Beleza

Veja como se livrar das pontas duplas sem apelar para a tesoura

Thinkstock
Exposição ao sol e uso de chapinha e secador colaboram para o surgimento das pontas duplas imagem: Thinkstock

Simone Ota

Do UOL, em São Paulo

Com o verão chegando ao fim, é comum dormir com o cabelo de um jeito e acordar de outro, cheio de pontas duplas. Por trás desta ‘ressaca’ podem estar a maior exposição ao sol, mar e piscina nos últimos meses e a falta de uso de um bom leave-in com filtro solar ou de um produto termoativado na hora de usar o secador ou a chapinha. Deixar de fazer reconstrução nos fios há mais de três meses ou não cortar as pontas também são fatores que colaboram para a bifurcação dos fios. “Esses são os principais responsáveis pelo aparecimento de pontas duplas, mas, o Carnaval, por exemplo, ainda traz outros complicadores, como o abuso dos sprays coloridos, do secador e do babyliss para criar penteados diferentes e divertidos, além de acessórios para manter os fios presos. Tudo isso maltrata demais o cabelo”, afirma a cabeleireira Sonia Nesi, do Studio Sonia Nesi, no Rio de Janeiro.  

Porém, como agora não adianta chorar com o aspecto poroso dos fios, o jeito é contra-atacar com soluções rápidas. Vale usar reparador de pontas, óleo finalizador ou leave-in, pois todos ‘colam’ um fio no outro e ainda dão brilho e hidratam. “O único porém é que o efeito dura até a próxima lavagem. De qualquer forma, é uma boa pedida para prevenir o ressecamento e, consequentemente, as pontas duplas”, diz o cabeleireiro Rodrigo Cintra, do Studio W Iguatemi, em São Paulo.

Coisa de profissional

Se você não quer se iludir, então, corra para um salão de beleza. Alguns já estão equipados com o split-ender pro, um aparelho desenvolvido especialmente para aparar as pontas duplas sem alterar o comprimento e que reduz pela metade o tempo de cadeira do corte bordado, técnica manual em que o cabeleireiro precisa enrolar mecha por mecha no dedo e mantê-la bem esticada para visualizar as pontinhas que ficam saltadas e eliminá-las com a tesoura. “O aparelho faz a mesma coisa, só que com mais precisão, uniformidade e agilidade. Para ter uma ideia, um cabelo longo com pontas duplas pode levar até duras horas e meia para ser corrigido com o corte bordado e cerca de 25 minutos com o split-ender pro”, compara o cabeleireiro Sérgio G., do Hi Salão, em São Paulo.

Segundo o profissional, assim que você faz a limpeza das pontas já dá para perceber o toque macio e a ausência de frizz – por isso, muitas mulheres confundem e acham que o aparelho hidrata –, mas isso não é motivo para recorrer sempre à técnica. “É preciso dar um intervalo mínimo de 60 dias. Caso contrário, o cabelo vai afinando e o corte muda. Como o aparelho não trata o fio, as bifurcações que surgirem por conta do ressecamento, por exemplo, aparecerão novamente”, completa Sérgio G. O cabeleireiro Rodrigo Cinta faz o mesmo alerta e completa: “Para quem está deixando o cabelo crescer, o ideal é cortar um centímetro a cada quatro meses e, neste intervalo, usar o split-ender pro a cada dois meses, no mínimo”. Se ficou interessada, saiba que o procedimento custa, em média, R$ 200 e pode ser feito em qualquer tipo de cabelo, inclusive no cacheado, só que nesse caso é necessário escová-lo antes.

Topo