Beleza

Pele exige cuidados diferentes em cada faixa etária; saiba tratar a sua

iStock
Hidratar e tonificar a pele é essencial a partir dos 15 anos imagem: iStock

Catarina Arimatéia

Do UOL, em São Paulo

Os velhos e bons genes de família podem influenciar no inevitável processo de envelhecimento da pele, assim como o meio em que as pessoas vivem e as condições ambientais e financeiras. Mas, para quem deseja ficar com a pele boa por anos e anos, há cuidados que podem ser tomados para amenizar ou tentar retardar as marcas do tempo. Exposição solar sem proteção, cigarro, estresse constante e vida sedentária não combinam com pele bonita, saudável e com viço.

Os banhos demorados e muito quentes também devem ser eliminados do dia a dia, já que ressecam e desidratam a cútis. Além disso, os hábitos à mesa não podem ser esquecidos. Uma alimentação equilibrada, segundo a dermatologista Denise Steiner, presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia, é uma ótima aliada da pele, assim como o ritual de limpá-la, tonificá-la e hidratá-la diariamente, em todas as fases da vida. Protetor solar, então, é indispensável.

Mas, além desses cuidados gerais, as faixas etárias costumam apresentar características próprias. Por isso, o UOL Beleza, consultou as dermatologistas Denise Steiner, Daniela Schmidt Pimentel, Carla Albuquerque, Inaê Cavalcanti e Silvia Zimbres para sugerir dicas dos principais cuidados indicados para cada fase da vida. É importante ter a opinião de um médico especialista no assunto antes de tomar qualquer iniciativa que vá além dos cuidados básicos.

Cuidados com a pele de acordo com a idade

  • 15 a 20 anos

    Antes dos 20 anos, deve-se fazer tratamento para prevenir ou eliminar a acne. Limpeza de pele, hidratação e proteção solar são obrigatórios e continuarão no decorrer da vida. Antes disso, é importante já incluir a proteção solar no cotidiano da criança e do adolescente.

  • 21 a 25 anos

    Já é possível começar a pensar em um creme anti-idade recomendado para essa faixa etária. Cuidados de limpeza realizados em casa, como hidratação e fotoproteção, continuam. Mas, apesar de a pele viver um ótimo momento --ainda não há sinais de flacidez ou de envelhecimento--, já é recomendável a limpeza realizada por profissional. Produtos hidratantes devem ser escolhidos de acordo com a pele.

  • 26 a 30 anos

    A partir dessa fase, é necessário usar cremes anti-idade; peelings superficiais podem ser feitos. "Apesar de jovem, a cútis passa a mostrar leves sinais de envelhecimento", alerta Silvia Zimbres. Linhas de expressão começam a aparecer nesse período, necessitando de produtos com ação hidratante e específicos para combatê-las. Entram em cena os primeiros cremes para a região dos olhos.

  • 31 a 35 anos

    "A partir dos 30 anos, começamos a perder por volta de 1% de colágeno ao ano", conta a dermatologista Silvia Zimbres. Ou seja, a elasticidade começa a diminuir. É recomendável cremes para região dos olhos e anti-idade para rosto, pescoço, colo e mãos. Entre os procedimentos, estão: peelings para remover rugas finas, aplicação de toxina botulínica nas marcas de expressão ou leves preenchimentos.

  • 36 a 40 anos

    Nessa faixa, os peelings no rosto e no pescoço já podem ser de médios a profundos. As toxinas botulínicas podem ser aplicadas em intervalos menores de tempo e continuam os procedimentos a laser e luz pulsada para rugas e manchas, assim como laser para pescoço e mãos, para as mais vaidosas. Esses cuidados podem ser mantidos nas próximas faixas etárias.

  • 41 a 45 anos

    A cútis fica mais seca e tonalidade e elasticidade também mudam. Linhas mais profundas começam a surgir em torno da boca e olhos. Caso a mulher se incomode, ela pode procurar especialistas, que indicarão tratamentos apropriados, analisando os componentes que os cremes devem ter. Nessa fase, a mulher já pode considerar um minilifting, caso veja necessidade.

  • 46 a 50 anos

    Nesse período, boa parte das mulheres entra na menopausa, que também traz consequências para a cútis, tornando-a mais frágil ou até mesmo mais pálida. Como a renovação das células passa a ser mais lenta, há uma baixa no viço da pele. Os produtos mais indicados são aqueles com alto poder de hidratação, sem esquecer os antirrugas.Filtro solar e cremes nutritivos noturnos continuam indispensáveis.

  • 51 a 60 anos

    Os cuidados se tornam mais intensos e com hidratação reforçada. Para quem não frequentava as clínicas estéticas, chegou o momento de pensar em fazer tratamentos para reduzir os sinais da idade. Ativos como o retinol e ácidos específicos são recomendados. A partir dos 50 anos, a especialista Denise Steiner já começa a indicar também cirurgia plástica para quem achar necessário.

