Decoração de ambientes

Adaptações simples deixam a casa mais segura e melhoram a vida dos idosos

Thalita Peres

Do UOL, em São Paulo

A velhice chega para todos e as mudanças na casa para ampliar o conforto e evitar acidentes são necessárias em grande parte das vezes. O UOL elenca algumas adaptações rápidas e simples de serem executadas e que podem aumentar a independência dos idosos, bem como melhorar a qualidade de vida a custo baixo.

Fonte: Ana Maria Fasanella, arquiteta e professora da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Consulta: Americanas.com; C&C; Extra; Leroy Merlin; Walmart.

 

  • Rogério Doki/ Arte UOL

    Crie contrastes

    A primeira etapa do processo visa o trabalho sensorial e visual: invista, por exemplo, em criar um contraste de cores para melhorar a visibilidade de instalações, móveis e objetos. Se a sala de estar tem piso de madeira clara, opte por um sofá com matiz mais vibrante ou escuro. Como a visão fica mais fraca, as diferenças marcantes ajudam a minimizar os 'enganos' do dia a dia, como sentar 'em falso'. Outro cuidado interessante é melhorar a iluminação junto ao chão, com a instalação de balizadores que permitam a identificação de objetos que possam obstruir o caminhar.

    Imagem: Rogério Doki/ Arte UOL

  • Rogério Doki/ Arte UOL

    'Ajude' os ouvidos

    Assim como a visão, a audição também pode diminuir ao longo dos anos. Para que o interfone ou a campainha seja mais perceptível para o idoso, troque o aparelho por modelos específicos para surdos ou pessoas com perdas auditivas. Estas versões têm sinalizadores luminosos e podem ser baratinhas, com preços à partir de R$ 34. Caso o velhinho divida a casa com familiares, outra ideia 'sonora' é instalar uma babá eletrônica no quarto e acompanhar solicitações noturnas e pedidos de ajuda com mais proximidade, sem invadir tanto a privacidade do indivíduo.

    Imagem: Rogério Doki/ Arte UOL

  • Rogério Doki/ Arte UOL

    Atente-se aos detalhes

    A maçaneta da porta parece inofensiva, mas não é: as em formato de bola ou com puxadores redondos podem dificultar o manuseio, porque demandam mais força na empunhadura. Neste caso, basta trocar por uma do tipo alavanca. O mesmo vale para os misturadores das torneiras. Outro detalhe importante é proteger as pontas e cantos vivos dos móveis para evitar batidas e, consequentemente, machucados. É fácil resolver esta questão: compre e aplique protetores de quina e cantoneiras em silicone ou plástico. Esses produtos são fáceis de encontrar e há opções por menos de R$ 10.

    Imagem: Rogério Doki/ Arte UOL

  • Rogério Doki/ Arte UOL

    Remova os obstáculos

    Para que os idosos consigam se locomover com tranquilidade pela casa, retire os tapetes para evitar tropeços, escorregões e tombos. O cuidado vale, especialmente, para os inocentes capachos usados em cozinhas ou banheiros. Também é interessante trocar utensílios, objetos e aparelhos de lugar, facilitando o acesso e evitando a demanda por bancos ou escadinhas. O ideal é que a mobília mantenha as coisas mais usadas ao alcance da mão, preferencialmente na altura média de 1 m. Outra ação que facilita o uso é instalar um adaptador de assento ao vaso sanitário, para a elevação da bacia. O acessório é facilmente encontrado em lojas de produtos para fisioterapia e insumos médicos.

    Imagem: Rogério Doki/ Arte UOL

  • Rogério Doki/ Arte UOL

    Nada de 'dar um jeitinho'

    Adaptações estruturais como corrimãos e apoios em corredores e nos banheiros (áreas do boxe e próximas ao vaso sanitário), substituição de escadas por rampas e trocas de pisos escorregadios por antiderrapantes são interessantes e muito úteis, mas não devem ser improvisadas. Ao fazer uma pequena obra como esta, consulte um profissional especializado, seja um arquiteto ou engenheiro civil. Assim, os cálculos serão precisos e os materiais, mais bem pensados.

    Imagem: Rogério Doki/ Arte UOL

Topo