Cabelos

Sete frases de beleza que você deveria parar de dizer para outras mulheres

Daniel Neri/Arte UOL
Ouvir frases ultrapassadas e preconceituosas sobre beleza ainda faz parte da sua rotina? imagem: Daniel Neri/Arte UOL

Do UOL, em São Paulo

Estar fora do padrão de beleza das passarelas e ser bombardeada por campanhas publicitárias com modelos impossíveis pode ser uma bomba na autoestima das mulheres. Porém, tão prejudiciais quanto essas imagens inalcançáveis são as críticas do dia a dia, principalmente se são feitas por outras mulheres, que sabem o quanto a rotina de cuidados com o visual pode ser opressora e antiquada. O UOL reuniu sete frases que ninguém mais aguenta ouvir.

"Por que você não alisa/penteia/prende o cabelo?"
Quem não tem o cabelo padrão das propagandas de xampu (LISO, leve e solto), já sofreu bastante com essa frase. Assumir a real forma do cabelo, seja ele liso, ondulado, cacheado ou crespo já é uma realidade e uma libertação não só dos procedimentos químicos, como das escovas, babyliss e chapinhas.

"Cabelo branco envelhece"
Pavor para muitas, libertação para várias. Assumir os fios brancos requer muita atitude (e paciência com os comentários maldosos). O que muita gente não sabe é que assim como qualquer cor de cabelo, os fios brancos também exigem cuidados específicos para ficarem lindos e bem brancos! Cai o mito de que cabeleira grisalha é sinônimo de perda da vaidade.

"Cabelo curto é coisa de menino"
Foi-se o tempo em que os longos fios eram a única opção de cabelo para mulheres. Muito mais práticos e bastante versáteis, os cortes curtos conquistaram famosas (como Sophie Charlotte e a top-sensação Ari Westphal) e anônimas a partir dos anos 60 (lembra da Twiggy?). Para transformações radicais ou pela praticidade, o curto nunca sai de moda.

"Não acha que essa maquiagem está muito forte?"
Qual o limite para a maquiagem? Nenhum. Você pode não gostar e não usar, como muitas tops já revelaram fazer, para dar aquele descanso na pele. Você pode amar e abusar de looks ousados --como o batom preto, por exemplo. Para os especialistas da área, tudo é uma questão de personalidade e ocasião.

"Batom e esmalte vermelho são vulgares"
Amiga, você vive no século 18? A cor vermelha nos lábios já foi tabu e hoje é um símbolo feminista. Para quem ainda tem medo de apostar no bocão vermelho, a regra é se sentir à vontade e, como já disse a maquiadora Fabiana Gomes, "o batom vermelho ideal é o que você quiser". Já nas unhas, os tons de vermelho estão longe de serem a opção mais ousada e tudo é permitido.

"Unha 'feita' é mais feminina e higiênica"
Ninguém merece ficar refém do esmalte. Não deu tempo de ir à manicure, que dar um tempo das nail arts ou simplesmente prefere as unhas naturais? É possível deixar a região limpa e linda sem dar ouvidos a essa frase, basta uma rotina fácil de cuidados

"Depilação é mais higiênica"
Livrar-se dos pelos é uma decisão estética e mantê-los tornou-se uma questão de empoderamento feminino. Assim como a maioria dos homens, muitas mulheres já não depilam as axilas. A importância da depilação divide opiniões entre especialistas. "Faz parte da higiene, pois o pelo muitas vezes pode ser fonte de infecção em certas regiões", diz a dermatologia Thais Pepe. Porém, para o também dermatologista Marcelo Bellini, o que se vê nos consultórios é uma febre da retirada de pelos. "Os pelos tem uma função de proteção e a depilação pode ocasionar casos de alergia. A questão do estigma cultural é muito mais forte que a de saúde ou higiene. Uma mulher que opte por não depilar as axilas, por exemplo, precisará somente de um desodorante mais potente, por poderá ter maior proliferação de bactérias na região", diz

 

Topo