Beleza

"Ninguém tem um corpo desses", diz tratadora de fotos da Victoria's Secret

Divulgação
A modelo Candice Swanepoel em campanha de roupa de banho da Victoria's Secret, em 2013 imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

O site "Refinery29" entrevistou anonimamente uma tratadora de fotografias que trabalhou para os catálogos da marca Victoria's Secret, cujo desfile é conhecido por juntar beldades deslumbrantes de lingerie. "Ninguém tem um corpo daqueles", falou a profissional, chamada de Sarah pela página. 

De acordo com o texto, o corpo das modelos começa a ser modificado já durante a sessão de fotos de roupas de banho e lingerie. "A primeira coisa que eles fazem é colocar extensões de cabelo", revelou a fonte. "Acho que nunca presenciei uma sessão em que a modelo estivesse usando apenas o cabelo natural". Além disso, a equipe usa enchimentos para aumentar o tamanho dos seios e das curvas da garota. "Se pegar a roupa de banho na mão, você a sentirá muito mais pesada porque tem espuma costurada." 

Porém, a adição mais estranha --ainda que igualmente óbvia-- é um sutiã por baixo do biquíni ou maiô. "E a gente edita [no Photoshop] para tirar a peça que está por baixo. Quando você está usando um biquíni tomara que caia, é fisicamente impossível ter aqueles seios por causa da gravidade", explicou Sarah. 

A profissional diz, no entanto, que a Victoria's Secret não é a única marca a lançar mão deste tipo de artifício em sessões de foto. Por isso, quando usada por uma consumidora, nenhuma roupa de banho tem o caimento igual ao ilustrado nas campanhas publicitárias em geral. 

Após a sessão, as imagens são retocadas digitalmente. Sarah, que hoje realiza poucos trabalhos de retoque por escolha própria, contou que com frequência pediam para ela deixar os seios das modelos mais redondos, altos, perfeitamente simétricos e maiores. Porém, esta é apenas a primeira mudança que torna os corpos dessas garotas praticamente inatingíveis.

As axilas, por exemplo, são sempre clareadas porque, por mais que a depilação esteja em dia, esta região da pele fica acinzentada na foto. Sabendo que este tipo de intervenção vai acontecer, muitas modelos costumam nem se depilar antes das sessões de fotos de biquíni. "Elas ficam com os braços levantados na clássica pose de praia e têm as axilas peludas. Os pelos pubianos também aparecem, todas essas coisas normais que pessoas que não são modelos têm". 

Na contramão do senso comum, tratadores de imagem também precisam colocar "mais carne" no corpo das modelos, em vez de diminuir suas silhuetas. "Elas são mais magras do que você pensa e nós as retocamos para parecerem mais curvilíneas". Por isso, os editores aumentam bumbuns, escondem costelas aparentes e suavizam corpos ossudos.

Mas, se este tipo de trabalho é preciso, por que as marcas não contratam modelos mais rechonchudas? "Porque elas não vendem". Segundo Sarah, Victoria's Secret testou modelos com um visual diferente durante uma temporada e os consumidores não responderam positivamente, por isso a fonte diz que este padrão inatingível é, também, uma "escolha nossa". 

Sarah acrescentou ainda, que, muitas vezes, um retoque significa, na realidade, a troca da parte do corpo de uma modelo pelo de outra. Principalmente se a posição do corpo da mulher não agrada os editores por ter um gesto estranho. "Muito do objetivo da edição não é fazer um corpo se tornar o ideal, mas evitar que a imagem da pessoa seja criticada."

"Quando se trabalha com fotografia, os ajustes são normais. Aprendemos a acertar a cor para a impressão, clarear a imagem e todos esses detalhes mais técnicos. É para isso que o retoque existe", disse. "O problema é que, em algum momento, alguém estipulou: 'se podemos manipular o fundo da foto, por que não manipular os corpos?' E aí a coisa saiu do controle."

 

Topo