Beleza

Truques ensinam a conquistar cabelos brilhosos de Gisele Bündchen; aprenda

Mayara Alves

Do UOL, em São Paulo

Nas propagandas e nas cabeças das famosas, parece que o brilho dos cabelos é quesito obrigatório. Uma das celebridades mais invejadas nesse quesito é a top Gisele Bündchen, que sempre aparece com as madeixas superbrilhantes e bem cuidadas. Mas não é tão difícil assim conquistá-las. Com alguns truques e cuidados no dia a dia, é possível ter o mesmo efeito seja qual for tipo de cabelo.

Engana-se quem pensa que os fios brilhantes são conseguidos apenas com o uso de produtos para este fim. Muito do resultado deve-se à saúde dos cabelos. “Um fio saudável possui brilho natural por estar com todas as suas vitaminas equilibradas e, além de aspecto sedoso, vai ter movimento. Já os mais opacos, provavelmente passaram um processo de perda de queratina e proteína e, por isso, ficam com a aparência seca e porosa”, explica Nelliton Carvalho, hairstylist do Jacques Janine Augusta.

Muitas vezes, o próprio formato do fio pode dificultar a conquista do brilho. Como explica Rodrigo Cintra, hairstylist do Studio W Iguatemi e dos programas Esquadrão da Moda e Programa da Eliana, a oleosidade natural do couro cabeludo não consegue percorrer todo o fio em cabelos ondulados, cacheados e crespos. Além disso, o cabelo cacheado tem suas escamas mais abertas, o que facilita a perda de nutrientes. Por isso, os cuidados com o tratamento devem ser ainda maiores.

Cuidados
O primeiro cuidado começa logo com a lavagem dos fios. A temperatura da água, quando quente, dilata as escamas dos fios, deixando-os opacos, difíceis de pentear e mais vulneráveis ao aparecimento de pontas duplas, além de remover a oleosidade natural. O ideal é que esteja abaixo dos 20°C. “Como no inverno é difícil aguentar um banho morno ou frio, a dica é usar a água fria pelo menos no último enxágue do cabelo, mesmo que seja apenas do meio até as pontas. Assim, as escamas já se fecham e ficam na posição adequada para refletirem a luz e proporcionarem brilho”, ensina Cintra.

O modo de lavar também faz diferença e um erro muito comum é esfregar demais os cabelos. Isso faz com que aumente a chance de quebra dos fios, que ficam mais sensíveis molhados. “Além disso, no momento da lavagem, o fio deve ser enluvado em movimentos contínuos, como se estivéssemos massageando-os, sempre começando pelas pontas, como se estivesse desembaraçando", explica Leonardo Guedes, hairstylist do W Crystal, de Curitiba.

O cabeleireiro Nelliton Carvalho revela que é importante usar produtos de hidratação profunda, como máscaras e ampolas, pelo menos uma vez por semana. “Durante o processo, além de esperar o produto agir por cinco minutos, é preciso massagear os fios para que haja uma maior ação condicionante”, aconselha o especialista.

Para deixar os fios com muito mais brilho, vale ainda uma visita rotineira ao salão de beleza. “Os tratamentos mais indicados para dar brilho são os de nutrição, que cuidam de toda a camada externa do fio, devolvendo os nutrientes que são essenciais para manter o cabelo saudável e flexível”, explica Leonardo Guedes.

Secagem ideal
Esfregar a toalha nos fios não é o método mais indicado para secar os cabelos. Esse costume abre as escamas dos fios e manda embora todo o brilho, isso sem contar que embaraça, provoca o frizz e o volume indesejado. O certo mesmo é apertar a toalha para que ela absorva o excesso de água sem agredir.

Pode parecer estranho, mas o secador é usado como um bom aliado do brilho. “Quando o cabelo entra em contato com o calor do aparelho sua queratina é estimulada, causando a selagem das cutículas, que confere mais brilho. Ao secar sozinho, ao natural, sua estrutura fica mais exposta, por isso os fios não ficam com um brilho tão intenso”, explica Nelliton Carvalho. Depois da secagem terminada, um segredinho extra está em um generoso jato frio com o secador nos fios. O truque ajuda a selar as cutículas para que brilhem ainda mais.

Escolher uma escova adequada, tanto para a hora de modelar como para desembaraçar, também faz toda a diferença paga conseguir o efeito. O ideal é usar aquelas que têm cerdas bem macias, que lustram os fios e, por isso, dão mais brilho, sem interferir no movimento natural. E nada de usar as metálicas ou de madeira. Isso porque, segundo Cintra, esses modelos são muito duros e podem causar quebra.

Já a chapinha não é uma boa aliada na hora de conseguir fios brilhantes. Como Leonardo explica, a prancha proporciona o alinhamento dos fios, mas retira a umidade do cabelo. Isso pode, de início, ajudar no brilho, mas é um efeito artificial, que dura pouco tempo. “Além disso, a temperatura é alta demais e causa muitos danos aos fios”, alerta Cintra.

Fios coloridos
Quem costuma colorir os fios sabe que coloração velha perde o brilho. Na hora do procedimento fica tudo lindo, mas com o tempo o brilho se esvai. A dica de Cintra é usar um tonalizante no intervalo das colorações, que dá muito mais brilho e não agride os cabelos, já que age apenas na camada externa. “Mesmo se a pessoa não tiver coloração, o truque também funciona. É só escolher um tom próximo ao da cor natural”, aconselha o expert.

Vale também ficar de olho na alimentação. Como grande parte da responsabilidade do brilho do cabelo vem da saúde dele, é importante ficar atento a tudo o que se come. “É preciso que o bulbo capilar esteja nutrido e, para isso, é necessário consumir vitamina B, ferro, cálcio, magnésio e proteínas”, diz Monica Aguirre, cabeleireira do salão Galeria.

Produtos de brilho
Usar rotineiramente produtos que proporcionam mais brilho aos fios é uma ótima opção. Entre as opções há sprays, leave-ins, séruns e óleos. “Cabelos com muito volume ou aspecto seco se dão bem com os óleos, porque, além de darem brilho, também ajudam a disciplinar o cabelo”, ensina Leonardo.

E atenção: alguns hábitos podem sabotar a beleza dos fios. Um dos mais comuns, por exemplo, é deixar de usar condicionador porque o cabelo é oleoso. O xampu abre as escamas dos fios, que podem se tornar opacos e frágeis sem o uso de condicionador para fechá-las. O mesmo vale para quem investe em óleos e reparadores de ponta. “Eles não devem ser aplicados na raiz dos fios nem em cabelos muito oleosos”, finaliza Nelliton.

Topo