Casa e decoração

Cuide bem do bicho idoso fazendo adaptações na sua casa e na rotina

Getty Images
Em todas as fases da vida, o animal precisa sempre do carinho e atenção dos donos imagem: Getty Images

Karine Serezuella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Assim como os humanos, cães e gatos precisam de pequenas adaptações em casa e certos cuidados para envelhecerem com boa disposição e bem-estar. A raça e o tamanho são fatores determinantes na avaliação do envelhecimento animal. De modo geral, cães de pequeno e médio porte (e os gatos) entram na terceira idade aos nove anos, enquanto os pets grandes, alcançam esse patamar a partir dos sete anos.
 
Sinais e doenças
 
Os primeiros indícios de que o bicho de estimação está ficando velhinho são o cansaço e intolerância a exercícios mais vigorosos, além de dores articulares, alterações bruscas de peso, diminuição gradual da visão e audição e pelagem mais áspera, seca e com perda de coloração.
 
Além dessas mudanças físicas e biológicas, existem as doenças comuns a essa faixa etária, e todas demandam trato. São elas: artrites, artroses e espondilites (inflamação de uma ou mais vértebras); doenças metabólicas como diabetes; mau funcionamento das válvulas e doença do músculo cardíaco; problemas renais crônicos (alta incidência em gatos e comum em cachorros acima de dez anos); cataratas; odontopatias; tumores e enfermidades endócrinas, como hipotireoidismo.
 
Para cuidar do bicho velhinho, o primeiro passo, claro, é ser dedicado e dar amor e carinho. Porém, ações práticas também são traduções de tal amor e meios para que o animal de estimação mantenha uma rotina tranquila e sadia nessa fase da vida. Acompanhe o quê os veterinários consultados pelo UOL Casa e Decoração afirmam e prepare-se para mais essa empreitada.
 
Fontes: Carla Berl, veterinária e diretora do Hospital Veterinário Pet Care; Luciane Martins, veterinária especializada em cardiologista do Pet Center Marginal/Petz; e Mitika Hagiwara, professora do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Universidade de São Paulo (USP).

Dicas para o bem-estar dos animais idosos

  • Getty Images

    Mantenha a rotina

    Alterações bruscas na rotina podem causar ansiedade nos animais, por isso, mantenha os hábitos diários, porém, respeite as mudanças de comportamento normais nessa fase avançada da vida. E lembre-se: em qualquer circunstância (e idade!), o bicho precisa sentir a presença física dos donos. Ouvir o chamado de seu nome e ganhar afagos são essenciais para seu bem-estar.

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Evite acidentes

    As limitações físicas não impedem que o bicho desvie dos obstáculos e se ambiente bem na casa. No entanto, no caso de perda de visão, o melhor é ampliar o espaço de circulação, manter o padrão de posicionamento dos móveis e nunca deixar objetos espalhados. Para evitar quedas, coloque portões ou grades de proteção nas escadas e redes nas janelas. Tome cuidado com piscinas, impedindo o acesso.

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Alimentação balanceada

    Em geral, cães e gatos têm necessidades calóricas menores à medida que envelhecem por causa da desaceleração do metabolismo e da diminuição do gasto energético. Procure o veterinário para que ele indique a quantidade ideal de alimento. Não force a alimentação desmedida e evite agradá-lo com muitos petiscos. O sobrepeso é um fator de risco para doenças cardíacas e problemas de coluna.

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Ajude-os na locomoção

    Animais idosos começam a ter dificuldades de locomoção, em especial nos dias frios quando as dores articulares aumentam. Para ajudá-los, use tapetes sobre pisos escorregadios. Improvise degraus para auxiliá-los a subir e descer dos móveis (sofás, camas etc.) de costume. Se o problema for na coluna cervical, coloque potes de comida e água em posições mais altas, evitando a inclinação do pescoço.

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Atividades leves e regulares

    Quando estão velhinhos, é comum que cães e gatos fiquem menos ativos. Mas não deixe de estimular as brincadeiras a que os animais estão acostumados, apenas respeite seus limites e os momentos de descanso. Nos passeios, os pets idosos podem ficar mais lentos, por isso, são recomendados exercícios mais leves como caminhadas diárias e outras atividades com menor impacto.

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Check-up anual

    A avaliação clínica anual permite a tomada de medidas preventivas e também a detecção precoce de doenças. O check-up inclui avaliações nas mamas das fêmeas, dos testículo e próstata nos machos não castrados, ultrassonografia abdominal, aferição da pressão arterial, eletrocardiograma, ecocardiograma, além de exames de sangue, urina e fezes. E atenção: mantenha a vacinação sempre em dia.

    Imagem: Getty Images

Topo