Beleza

Terror no salão: internautas contam desastres de beleza no cabeleireiro

Divulgação
Igual a um filme de terror, uma inocente ida ao cabeleireiro pode virar experiência traumática; veja histórias imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

A gente espera ir ao salão e sair de lá maravilhoso, pronto para a balada. Porém, tal qual a um filme de terror, a inocente experiência de estar sob a mira das tesouras de um cabeleireiro pode ser traumática. Um corte torto, problemas de comunicação entre o cliente e o profissional ou uma química malfeita podem rondar os seus pesadelos por anos.

O bom é que, na hora, a gente até pode chorar, mas depois tudo vira fonte de risadas. O UOL Mulher perguntou em sua página no Facebook quais foram os desastres de beleza pelos quais os internautas passaram. Veja algumas das histórias que recebemos: 

Velho careca
“Como presente de aniversário de 15 anos, eu ganhei um relaxamento. Eu estava animadíssima. A cabeleireira pegou o relaxante e jogou no meu cabelo virgem, sem fazer qualquer teste. Ela foi almoçar, falar ao telefone, fazer umas compras… ficou mais de uma hora fora e depois veio tirar o produto. Já em casa, notei que meu couro cabeludo estava pinicando. Quando fui ver, todo o cabelo do meio da minha cabeça tinha caído. Os fios iam saindo em tufos largos na minha mão enquanto eu me desesperava em choro compulsivo. Passei os dois anos seguintes com os fios de lado feito velho careca. Pior que depois, até uns 16, 17 anos, eu não deixava meus namorados da época pegar na minha cabeça. Eles achavam que era por causa de alguma religião, mas era por eu estar careca mesmo”. (Enviada por Palloma Marimoto)

Reprodução/Facebook
Britney Spears em um momento tenso de sua vida capilar imagem: Reprodução/Facebook

Joãozinho sem querer
“Uma vez acabei com um joãozinho sem querer! Estava com o cabelo pouco abaixo do ombro e levei um desenho de como queria o meu cabelo. A cabeleireira perguntou se eu queria o cabelo todo repicado, eu disse que sim. ‘Aqui parece que tem uma parte que é batido, é isso mesmo?’. Respondi que sim, porque não tinha entendido o que significava. Mas batido significa joãozinho. Aí ela foi cortando, cortando o meu cabelo. Eu fiquei tão em choque que eu só fui pedir para ela parar quando já era tarde demais. Nunca tinha usado cabelo curto, depois acabei gostando, mas na hora foi um trauma. Liguei para a minha mãe chorando [risos]”. (Enviada por Mariana Cagnin)

Mico no altar
“Eu ia ser padrinho de casamento e meu amigo que estava aprendendo a cortar cabelo ficou me enchendo o saco para eu deixá-lo cortar o meu. Fui besta e deixei. Quando ele estava cortando escapou o pente da maquininha e passou na zero, estragando o meu corte. Tive que passar a navalha em tudo. Ficou ridículo porque tenho cabeça oval” (Enviada por Diogo Félix).

Cortador de grama
“Platinei o meu cabelo até deixá-lo bem ressecado. Ele estava quase na cintura e resolvi cortá-lo para tirar a parte estragada. A minha cabeleireira tinha viajado, então fiz a pior meleca da minha vida e fui em outra. Pedi para ela deixar curto atrás, com um bico na frente. A mulher não cortou, mas passou um cortador de grama no meu cabelo. Os fios ficaram todos picotados. Chorei muito quando cheguei em casa” (Enviada por Michele Leonete Silva)

“Fui fazer uma tintura, mas saí com o cabelo parecendo um guia de cores, todo estourado, parecendo um espantalho. E ainda queriam que eu pagasse, vê se pode?” (Enviada por Lee Oliver)

“Minha ex-cabeleireira em vez de me deixar com o cabelo platinado como o da Deborah Secco, me fez um monte de mecha. Quando pedi para arrumar, ela só colocou mais blondor por cima e quebrou todo o meu lindo cabelinho. Mais de 2 anos depois e ele ainda não se recuperou direito” (Enviada por Sabrina Barbosa)

Divulgação
Chitãozinho & Chororó e seu corte que era moda nos anos 80, mas não tão querido atualmente imagem: Divulgação

Cascão, Zacarias ou Chitãozinho?
“Pedi para fazer um undercut, mas o barbeiro subiu demais e meu cabelo ficou parecendo o do Cascão, com os fios lisos todo espetados. Ele fez todo o corte comigo sentado de lado, não olhando diretamente para o espelho. Quando ele terminou e eu me olhei, achei meio estranho, mas não tinha reparado ainda que estava tão problemático. Ele até tentou passar gel para ‘consertar’. Cheguei em casa, lavei e sequei e percebi que estava muito ruim. Aí comecei a rir para não chorar” (Enviada por Rodrigo Vicentim)

“Queria chanel de bico, saí parecendo o Zacarias” (Enviada por Ariandni Mendes Kmick)

“Cortaram o meu cabelo igual ao do Chitãozinho e Chororó do passado. Isso já em 2013. Pedi para fazer um corte simples, mas sou zoada até hoje. E o medo agora quando vou no salão? Já vou falando que estilo Chitãozinho eu não quero [risos]” (Enviada por Beatriz Gonçalves)

Topo