Beleza

Campanha de cosmético usa mulheres nuas para pedir produtos sem embalagem

Do UOL, em São Paulo

A marca de cosméticos Lush quis falar sobre o desperdício de embalagens na indústria de beleza. E, para isso, fez uma campanha inspiradora estrelada por mulheres nuas. As imagens foram divulgadas em lojas da Austrália, mas não deve chegar ao Brasil. 

A ação "Go Naked" colocou funcionárias da loja, com suas gordurinhas extras e celulites, em cartazes que ficavam na vitrine da marca. "Nós preferimos ficar peladas assim como 100 de nossos produtos", diz a peça que pontua, ainda, que um xampu sólido economiza três vasilhames de plástico. 

Além das fotos, a marca também colocou vendedores "pelados" -- usando apenas um avental para proteger as partes íntimas -- em lojas do Reino Unido e Nova Zelândia para protestar contra o uso de embalagens. 

Na internet, a campanha recebeu muitos elogios por ser considerada motivacional e sustentável. Porém, as imagens não agradaram tanto os visitantes de um shopping em Queensland. 

A Advertising Standards Bureau (ASB), órgão regulador das propagandas australianas, confirmou denúncia feita no estabelecimento dizendo que a ação é "de natureza pornográfica" e "ofensiva". Depois deste caso, foram registradas, ao todo, quatro reclamações sobre a "Go Naked". Uma delas dizia que as fotos usavam a "nudez para provocar alvoroço". 

"É ofensivo e desnecessário. Fui incapaz de blindar meu filho diante disso já que estava em um pôster no meio do shopping. Quando entrei em contato com a Lush, eles disseram que a mulher [da propaganda] tinha dado o consentimento e então estava OK -- Perdoe-me, mas eu nunca consenti que eu ou meu filho ficássemos expostos à nudez em um passeio semanal no shopping", diz uma das notificaçações.

O fato das modelos estarem se tocando também foi fator preocupante para alguns visitantes do shopping. 

Em comunicado ao "Buzzfeed News", a marca disse que a publicidade foi feita tanto para criticar o uso excessivo de embalagens como para exaltar a beleza natural. Ainda assim, a empresa preferiu tirar a campanha da loja de Queensland cinco dias antes de seu fim. 

Topo