Beleza

Transplante de barba é solução para homens que apresentam falhas nos pelos

Getty Images
Ainda que caro, o tratamento pode ajudar a melhorar a autoestima masculina imagem: Getty Images

Cecília Pabst

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Fazer um transplante de barba pode ser a solução para melhorar a autoestima de homens que não conseguem resolver a aparência nem com ajuda de um bom barbeiro. Problemas como pelos ralos ou frágeis, cicatrizes, acne e aquelas áreas que insistem em não completar o contorno do bigode até o cavanhaque podem ser resolvidos.

Ainda pouco discutida no Brasil, a técnica mais utilizada é a "FUE" (sigla em inglês para extração da unidade folicular). Mesmo cada vez mais avançado, o transplante ainda assusta os homens. “Faço dez transplantes de cabelo por mês contra quatro de barba”, conta o cirurgião plástico Mauro Speranzini, que atende no bairro de Perdizes, em São Paulo. Já o cirurgião plástico Raul Mauad, que atende no bairro Itaim Bibi, também na capital paulista, calcula que teve um aumento de até 15% na procura pelo procedimento em sua clínica. No entanto, o preço assusta: em São Paulo custa a partir de R$ 10 mil.

Como funciona?
Na técnica “FUE” os folículos capilares são colhidos preferencialmente do rosto, e de uma região onde eles são mais indesejados (como abaixo do queixo ou na região do pescoço), com ajuda de uma microagulha e implantados na área calva. Caso os pelos doadores do rosto sejam insuficientes é indicado retirar folículos da área posterior da cabeça para reforçar o efeito. Sempre fica uma cicatriz em forma de ponto bastante discreta na região doadora.

A cirurgia é realizada em clínicas com anestesia local e leve sedação, mas o paciente tem alta no mesmo dia e pode até praticar exercícios leves após 24 horas. “Fica bastante inchado nos primeiros dias, mas quem não se incomoda pode voltar a trabalhar normalmente também”, diz Speranzini. É indicado manter repouso no primeiro dia, e jejum antes e depois, por causa da anestesia.

Para os ansiosos vale lembrar que o resultado final não é imediato: os pelos transplantados caem aos poucos durante as primeiras semanas e voltam a crescer somente após três ou quatro meses. “Depois que os novos pelos crescem já pode voltar a se barbear normalmente, pois eles sempre vão crescer no mesmo lugar [devido á estimulação do folículo]”, diz Mauad.

Há três anos o fisioterapeuta Bruno Stradiotto, 35 anos, fez o transplante de barba com o dermatologista Arthur Tykocinski. “Resolvi uma falha no bigode que me incomodava. Fiquei inchado no dia seguinte e só. A barba cresceu no lugar esperado, sinto que ela é mais grossa na região transplantada, mas voltei a me barbear normalmente. O único ponto negativo na época foi ter de usar um xampu específico de tratamento durante algum tempo, que achei muito caro”, lembra.

Quem pode fazer?
O procedimento não é indicado para todos os homens. É preciso fazer uma análise com o médico, além de ter pelos de sobra em outras regiões e que eles sirvam para o resultado esperado. Também é contraindicado para homens com tendência a calvície, para os que costumam sofrer com pelos encravados ou que possuem pelos muito enrolados, por ser difícil remover os folículos inteiros.

“Após os 30 anos o diagnóstico de calvície é mais preciso. Se o homem já tem tendência a ficar careca, não parece uma boa ideia tirar mais pelos que poderão fazer falta no futuro”, diz Speranzini. Por isso, quem passou dos 30 já pode entrar na fila para renovar a barba. Já para os menores de 21 anos os médicos pedem paciência: “é preciso finalizar o desenvolvimento da barba antes de fazer o transplante, pois os pelos ainda podem aumentar naturalmente”, finaliza Mauad.

Não é possível usar o folículo de outra pessoa que possui barba com características melhores, como mais grossa e resistente.“Seria um procedimento caro, complicado e que necessitaria de dura adaptação e acompanhamento com remédios”, diz Speranzini. 

Topo