Tendências de beleza

Beleza masculina: bigode precisa ser tão bem cuidado quanto barba e cabelos

Tatiana Izquierdo

do UOL em São Paulo

A barba garantiu espaço entre os homens, com isso, a rotina de cuidados também. Inclusive, segundo recente pesquisa australiana, o uso dela atingiu o seu ápice e, daqui para frente, deve até decair. Mais versátil e criativo, o bigode também marca presença no visual masculino e não é apenas restrito aos “hipsters” - tribo controversa, que tem como característica marcante a aparência moderninha. Aliás, na própria natureza, é possível encontrar diversos tipos de bigodes; vide as morsas, bagres e até macacos, que apresentam essa faixa de “pelos” na face.

Linha do tempo

A origem do bigode não é exata, mas diferentes formatos estiveram em voga ao longo da história. Segundo depoimento de Adam Garone, cofundador do evento Movember*, para o documentário “Mansome” (2012), “um senso de autoridade está ligado ao bigode. Ele é um indício de liderança e masculinidade”. No fim dos anos 70 e durante os anos 80, o visual, no entanto, virou símbolo gay e um de seus grandes representantes foi Freddie Mercury, vocalista do grupo Queen, morto em 1991.

“O bigode teve grande influência histórica, principalmente nos anos 30, em que seu uso era praticamente unânime entre homens, pois representava certa posição de respeito e masculinidade”, explica João Bosco, cabeleireiro do salão Marcos Proença, em São Paulo, que também conta com uma barbearia. Após a onda do metrossexualismo, nos anos 2000, o bigode caiu em desuso, sendo substituído por um visual mais bem alinhado e “limpo”. Por volta de 2010, no entanto, o movimento "hipster" trouxe o bigode de volta com força. Inclusive, na versão brasileira do programa “The Voice” (Globo), o participante Pedro Lima fez sucesso com o seu “bigode grosso” e acabou cativando o público.

Como manter um belo bigode

Para Rafael Melo, do salão House of Beauty, em São Paulo, o bigode deixa o visual do homem estiloso e marcante.“No entanto, usar ou não o ‘acessório’ vai além de estar na moda; é preciso, também, ter personalidade." Para Adam Garone, do Movember, “você não pode deixar o bigode vestir você. É o homem que tem de vestir o bigode”.

Quem é privilegiado naturalmente com o crescimento farto dos pelos faciais precisa apenas se preocupar em escolher um estilo que case com sua personalidade e manter o bigode aparado e bem desenhado. Para os homens que têm falhas nos pelos do rosto, o bigode pode ser alternativa à barba completa ou ao cavanhaque. "Outra função que ele desempenha é disfarçar lábios finos e buço largo", explica o cabeleireiro visagista Claudio Caminha, da Maison Payot, em São Paulo.

Em evidência no rosto, o bigode ainda precisa ser tão bem tratado quanto o cabelo e a barba. “Ele é muito charmoso, mas precisa de cuidados. Um bom designer pode cuidar e aparar os pelos", orienta Melo. Para manter o visual em casa, é necessário ter uma tesourinha para aparar os fios. A frequência do corte varia de homem para homem e depende do quanto os fios crescem.

E lembre-se: "o bigode é sempre um clássico. Mas, como qualquer pelo facial, envelhece o visual", adverte Caminha. Inspire-se no álbum acima, de famosos que usam bigode, e escolha o que mais combina com você.

O Movember - uma junção de “moustache” (bigode) e "november" (novembro) - é um evento anual, realizado em novembro, em que homens deixam seus bigodes crescerem. Criado em 2004 na Austrália, o propósito da iniciativa é aumentar a conscientização sobre questões de saúde dos homens. No Brasil e com a mesma proposta, já existe o “Bigoday”, realizado em agosto.

Topo