  • Mais de 61 anos

    Os sinais e manchas se acentuam. A pele ainda fica mais flácida e desidratada. As rugas e os sulcos se tornam mais profundos. Dermatologistas devem indicar tratamentos e cremes de acordo com a situação da pele. Em geral, ácidos retinóicos, hialurônicos e glicólicos são bem recebidos. Preenchimentos, aplicação de toxina botulínica e cirurgia plástica são recomendados, para quem resiste às marcas.

Fonte: dermatologistas Denise Steiner, Daniela Schmidt Pimentel, Carla Albuquerque, Inaê Cavalcanti e Silvia Zimbres

Cuidados com a pele de acordo com a idade

  • 15 a 20 anos

    Antes dos 20 anos, deve-se fazer tratamento para prevenir ou eliminar a acne. Limpeza de pele, hidratação e proteção solar são obrigatórios e continuarão no decorrer da vida. Antes disso, é importante já incluir a proteção solar no cotidiano da criança e do adolescente.

  • 21 a 25 anos

    Já é possível começar a pensar em um creme anti-idade recomendado para essa faixa etária. Cuidados de limpeza realizados em casa, como hidratação e fotoproteção, continuam. Mas, apesar de a pele viver um ótimo momento --ainda não há sinais de flacidez ou de envelhecimento--, já é recomendável a limpeza realizada por profissional. Produtos hidratantes devem ser escolhidos de acordo com a pele.

  • 26 a 30 anos

    A partir dessa fase, é necessário usar cremes anti-idade; peelings superficiais podem ser feitos. "Apesar de jovem, a cútis passa a mostrar leves sinais de envelhecimento", alerta Silvia Zimbres. Linhas de expressão começam a aparecer nesse período, necessitando de produtos com ação hidratante e específicos para combatê-las. Entram em cena os primeiros cremes para a região dos olhos.

  • 31 a 35 anos

    "A partir dos 30 anos, começamos a perder por volta de 1% de colágeno ao ano", conta a dermatologista Silvia Zimbres. Ou seja, a elasticidade começa a diminuir. É recomendável cremes para região dos olhos e anti-idade para rosto, pescoço, colo e mãos. Entre os procedimentos, estão: peelings para remover rugas finas, aplicação de toxina botulínica nas marcas de expressão ou leves preenchimentos.

  • 36 a 40 anos

    Nessa faixa, os peelings no rosto e no pescoço já podem ser de médios a profundos. As toxinas botulínicas podem ser aplicadas em intervalos menores de tempo e continuam os procedimentos a laser e luz pulsada para rugas e manchas, assim como laser para pescoço e mãos, para as mais vaidosas. Esses cuidados podem ser mantidos nas próximas faixas etárias.

  • 41 a 45 anos

    A cútis fica mais seca e tonalidade e elasticidade também mudam. Linhas mais profundas começam a surgir em torno da boca e olhos. Caso a mulher se incomode, ela pode procurar especialistas, que indicarão tratamentos apropriados, analisando os componentes que os cremes devem ter. Nessa fase, a mulher já pode considerar um minilifting, caso veja necessidade.

  • 46 a 50 anos

    Nesse período, boa parte das mulheres entra na menopausa, que também traz consequências para a cútis, tornando-a mais frágil ou até mesmo mais pálida. Como a renovação das células passa a ser mais lenta, há uma baixa no viço da pele. Os produtos mais indicados são aqueles com alto poder de hidratação, sem esquecer os antirrugas.Filtro solar e cremes nutritivos noturnos continuam indispensáveis.

  • 51 a 60 anos

    Os cuidados se tornam mais intensos e com hidratação reforçada. Para quem não frequentava as clínicas estéticas, chegou o momento de pensar em fazer tratamentos para reduzir os sinais da idade. Ativos como o retinol e ácidos específicos são recomendados. A partir dos 50 anos, a especialista Denise Steiner já começa a indicar também cirurgia plástica para quem achar necessário.

  • Mais de 61 anos

    Os sinais e manchas se acentuam. A pele ainda fica mais flácida e desidratada. As rugas e os sulcos se tornam mais profundos. Dermatologistas devem indicar tratamentos e cremes de acordo com a situação da pele. Em geral, ácidos retinóicos, hialurônicos e glicólicos são bem recebidos. Preenchimentos, aplicação de toxina botulínica e cirurgia plástica são recomendados, para quem resiste às marcas.

Fonte: dermatologistas Denise Steiner, Daniela Schmidt Pimentel, Carla Albuquerque, Inaê Cavalcanti e Silvia Zimbres
Topo