Beleza

Dia dos Pais: personalidade e estilo ajudam a encontrar o perfume ideal

Dênis Pagani

Do UOL, em São Paulo

A difícil arte de presentear: você espera que uma data importante fique marcada por um gesto carinhoso, daqueles que diz “me lembrei de você”, mas é obrigado a lidar com a equação do gosto da pessoa em questão. É mais simples quando o presenteado tem uma paixão específica, que já resolve o assunto. No entanto, itens de um universo já conhecido (e adorado), como o dos perfumes, aumenta a probabilidade de acerto. Se o caso em questão é o Dia dos Pais, existe a vantagem do conhecimento e da intimidade.

Uma olhada discreta no lugar onde ele guarda os perfumes vai dar uma pista do que ele gosta de usar. A ideia não é sugerir uma coisa completamente diferente do que ele está acostumado, mas, a partir desses dados, é possível presentear com algo familiar e, mesmo assim, inovador. Acompanhando os lançamentos, é melhor nem tentar: a perfumaria masculina é lugar da tradição. O mesmo estilo de perfume, chamado aromático ou “fougère”, é usado desde sempre como modelo, com pequenas alterações ao longo do tempo.

E outra dica: os pais que se perfumam se encaixam em alguns padrões. Abaixo, veja alguns tipos e identifique o seu pai na hora de presenteá-lo com um perfume. No álbum acima, tem sugestões de perfumes para cada um. Escolha o que mais se encaixa no estilo do seu pai, mas só não esqueça de também fazer o cartão.

Suave e aconchegante
A maioria dos homens encara o ato de se perfumar como uma extensão do ritual de limpeza e bem-estar, e se perfumam depois do banho, com águas de colônia ou perfumes ligeiros, frescos, que você só sente quando dá um abraço nele. Este tipo de pai nunca usou perfume “para sair de noite”. Para eles, a vaidade é uma questão de saúde e limpeza. Na prateleira deste pai, você vai encontrar alguma água de colônia --provavelmente, ele usa a mesma desde sempre. Isso torna a tarefa de encontrar o perfume bem mais simples, já que águas de colônia são muitas e em várias faixas de preço. Por durarem pouco tempo na pele, o compromisso é menor que encarar um perfume o dia inteiro.

Rústico
Este tipo de pai já gosta de perfume, mas gosta de essências tradicionais. Ele é definitivamente masculino, com cheiro de floresta ou de coisas do universo do homem: gel de cabelo, espuma de barbear, de pós barba, etc. Talvez ele não tenha parado muito para escolher, usa um perfume, porque é o que os homens devem usar. Alguns vão achar que certas coisas são desleixo, falta de cuidado, como a camisa grande demais. Se abordado no assunto ele reage com surpresa: “Mas não é assim?”. Olhando os perfumes dele, você vai encontrar um Cool Water (Davidoff) ou alguma coisa parecida, talvez um Azzaro Pour Homme ou Paco Rabanne Pour Homme. Este é o pai do perfume tradicional, da família de aromáticos, cheio de lavanda e de ervas como sálvia ou manjericão.

Alinhado
Outro pai aprecia um certo requinte. Ele gastou mais tempo no cuidado com a própria aparência e se você perguntar se ele é vaidoso, ele não negará. Se tem barba ou bigode, é bem lavado e penteado. Se não tem, jamais foi visto com a barba por fazer, a menos que esteja em um mal momento. Na hora de vestir, vai ter preferência por camisas, sempre muito bem passadas. Pelo menos na parte visível para o mundo, este é um homem de antigamente, a roupa toda no seu lugar, de uma elegância de outras épocas. Este é o tradicional requintado, que se dedicou a encontrar um estilo pessoal ou fez isso com profunda naturalidade e, quando encontrou, se aprofundou nele. Aí o perfume para presentear é de elegância atemporal ou dá essa piscada para perfumes de outras épocas.

Contemporâneo
O último tipo é mais sensível às novidades contemporâneas, do cinema à música, e o perfume é reflexo disso. Para ele, é importante estar incluído nesse tempo e não vai resistir a perfumes de ideias modernas, mas que mexam códigos tradicionais da perfumaria. Este é o pai contemporâneo. 

Topo