos fios?
A prolactina, que regula o nascimento e crescimento dos fios, tem pouco estímulo em estações com baixa radiação solar, o que pode, sim, favorecer a queda capilar.

No entanto, outras causas, como disfunção de metabolismo, alterações de outros hormônios e até mesmo o desgaste do verão, pela exposição intensa ao Sol e sem proteção da fibra capilar, causam perda de proteínas e outras consequências que levam ao enfraquecimento, ressecamento e danos na fibra capilar e no couro cabeludo.

A perda dos fios acontece apenas nos meses frios?
Mito. O médico Ademir Jr. explica que todo fio de cabelo tem um ciclo de crescimento e está programado para cair desde seu nascimento. “É comum perder de 50 a 100 fios, por dia. Uma perda maior que essa ou a ausência de reposição adequada dos fios pode evoluir para um quadro de calvície”, declara. O tempo de duração e intensidade dessa perda vai depender dos fatores desencadeantes e se dois ou mais desses motivos acontecem na mesma ocasião.

A água do chuveiro mais quente e as mudanças bruscas de temperatura têm relação com a queda?
Sim. A água quente estimula as glândulas sebáceas e consequentemente a produção de oleosidade, o que favorece a obstrução do bulbo, onde nasce o fio. E, para piorar, nessa época de mudanças climáticas aumenta a incidência de dermatite seborreica --a caspa--, o que, segundo Ademir Jr., é uma das manifestações mais comuns associadas à calvície.

A perda que ocorre nessa época chega a causar um impacto visível no volume dos cabelos?
Verdade. Cris Dios esclarece que sim, mas somente quando a perda sazonal, natural da época de outono e inverno, está associada a outros fatores como alterações hormonais, dietas radicais, estresse, anemia, ovário policístico, problemas de tireoide e período pós-parto, entre outros.

Além de motivos clássicos, como baixa imunidade, depressão, uso prolongado de alguns medicamentos e, claro, herança genética. Sheila Bellotti ressalta que o quadro é grave, quando se observa perda dos fios ao lavar os cabelos, no pente, no chão, no ralo do banheiro e no travesseiro e diz que é preciso consultar um especialista para averiguar as causas que, nesse caso, podem ter várias origens. Caso repare que a queda esteja muito intensa, procure um dermato ou tricologista.

Topo