Apartamentos

Empresária cadeirante realiza sonho de ter apê acessível com cara de 'loft'

Karine Serezuella

Colaboração para o UOL, de Ribeirão Preto

A empresária tinha um sonho: um apartamento completamente acessível, mas que não tivesse um 'visual adaptado'. Ao comprar o imóvel na planta, a futura moradora contratou o arquiteto Marcelo Rosset para que ele fizesse as mudanças necessárias à morada de uma cadeirante, ainda durante a construção do edifício. A decoração devia ser inspirada em nos 'lofts' industriais nova-iorquinos.

O projeto previu alterações nas divisões dos cômodos, para que os pedidos fossem atendidos. O apê contava, originalmente, com uma grande varanda, que foi integrada ao 'living' para que o espaço para receber fosse ampliado. Na área íntima, os quatro dormitórios foram revertidos em uma suíte de casal, um quarto para os filhos e uma sala para as crianças.

Acessível

As modificações também englobaram o estudo da circulação, que prioriza a acessibilidade para a cadeira de rodas. Os corredores e os espaços vazios dentro dos cômodos têm larguras adequadas e "as portas também são mais largas do que o padrão [70 a 90 cm] e na cozinha, fizemos uma bancada que possibilitou o encaixe da cadeira", conta o arquiteto.

Na suíte do casal, a cama foi estruturada para que a moradora consiga posicionar sua cadeira e se colocar no leito, sem precisar de ajuda, e um frigobar foi instalado ao lado da cabeceira, para que a empresária não precisasse ir à cozinha durante a noite, para tomar um copo d’água. O banheiro também ganhou adaptações: a bancada acomoda a cadeira de rodas e há apoios e bancos para facilitar o uso do sanitário e do chuveiro. No 'closet', as roupas são organizadas de acordo com as estações, fica ao alcance da mão o que será usado com mais frequência.

A proprietária, dona de uma empresa de inclusão social de deficientes físicos, também investiu em automação residencial. A iluminação, o som e a abertura e fechamento das persianas são controlados através de um aplicativo no celular, facilitando seu dia a dia na casa. "A proposta era fazer com que ela tivesse total independência dentro do apartamento, não precisasse do auxílio de outra pessoa", diz Rosset.

Inspiração nos lofts industriais

Para o projeto do imóvel, a moradora trouxe as referências dos 'lofts' em galpões da Nova York dos anos 1960 e 70. No living, essa inspiração é bastante clara: as paredes são de tijolos aparentes e o piso é de limestone (pedra calcária) acinzentado, que remete ao cimento queimado e ao concreto. A casa, totalmente acessível e adaptada, não é caricata. Preto, cinza e branco marcam a decoração que conta com peças desenhadas por designers renomados e não se furta a confortos, como o dos tapetes espalhados pelos cômodos. "Pesados" e amplos, esses elementos não dificultam o percurso da cadeira.

Ficha técnica

Apê Perdizes, São Paulo (SP)

Projeto de Marcelo Rosset Arquitetura

Detalhes do projeto
  • Área Construída 270 m²
  • Conclusão da Obra 2014
  • Projeto Marcelo Rosset Arquitetura
  • Equipe Marcelo Rosset e Cristiane Rodrigues Penteado
  • Projeto de Arquitetura Marcelo Rosset
  • Projeto de Decoração Marcelo Rosset
  • Projeto Estrutural - Concreto Construtora Mc
  • Construção Construtora Mc
  • Projeto de Instalações Elétricas Construtora Mc
  • Projeto Luminotécnico Marcelo Rosset, executado pela Wallamps
topo