Construção e reforma

Aprenda a aplicar o papel de parede e dê cara nova a sua casa

Kátia Kuwabara/ UOL

Silvana Maria Rosso

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Entre as infinidades de produtos disponíveis no mercado, uma opção, prática e criativa, para fugir da tradicional pintura é forrar as paredes com papel. Lisos, listrados, estampados ou texturizados, esses revestimentos são resistentes e fáceis de aplicar. Antes de começar, os cuidados a serem tomados são:

  • Nivele e regularize a parede.
  • Se necessário, faça um "fundo" com massa corrida (ou rápida) e uma demão de PVA (acetato de polivinila).
  • A parede deve estar limpa, sem poeira, e não pode ter riscos de caneta, pois a tinta pode manchar o papel.

Tudo nos trinques? Coloque a mão na massa!

  • Kátia Kuwabara/ UOL

    Materiais

    Pano úmido; brocha; seringa; estilete; tesoura; alicate; espátulas metálica e de plástico; trena; papel de parede vinílico (l = 0,53 m); cola para revestimento (carboximetilcelulose).

    Imagem: Kátia Kuwabara/ UOL

  • Kátia Kuwabara/ UOL

    1º passo

    Antes de comprar o revestimento, meça as superfícies a serem forradas: para calcular o número de rolos necessários, primeiro, divida a largura da superfície pela largura do papel, o resultado será o número de alturas (folhas a serem coladas lado a lado, no comprimento da parede). Multiplique este valor pelo pé-direito e o número será equivalente à metragem total. Para obter o número de rolos, divida a metragem total pela altura do papel. Sempre considere um rolo a mais, caso o resultado seja "quebrado" e, se o revestimento for estampado, considere a perda dada pela combinação dos desenhos.

    Imagem: Kátia Kuwabara/ UOL

  • Kátia Kuwabara/ UOL

    2º passo

    Use a trena para marcar a altura, deixando uma sobra de 5 a 10 centímetros e, em seguida, corte o revestimento com a tesoura.

    Imagem: Kátia Kuwabara/ UOL

  • Kátia Kuwabara/ UOL

    3º passo

    Dilua a cola em um recipiente, conforme as instruções no rótulo. Em geral, um pacote com 100 gramas cobre 5 m², mas tudo depende do peso do papel a ser colado. Antes de começar o processo de colagem, verifique na embalagem do revestimento, se a cola vai sobre ele, sobre a parede ou sobre ambos. Neste exemplo, a cola vai ser aplicada sobre o papel vinílico, que foi colocado em uma superfície plana.

    Imagem: Kátia Kuwabara/ UOL

  • Kátia Kuwabara/ UOL

    4º passo

    Sempre comece a esparramar a cola por uma das extremidades: dobre a área que já foi coberta com cola uma vez e depois outra, sempre ao meio. Cubra com cola o restante do revestimento, dobrando-o como no lado oposto.

    Imagem: Kátia Kuwabara/ UOL

  • Kátia Kuwabara/ UOL

    5º passo

    Carregue o revestimento dobrado até a superfície a ser revestida. Desdobre o papel cuidadosamente, posicione-o e inicie a colagem de cima para baixo, tomando como referência o encontro do teto com a parede. Se houver cantos ou chanfros, recorte com a tesoura, acomodando a folha.

    Imagem: Kátia Kuwabara/ UOL

  • Kátia Kuwabara/ UOL

    6º passo

    Vá abrindo o papel de cima para baixo, aderindo-o à parede. Para eliminar as bolhas e irregularidades, alise a superfície com as mãos.

    Imagem: Kátia Kuwabara/ UOL

  • Kátia Kuwabara/ UOL

    7º passo

    Use a espátula de plástico para alisar com mais eficiência a superfície, eliminando assim as imperfeições. Essa ferramenta também será necessária para acertar os pontos de emenda e aplicar o material com perfeição no encontro entre duas paredes (caso o revestimento se prolongue).

    Imagem: Kátia Kuwabara/ UOL

  • Kátia Kuwabara/ UOL

    8º passo

    Com a espátula metálica e o estilete, corte o pedaço que sobrou na altura do piso. Tais ferramentas também serão necessárias para eliminar a sobra de papel, caso a área a ser revestida seja limitada pelo encontro de duas paredes (por exemplo).

    Imagem: Kátia Kuwabara/ UOL

  • Kátia Kuwabara/ UOL

    9º passo

    Para medir a altura da próxima folha, você pode usar o próprio rolo. Nas aplicações subsequentes, acrescente a diferença (perda) dada pela estampa (caso haja) na sua marcação. Corte o revestimento na medida necessária, repetindo o procedimento para cada nova porção de papel.

    Imagem: Kátia Kuwabara/ UOL

  • Kátia Kuwabara/ UOL

    10º passo

    Nas alturas subsequentes, o importante é casar o desenho. Procure sempre a continuidade do traço, antes de aderir o papel à parede. Se o revestimento for listrado, lembre-se de coordenar as listras. Se for liso, ao cortar, dê um pique sempre na parte de cima da altura, e, na hora de colar, alterne o pique (um para cima e o outro para baixo), de forma que a textura fique homogênea.

    Imagem: Kátia Kuwabara/ UOL

  • Kátia Kuwabara/ UOL

    Prontinho!

    Aquele canto sem graça ganhou cara nova com o revestimento. Para deixar o espaço contemporâneo, ouse: misture estampas, materiais e cores. [Consultoria: Paper.com e Cristiane Oliveira, designer. Ambientação e papel de parede: Paper.com]

    Imagem: Kátia Kuwabara/ UOL

Topo