Construção e reforma

10 coisas que você precisa saber sobre eletricidade e iluminação

Getty Images

Do UOL. em São Paulo

A estruturação do sistema elétrico de uma residência é importante, complexa e requer cuidados para que a energia seja usada de forma eficiente e segura. Para melhor esclarecer alguns pontos, reunimos dicas importantes acerca dos componentes e ações desse elemento tão essencial à vida moderna. Para aprofundar cada um dos temas, clique no "título" de cada tópico.

Para facilitar a vida

  • Getty Images

    O que devo saber antes de instalar um sistema elétrico na minha casa?

    Um projeto de elétrica tem três diretrizes: consumo consciente, segurança e eficiência. Na rua (poste e medidor de luz), siga o padrão da concessionária. Consulte um engenheiro eletricista para dimensionar o quadro de luz e use bons disjuntores. Adapte e regularize instalações antigas para que suportem novos equipamentos e revise a cada 5 anos. Obedeça a potência para o uso de fios e demais itens. Leia mais

    Imagem: Getty Images

  • Joe Raedle/Getty Images/AFP

    Energia solar: dá para produzir? Custa caro? Há alternativas?

    As placas fotovoltaicas geram eletricidade a partir dos raios do sol. Essa energia pode ser utilizada para, por exemplo, acender uma lâmpada ou ligar a TV. O custo da instalação é alto, mas se paga com o passar dos anos. Para quem não quer ou pode investir, uma alternativa é a iluminação externa através de luminárias que funcionam com energia solar. A vantagem? Dispensa os conduítes e a fiação. Leia mais

    Imagem: Joe Raedle/Getty Images/AFP

  • Getty Images

    Existem sistemas eólicos de energia para uso residencial?

    Geradores eólicos residenciais são pouco utilizados no país, embora quase não tenham contra-indicações --um dos poucos problemas do sistema é ruído provocado pela movimentação das pás. Apesar da instalação ser simples, recomenda-se contratar um especialista para avaliar o vento e a topografia. Além disso, alinhe o modelo ao orçamento ao intuito de suprir total ou parcialmente o abastecimento. Leia mais

    Imagem: Getty Images

  • Eduardo Anizelli/Folhapress

    Aterramento: por quê ele é importante para a segurança?

    As tomadas com três pinos se tornaram obrigatórias no início da década e o aterramento, em 2009. O fio terra é importante, pois protege o usuário de pequenos choques e resguarda componentes sensíveis em relação às sobrecargas. Porém, o fato da tomada ter os três pinos não significa que o aterramento está conectado corretamente (especialmente em construções antigas), o que precisa ser corrigido. Leia mais

    Imagem: Eduardo Anizelli/Folhapress

  • Getty Images

    Gambiarras elétricas são comuns: conheça os riscos e elimine-as

    Não basta instalar um sistema elétrico com cuidado e qualidade se, no dia a dia, as regras de uso e segurança são quebradas uma a uma. Assim, atenção: não use benjamins ("T") indiscriminadamente! Jamais sobrecarregue as tomadas! Realize o aterramento dos fios e instale o Dispositivo Residual-Diferencial. Faça as instalações adequadamente e realize manutenções preventivas! Nunca recorra a amadores. Leia mais

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Saiba como identificar e evitar sobrecargas e curtos em tomadas

    Sobrecarregar as tomadas pode causar choques, desperdício de energia, curto-circuitos e incêndios. Para identificar sobrecargas observe se há redução da luminosidade em lâmpadas quando determinado equipamento é ligado ou se o disjuntor desarma com frequência. Respeite a potência de cada tomada (10 ou 20 amperes), evite os benjamins e faça manutenções preventivas periódicas. Leia mais

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Fios e cabos, quando emaranhados, geram riscos. Organize-os

    Fios soltos e extensões espalhadas não são raros e podem provocar acidentes: quedas, choques e incêndios (quando o condutor de cobre está exposto). Os fios devem ser mantidos em conduítes ou caixinhas. O excedente, ligado aos eletrônicos, geralmente fica caído no chão e precisa ser amarrado com abraçadeiras de náilon, fitas com velcro, arames revestidos por plástico ou organizadores específicos. Leia mais

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Conheça as lâmpadas mais empregadas em áreas residenciais

    A mais comum é a incandescente, mas está deixando de ser fabricada por causa do alto consumo de energia. Em seu lugar vão ficar as fluorescentes e os LEDs -- estes, muito duráveis e de baixo consumo). Existem ainda as halógenas, que também são incandescentes, mas têm aplicações específicas. Leia mais

    Imagem: Getty Images

  • Stock Images

    Mas afinal, o que são LEDs e como podem ser usados?

    Em uma tradução literal, a sigla LED significa Diodo Emissor de Luz. Os diodos são materiais semicondutores muito utilizados na eletrônica e, no caso da iluminação, são o que "acende" na lâmpada. O LED tem vida útil mais longa que as lâmpadas comuns, não aquece, é econômico e indicado, por exemplo, para ambientes externos e para o equipamento de luminárias "mínimas", como balizadores. Leia mais

    Imagem: Stock Images

  • Stock Images

    Como iluminar a casa de uma maneira adequada?

    Primeiro: pense na iluminação conforme o uso do ambiente. Depois, leve em conta as cores, texturas e o estilo do cômodo (e do mobiliário), bem como sua amplitude. Desenvolva sempre uma iluminação total, além de focos pontuais (sobre quadros ou móveis e para leitura) e, se possível, crie "climas" usando diferentes intensidades e cores da luz. Leia mais

    Imagem: Stock Images

Topo