Beleza

Touca e leave-in adequados reduzem danos causados pela natação aos fios

iStock
Hidratação é essencial para recuperar os danos que a água da piscina causa nos fios imagem: iStock

Isabela Leal

Do UOL, em São Paulo

Praticar esportes aquáticos como natação ou hidroginástica, além de ser um hábito saudável, também é um alívio em dias mais quentes. Mas os ativos utilizados na higienização das piscinas, como o cloro e o método da salinização, para mantê-la livre de fungos, bactérias e outras impurezas, causam danos profundos aos cabelos. E as mulheres que praticam natação sabem muito bem disso. Por isso, para ajudar a cuidar melhor das madeixas, o UOL Beleza conversou com especialistas, que contam quais são os problemas mais comuns que a química da piscina pode causar e como reduzir os danos causados aos fios.

Ressecamento e alteração na cor
Um dos problemas que a água da piscina pode causar é o ressecamento dos fios, já que seus elementos tiram a proteção natural deles. “Tanto o cloro quanto o sal são prejudiciais aos cabelos basicamente pela mesma razão: eles removem a queratina que recobre e protege os fios. Enquanto o cloro provoca escamação e porosidade, o sal desidrata e resseca”, explica a dermatologista Patrícia Rittes, de São Paulo.

Além de ressecar os cabelos, quem pratica natação enfrenta outra questão desagradável: os cabelos ficam esverdeados com o tempo. “Elementos químicos, como o cromo e o magnésio, presentes na água com cloro, se oxidam e, dessa forma, ligam-se aos fios, produzindo o tom esverdeado”, explica a dermatologista Paula Raso, do Rio de Janeiro. No entanto, engana-se quem pensa que são apenas as madeixas claras sofrem alteração da cor. “Sem a proteção da queratina, todo tipo de cabelo, de qualquer cor, fica esverdeado, inclusive os escuros e tingidos”, reitera Patrícia.

Invista em toucas
As toucas para natação evitam o contato dos fios com a água, prevenindo grandes desgastes. O ideal é investir em um modelo de silicone, já que o de látex tende a quebrar os cabelos. “As toucas de silicone são mais maleáveis e mais fáceis de colocar. Elas traumatizam e quebram menos os fios”, afirma Paula Raso. Quem quiser cuidados redobrados ainda pode usar duas. “Recomendo uma touca de lycra por baixo da de silicone, para reduzir ainda mais o atrito com os fios”, recomenda a dermatologista Patrícia Rittes.

Além disso, o uso de protetor solar capilar e silicone em gel, em toda a nuca e atrás das orelhas, diminui a penetração do cloro. Outra dica é nunca entrar na água sem antes aplicar um leave-in próprio para banhos de mar e piscina --usando touca ou não. “Manter os cabelos hidratados é fundamental, pois é a porosidade que facilita a reação de esverdeamento. E molhar bastante com água corrente depois do contato com o cloro é muito importante para prevenção”, ensina a dermatologista Tatiana Gabbi.

Hidratação
Para cuidar bem dos fios, a palavra de ordem é hidratação, que pode ser feita com máscaras, ampolas e finalizadores que tenham essa função. Os mais indicados são aqueles que têm queratina em suas fórmulas, já que, de acordo com Patrícia, esses cosméticos auxiliam, principalmente, na recomposição das escamas capilares. A frequência ideal para fazer o procedimento vai depender do nível de ressecamento do cabelo; quanto mais grave, menor o intervalo entre os tratamentos. 

“Os produtos hidratantes criam uma película protetora ao redor dos fios, protegendo-os dos agentes agressivos como o sol, o sal, o cloro e os ativos à base de cobre. É necessário, também, hidratar o cabelo no salão regularmente”, finaliza a Dra. Tatiana Gabbi.

 

Topo