Beleza

Apaixonado por tatuagem, Fogaça fala sobre seus cuidados com os desenhos

Divulgação
Fogaça da cozinha do Jamile no evento da Lolitta para Memo, na quinta-feira (25) imagem: Divulgação

Virna Wulkan

Em colaboração ao UOL, de São Paulo

A mistura do estilo aparentemente brutamonte com coração sensível fez do chef Henrique Fogaça, 41 anos, um dos maiores sucessos do reality show de culinária "MasterChef". E não é só o público ligado em gastronomia que gosta dele como profissional, uma vez que muitas mulheres também se derretem pela sua figura rocker com o corpo praticamente todo tatuado. “Não sei ao certo o número porque elas foram juntando uma na outra. Mas da cintura para cima sou inteiro tatuado, frente e verso. Nas pernas também, menos na parte interna das coxas. A bunda não tatuei”, conta ele ao UOL.

Para manter a arte bem cuidada e com aspecto saudável, o chef adota algumas medidas essenciais. “Logo que você faz a tattoo tem que passar algo para possibilitar uma boa cicatrização da pele. Na minha época era vaselina, agora é Bepantol. Também não pode tomar sol forte porque ele dá reação na tinta com o passar dos anos. Já me descuidei muito, mas hoje passo sempre protetor 20 ou 30 quando me exponho ao sol, principalmente nos ombros e costas”, conta.

Para quem tem interesse em se entregar aos rabiscos na pele, Fogaça ainda pontua ser fundamental procurar um bom profissional e ter atenção na escolha do desenho. “Caso contrário você vai se arrepender e nunca mais querer fazer outra”, afirma. Desde sua primeira tatuagem, um escorpião, que fez aos 15 anos, tem deixado registrado no corpo muitas das pessoas e coisas que marcaram sua vida.

“Várias delas têm significados. Atrás da orelha esquerda fiz uma para o meu filho, João [sete anos], no antebraço direito tem uma deusa oriental que cuida de crianças que é uma homenagem para minha filha Olívia [oito anos], que é especial. Eu já tinha uma sessão marcada quando ela nasceu e aí resolvi fazer esse símbolo que pesquisei em livros. 90% delas são ligadas ao rock, comecei a tatuar por causa da música, do punk rock, hardcore, mas tenho também a cozinha do Sal [um de seus restaurantes], e ingredientes como alho, pimenta...”, conta ele.

Beleza masculina
Fogaça se define como um cara “rústico” e, por ora, não está praticando nenhum esporte --embora tenha planos de voltar ao muay thai por se sentir um pouco fora de forma. “Adoro lutar, gosto do treino, de dar porradas, me traz tranquilidade”, diz. “E estou tentando ficar mais atento à dieta, mas é difícil porque quando estou na cozinha fico experimentando os ingredientes. Ao mesmo tempo eu tenho tudo na mão para poder fazer meu cardápio light.”

E confessa: “Adoro uma comida trash, como todo mundo. Um hamburgão com fritas é das coisas preferidas”. Mas a vontade de mudar existe, prova disso é o nome da nova cachorra: Granola.
 

Topo