Beleza

Dificuldade em achar base ideal é comum; veja cinco dicas essenciais

Carol Salles

Do UOL, em São Paulo

Você chega na loja de cosméticos e olha frascos e mais frascos de base. Perdida, nem sabe por onde começar. Ou resolve fazer a compra pela internet e desiste rapidinho: é impossível selecionar uma pelo nome ou pela cor que a tela do computador mostra. As cenas acima são corriqueiras na vida de uma mulher que adora estar com a pele impecável. De fato, encontrar o tom de base perfeito para a sua pele não é das tarefas mais fáceis. Investir em um, sem experimentar, no caso de uma compra on-line, é arriscado. E, em uma compra presencial, talvez você não encontre a cor adequada, porque ela pode, simplesmente, não existir. 

Uma pesquisa feita em 2005 pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), identificou nada menos do que 125 tons de pele diferentes no Brasil. Em contrapartida, cada marca nacional oferece, em média, dez nuances desse produto. Existem até as que oferecem apenas três, com textura mais fina, que são capazes de se ajustar a vários tons de pele. Algumas grifes estrangeiras chegam a ter uma cartela de cores bem maior, algo entre 30 e 40 tons. Só que nem sempre dá para comemorar, pois é comum essas marcas chegarem ao Brasil com apenas uma parte de seu catálogo.

Uma das explicações pode estar no fato de que  bases mais escuras ou muito claras vendem menos, de maneira geral. Daí a pouca oferta no mercado. Mas será que não está, aí, um nicho a ser explorado? “Durante os testes para definir quantos e quais tons teríamos, incluímos alguns que não têm tanta saída, mas que preenchem lacunas no mercado nacional”, diz Carolina Schoner, coordenadora de comunicação da marca Quem Disse Berenice?, pertencente ao grupo O Boticário.

Fernanda Fadigas, da Escola Madre, que oferece cursos de maquiagem, moda e artes visuais em São Paulo, tem seus truques para driblar eventuais falhas no seu arsenal. Assim como todo maquiador profissional, ela costuma misturar dois tons diferentes para criar a cor ideal para suas clientes. No entanto, admite: “Para quem não é expert, isso não é fácil ou prático. Mas acredito que o mercado está, aos poucos, vivendo uma pequena revolução. A chegada de marcas internacionais pode impulsionar as empresas brasileiras a aumentarem seu leque".

$!$render-component.split('/')[$math.sub($render-component.split('/').size(), 1)]

Se você ainda briga para encontrar a base perfeita para a sua pele, Fernanda dá o "mapa da mina". Acompanhe:

1) Teste a base no colo, que costuma ser um pouco mais bronzeado que o rosto. Assim, haverá uniformidade de tom entre estas áreas. Não teste na mão ou no pulso, pois a pele nessas regiões difere da do rosto;

2) Antes de bater o martelo, observe como ela fica no seu rosto, de todos os ângulos e luzes possíveis. Se estiver em uma loja, vá para a rua e, com um espelhinho, note se a cor fica legal também sob a luz natural;

3) Antes de comprar, pesquise marcas, acabamentos e preços. Na internet, saiba o que outras consumidoras estão falando sobre aquela base que você gostou. Chegue na loja munida de informações;

4) Não consegue encontrar a base perfeita de jeito algum? Escolha uma que seja um tom mais escuro do que o seu. Assim, a diferença será sutil; e,

5) O site em inglês Findation ajuda a encontrar bases que se adaptam ao seu tom de pele. Para isso, é só indicar uma ou mais delas que você já tenha e goste. Quanto mais bases indicar, mais preciso será o resultado.

Topo