Vídeos

Virilhas e axilas escuras têm solução; veja como tratar essas áreas

iStock
Axilas e virilhas bem cuidadas são questões e beleza e saúde imagem: iStock

Por Danielle Cerati

Do UOL, em São Paulo

Sabe o que o método de depilação, o atrito com roupas, os hormônios femininos e o uso de desodorantes têm em comum? São os principais fatores que contribuem para a hiperpigmentação de regiões como virilhas e axilas. Por possuírem uma pele mais sensível e estarem em um local de dobra cutânea, essas áreas são mais suscetíveis ao aumento da pigmentação --processo chamado de hipercromia.

Roupas justas, de tecidos grossos ou ásperos, funcionam como uma superfície abrasiva e devem ser evitadas. O uso de desodorantes com alto teor de cloridróxido de alumínio, álcool ou triclosan pode causar irritação ao reagirem com a pele, levando ao espessamento e à mudança de coloração. A depilação feita com lâmina, cremes depilatórios ou ceras, além de inflamações seguidas de encravamento de pelos, têm sua parcela de culpa também. “O melhor método é aquele que irrita menos a pele, e isso é muito individual. Hoje a depilação a laser é a mais indicada, pois diminui a tendência a foliculite”, aponta Laís Rios, dermatologista da rede Duohaus. A dermatologista Valéria Marcondes ainda ressalta: "É ideal que você realize a depilação depois do banho, pois os poros estarão mais abertos e o pelo mais macio”.

Toda vez que a pele é agredida, a tendência é que ela responda produzindo cor, como uma reação ao processo inflamatório ocasionado pelas causas acima. “É basicamente o resultado de um desequilíbrio na função dos melanócitos, células especializadas na produção do pigmento que dá cor à pele, a melanina, em um local específico, que para se proteger contra as agressões sofridas produz em excesso”, esclarece Isabel Luiza Piatti, diretora de pesquisa e desenvolvimento da Buona Vita Cosméticos. Embora o escurecimento seja uma característica da pele, ele se manifesta com maior frequência em pessoas morenas e negras. “Por produzirem mais melanina, estão mais sujeitas à hiperpigmentação. Porém, as pessoas mais claras, que produzem menos melanina, também podem apresentar as regiões da virilha e axilas um pouco mais escuras quando expostas a agentes irritantes”, destaca Edmar Spíndola, dermatologista da Clínica Dermae, em São Paulo.

Como reverter o problema
Entre as opções disponíveis no mercado estão clareamentos a laser, que removem parte da pigmentação escura, o uso de ácidos despigmentadores e peelings superficiais, que não agridem a pele e ajudam na remoção das células mortas. “O tratamento varia de acordo com a causa e deve ser orientado por um dermatologista”, reforça Vanessa Cristina Soares, dermatologista da Clínica Livon, em Santa Catarina. Para manchas residuais, aquelas decorrentes de pelos encravados e traumas durante a depilação, ela sugere a utilização de cosméticos à base de hidroquinona, ácido kójico e ácido azeláico.

Em casa, você também pode tomar alguns cuidados básicos, mas muito valiosos. Veja:

1) Ao se depilar com lâmina, use cremes ou espumas específicas. Suas propriedades emolientes que ajudam a lâmina a deslizar;

2) Após a remoção dos pelos, use filtros protetores. O sol e outras fontes de luz estimulam a atividade dos melanócitos;

3) Cremes hidratantes funcionam como uma barreira para que atritos sejam minimizados. Por isso, não esqueça de usá-los;

4) Esqueça os métodos caseiros de clareamento. Limão com açúcar, aveia com fubá ou pasta de argila não funcionam e podem até colocar a saúde em risco. O limão, por exemplo, é ácido e, quando exposto ao sol, pode queimar e provocar lesões graves na pele;

5) Atente-se aos elementos presentes no seu desodorante e evite fórmulas concentradas.

Topo